“Se faz o caminho ao andar: uma etnografia junto a mulheres indígenas Kaingang.”

  • Geórgia de Macedo Garcia

Resumo

"Aprende-se, lendo o mundo o tempo inteiro", colocou Dorvalino Refej no II Encontro Regional de Estudantes Indígenas da Região Sul (2017), que aconteceu na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A partir de uma etnografia junto a mulheres kaingang estudantes da UFRGS, das abordagens da antropologia da educação, bem como da episteme de conhecimento do povo kaingang objetivo discutir o modo como diferentes formas de estar, ensinar e aprender navegam nesta instituição. Práticas que subvertem o colonialismo dentro do seu próprio sistema. O esforço etnográfico está em perceber uma educação que acontece: nas mudanças nos modos de participação; no aconselhamento entre regré (pessoas da mesma metade patrilinear); na relação com instituição de ensino (aqui, um ser Kamé); no ir e vir das terras indígenas à cidade; na atuação no plano sociológico do kujá, um educador que é menos um guardião de fins e mais um catalizador de começos. Que faz escola levando para fora, destravando a imaginação.

Publicado
2019-07-17