Conservação de água e solo a montante da área de captação de água da SANEAGO em Iporá-GO

Autores

  • Flávio Alves de Sousa Universidade Estadual de Goias
  • Lilia Silva Universidade Estadual de Goias
  • Luthiane Silva Alves Universidade Estadual de Goias

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1789

Palavras-chave:

Planejamento. Conservação. Análise.

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar as condições de conservação ambiental na alta bacia hidrográfica do Ribeirão Santo Antônio, pois nesta faixa da bacia está a captação de água, que é tratada e distribuida para o consumo da população iporaense.O estudo avaliou e mapeou as condições de declividade do relevo para entender a dinâmica do fluxo superficial da água das chuvas; coletou e analisou amostras de solos das áreas de relevo plano (Latossolos); mapeou as classes de solos presentes na bacia e mapeou o uso e ocupação das terras; também foram  realizados testes de condutividade hidráulica dos Latossolos para entender como estes auxiliam na recarga do lençol freático. Apesar da conservação ambiental na bacia não ser a ideal não chega a ser um problema significativo para a conservação da água e dos solos. Com planejamento e manejos simples é possível conseguir uma boa qualidade ambiental na área estudada.

Biografia do Autor

Flávio Alves de Sousa, Universidade Estadual de Goias

Professor do curso de geografia da Universidade Estadual de Goiás

Lilia Silva, Universidade Estadual de Goias

Bolsista PIBIC/UEG

Luthiane Silva Alves, Universidade Estadual de Goias

Bolsista PIVIC/UEG

Referências

BERTONI, J. & LOMBARDI Neto, F. – Conservação do Solo. Piracicaba/SP: Livroceres, 1985.

BIGARELLA, J. J. – A Serra do mar e a porção oriental do estado do Paraná. Um problema de segurança ambiental e nacional. Curitiba: Secretaria de Planejamento do Paraná/ associação de Defesa e educação Ambiental: 248 p. 1978.

CHORLEY, R. J. – A geomorfologia e a teoria dos sistemas gerais. In: Notícia geomorfológica. Campinas 11(21): 3-22, jun., 1971.

GUERRA, J. T. & CUNHA, S. B. da. – Degradação Ambiental. In: Geomorfologia e Meio Ambiente. Rio de janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

GEE, G.W. & BAUDER, J.W. Particle-size analysis. In: Methods of soil analysis. Part 1, 2nd ed., Madison, American society of Agronomy, 1986. pp 383-411.

ROSS, J. L. S. – Geomorfologia: Ambiente e Planejamento. São Paulo: Contexto, 1990.

SILVA, J. A . da. e BARROS, M. V. F. – Uso do solo no manejo de bacias hidrográficas: o caso da bacia do ribeirão Cafezal – Londrina Paraná. In: Geografia, meio ambiente e desenvolvimento. Márcia Siqueira de Carvalho (org.). Londrina: UEL, 2003.

SOUSA, F. A. de. Uso e ocupação na bacia hidrográfica do ribeirão Santo Antônio em Iporá-GO, como subsídio ao planejamento (Dissertação de Mestrado). Goiânia: IESA/UFG, 2006.

SOUSA, R. V. Barbosa & CELEGOI, André. Avaliação da condutividade hidráulica do solo em área agrícola e florestada na cidade de Londrina (PR) com uso de permeâmetro de Guelph. Bol. Geografia. V. 29, n.2. Maringá, 2011. P. 123-133.

TRICART, J. – Ecodinâmica. IBGE/SUPREN. Rio de Janeiro, 1977,

VALENTE, O. P. – Manejo de bacias hidrográficas. In: SANEAMENTO Rio de Janeiro: 50(2): p. 104 – 109, abr./jun. 1976.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão