Breve histórico e elementos para análise da injustiça e racismo ambiental no caso do Aterro Sanitário de Macaúbas de Sabará, Minas Gerais, Brasil

  • Aline Campos Figueiredo
  • Marcelino Vitor de Brito
  • Rosana Icassatti Corazza
Palavras-chave: Ecologia Política; Justiça Ambiental; Consumo; Sustentabilidade., Political Ecology; Environmental justice; Consumption; Sustainability.

Resumo

Os desafios do Antropoceno colocam a humanidade diante de escolhas críticas, que podem levar à inviabilização da permanência da civilização humana tal como a conhecemos, comprometendo a estabilidade das condições ambientais que têm caracterizado o planeta no Holoceno. A alternativa à catástrofe passa necessariamente pela reconstrução das bases ecossistêmicas, com a transformação das relações entre os próprios seres humanos e desses com a biosfera, de modo a alimentar um processo ainda possível de sustentabilidade social, ambiental e ecológica. Nesse contexto desafiante, a Ecologia Política emerge como contraponto a visões limitadas e inaugura um campo de debate, no qual se propõe encontrar uma nova lógica de viver, pautada no respeito às fronteiras planetárias. Nesse campo, traz-se à tona a perspectiva de justiça ambiental, voltada à consideração dos conflitos socioambientais associados a disputas pelo acesso e uso de recursos naturais. O presente trabalho tem como objetivo identificar, apresentar e discutir pontos de conflito envolvidos no caso do aterro sanitário de Macaúbas (localizado no município de Sabará) que recebe os resíduos sólidos urbanos da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Pretende-se com essa exposição levar o leitor a uma reflexão sobre a externalização dos custos do consumo que se torna instrumento de reafirmação de injustiça ambiental e social, ao transferir toda conta da degradação ambiental aos mais pobres e desprovidos de poder econômico e político.

 

ABSTRACT – The challenges of the Anthropocene place humanity in the face of critical choices, which may lead to the impossibility of the existence of human civilization, as we know it, compromising the stability of environmental conditions that have characterized the planet in the Holocene. The alternative to catastrophe necessarily involves the reconstruction of ecosystem bases, with the transformation of relations between human beings themselves and the biosphere, in order to feed a possible process of social, environmental and ecological sustainability. In this challenging context, Political Ecology emerges as to counterpoint limited visions, and inaugurates a field of debate proposing to find a new logic of living, based on respect for planetary boundaries. Therefore, the perspective of environmental justice is presented, in order to take in to account the social and environmental conflicts associated with disputes over access and use of natural resources. This paper aims to identify, present and discuss points of conflict involved in the case of the Macaúbas landfill (located in the city of Sabará) that receives urban solid waste from the Belo Horizonte Metropolitan Region. This exposition aims to lead to a reflection on the externalization of the costs of consumption that becomes an instrument of reaffirmation of environmental and social injustice by transferring all the account of environmental degradation to the poorest, devoided of economic and political power.

Publicado
2020-08-18
Seção
ST-02 Políticas urbanas e regionais, cidades e inovação