Lusco-fusco: natureza, magia e episteme utópica em encontros Rainbow

  • Noa Cykman

Resumo

Em toda sociedade, um espelho conjuga saber e poder. Perscrutar o funcionamento da distribuição epistemológica pode vir como contrapartida de uma análise da fisiologia das relações e práticas sociais. Inclusive em processos de metamorfose: atualmente, uma transição paradigmática vem desgarrando das premissas sociais e epistemológicas modernas/coloniais, dando a ver a existência e a possibilidade de inúmeras outras formas de viver e de conhecer. A utopia, despida da veste moderna, ressurge noutro tom: não como ponto final, senão como força presente; abordagem crítica e criativa. Experiências utópicas agem no presente direcionando-o ao sonho. A pesquisa propõe uma cartografia de uma experiência utópica para, com ela, elaborar traços de uma episteme emergente, dissidente da modernidade, ainda não formulada, e desafiada pelos limites do enunciável para sua formulação. O campo de pesquisa foi uma imersão em encontros Rainbow, que, desde 1972, em diversos países, reúnem viajantes durante um ciclo lunar para vivenciar uma vida de partilha e comunhão em meio à natureza, de forma anárquica, não-comercial, prezando pela não-violência e constituindo as relações sob o espírito de uma família, não apenas humana. A imersão incluiu seis encontros, em cinco países.

Publicado
2019-07-17
Seção
ST 11 - Confluência de saberes em tempos de incerteza: diálogos (indisciplinares) entre religião, magia, ciência, filosofia e arte