Temas e tendências das pesquisas em bacias hidrográficas no âmbito do Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada

Autores

  • Francisco Jonh Lennon Tavares da Silva Universidade Federal do Piauí
  • Cláudia Maria Sabóia de Aquino Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1776

Palavras-chave:

Bacia Hidrográfica. Geografia Física. Relação Sociedade-Natureza. Produção do Conhecimento

Resumo

Objetivou-se avaliar a adoção da bacia hidrográfica como âncora de análise no contexto da produção científica do Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada. Para tanto, realizou-se um balanço dos estudos publicados no simpósio em epígrafe, considerando as últimas quatro edições (2009; 2011; 2013 e 2015). Inicialmente, quantificaram-se os trabalhos que adotam a bacia hidrográfica como recorte espacial e, em um segundo momento, foi feita uma categorização temática das pesquisas, seguida por uma reflexão a respeito dos objetivos e finalidades destes estudos. Dentre as temáticas mais trabalhadas, citam-se: mapeamento do uso da terra, degradação ambiental, padrões de drenagem e compartimentação do relevo, gestão de recursos hídricos, geoconservação, vulnerabilidade/riscos socioambientais, educação ambiental e balanço hidroclimático. A partir da análise dos estudos publicados nos anais dos SBGFAs selecionados, o artigo espera contribuir para a discussão em torno da importância atribuída à bacia hidrográfica enquanto unidade integrada de investigação, planejamento e gestão ambiental no cerne das tendências da pesquisa geográfica brasileira. 

Biografia do Autor

Francisco Jonh Lennon Tavares da Silva, Universidade Federal do Piauí

Pós-graduando em Geografia, nível mestrado, na Universidade Federal do Piauí.

Cláudia Maria Sabóia de Aquino, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Geografia. Professora Adjunta da Universidade Federal do Piauí.

Referências

ALMEIDA, L. Q. Riscos ambientais e vulnerabilidades nas cidades brasileiras: conceitos, metodologias e aplicações. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. 2. ed. – São Paulo: Edgard Blücher, 1980.

________. Modelagem de sistemas ambientais. São Paulo: Edgard Blücher, 1999.

CUNHA, S. B.; GUERRA, A. J. T. Degradação ambiental. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. (Org.). Geomorfologia e meio ambiente. 6. ed. – Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

NASCIMENTO, F. R. Categorização de Usos Múltiplos dos Recursos Hídricos e Problemas Ambientais: Cenários e Desafios. In: MEDEIROS, C. N.; GOMES, D. D. M.; ALBUQUERQUE, E, L. S.; CRUZ, M. L. B. (Org.). Os Recursos Hídricos do Ceará: Integração, Gestão e Potencialidades. Fortaleza: IPECE, 2011.

RODRIGUEZ, J. M. M.; SILVA, E. V.; CAVALCANTI, A. P. B. Geoecologia das paisagens: uma visão geossistêmica da análise ambiental. Fortaleza: Editora UFC, 2004.

ROSS, J. L. S. Ecogeografia do Brasil: subsídios para o planejamento ambiental. São Paulo: Oficina de Textos, 2006.

SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 13, Viçosa/MG. Anais... Caderno de Resumos. Universidade Federal de Viçosa, 2009.

SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 14, Dourados/MS. Anais... CD-ROM. Universidade Federal da Grande Dourados, 2011.

SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 15, Vitória/ES. Anais... CD-ROM. Universidade Federal do Espírito Santo, 2013.

SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 16, Teresina/PI. Anais... CD-ROM. Universidade Federal do Piauí, 2015.

SOUZA, J. C. O.; CORRÊA, A. C. B. O relevo como ponto de partida ao estudo geossistêmico da natureza: o caso da bacia hidrográfica do rio São Miguel, Alagoas. Revista GEOUECE, v. 2, n. 3, Jul./Dez., 2013.

VEYRET, Y. Os riscos: o homem como agressor e vítima do meio

ambiente. São Paulo: Contexto, 2007.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão