Coeficientes de assimetria e curtose nos dados de vazão média mensal da bacia do Rio Preto-BA

Autores

  • Eduardo Petrucci Universidade Federal de Uberlândia
  • Luiz Antônio de Oliveira Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1785

Palavras-chave:

Vazões. Coeficiente de assimetria. Coeficiente de curtose. Bacia hidrográfica. Bahia

Resumo

Técnicas estatísticas aplicadas às vazões podem trazer resultados que refinam a análise e o tratamento de dados trabalhados. Podem trazer informações sobre a variável, mais do que a própria tabela original de dados brutos. A partir disso, foi objetivado calcular a Assimetria (por meio do Coeficiente de Pearson) e o Coeficiente de Curtose de três postos fluviométricos do Rio Preto-BA, sob responsabilidade de ANA (Agência Nacional das Águas). Os dados de vazões médias mensais foram obtidos por meio do sítio eletrônico do Hidroweb, do período de 1970-2015. A partir do cálculo dos coeficientes de assimetria e curtose, verificou-se que os postos Ibipetuba e Fazenda Porto Limpo apresentaram assimetria negativa, o primeiro deles forte assimetria e o segundo assimetria moderada. O posto Formosa do Rio Preto apresentou forte assimetria positiva. Referente à curtose, os dois primeiros postos foram classificados como distribuição platicúrtica, e o terceiro distribuição mesocúrtica.

Biografia do Autor

Eduardo Petrucci, Universidade Federal de Uberlândia

Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia,

Luiz Antônio de Oliveira, Universidade Federal de Uberlândia

Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia,

Referências

ANA. Agência Nacional das Águas. Disponível em: <http://hidroweb.ana.gov.br/>. Acesso em: 18 jan. 2017.

GRANEMANN, A. R. B. Análise de frequência de vazões mínimas. 2016. 61 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Recursos Hídricos e Ambiental). Departamento de Hidráulica e Saneamento - Setor de Tecnologia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

MORETTIN, P. A.; BUSSAB, W. O. Estatística Básica. 5 ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

NAGHETTINI, M.; PINTO, E. J. A. Hidrologia Estatística. Belo Horizonte: CPRM, 2007. 552 p.

PINTO, N. L. S.; HOLTZ, A. C. T.; MARTINS, J. A.; GOMIDE, F. L. S. Hidrologia Básica. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 1976.

TUCCI, C. E. M. (org). Hidrologia: ciência e aplicação. 4 ed. 5 reimp. Porto Alegre: Editora da UFRGS/ABRH, 2013.

VILELLA, S. M.; MATTOS, A. Hidrologia aplicada. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1975.

- IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas – DPE – Coordenação de População e Indicadores Sociais – COPIS. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/estimativa2016/estimativa_tcu.shtm>. Acesso em 14 de fevereiro de 2017.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão