Desafios para a gestão hídrica em bacia hidrográfica de Rio Federal: a interlocução entre estado, território e sociedade

Autores

  • Marcia Eliane Silva Carvalho Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1791

Palavras-chave:

Gestão Hídrica. Estado. Território. Participação Social

Resumo

Tomando como pressuposto que a tríade Estado-Território-Sociedade é base para o entendimento e efetivação da gestão das águas na unidade bacia hidrográfica, este artigo tem como objetivo analisar os desafios da gestão hídrica em bacia de rio federal a partir de três vieses: Estado, via políticas públicas de ordenamento do uso dos recursos hídricos; Território, enquanto base física e lócus das relações de poder e Sociedade, enquanto partícipe da gestão hídrica. Para tal, foram realizados levantamentos bibliográficos e pesquisas em fontes primárias e secundárias, tendo sido tomada como foco de análise a bacia do rio Vaza Barris em Sergipe. Os resultados demonstraram que as ações políticas voltadas para a gestão hídrica na referida bacia ainda são incipientes e que os atores sociais desconhecem as questões pertinentes a gestão das águas, indicando a necessidade de efetivar ações, sobretudo no âmbito local, com a valorização dos territórios existentes na unidade de bacia hidrográfica.

Biografia do Autor

Marcia Eliane Silva Carvalho, Universidade Federal de Sergipe

Mestrado Profissional em Rede Nacional para o Ensino das Ciências Ambientais

Referências

BECKER, Bertha. A geopolítica na virada do milênio: logística e desenvolvimento sustentável. In: CASTRO, Iná Elias; GOMES, Paulo C. da C.; CORRÊA, Roberto Lobato. Geografia: conceitos e temas. 7.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005, p. 271-308.

CAMPOS FILHO, Romualdo P. Capitalismo, Globalização e o papel dos Estados Nacionais. In: Boletim Goiano de Geografia. Vol. 21, n.1, jan/jul, 2001, p. 99-117.

CARRERA-FERNANDEZ, José; GARRIDO, Raymundo José. Economia dos recursos hídricos. Salvador: EDUFBA, 2002.

CARVALHO, M.E.S. A questão hídrica no Vaza Barris Sergipano. Tese de doutorado. São Cristóvão: UFS, 2010.

CUNHA, Luís Henrique; COELHO, Maria Célia N. Política e Gestão Ambiental. In: CUNHA, S.B.; CUNHA, Sandra Baptista da. Bacias hidrográficas. In: CUNHA, S.B.; GUERRA, A.J.T. Geomorfologia do Brasil. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003, p. 229-272.

GRANJA, Baraglio; WARNER, Granja. A hidropolítica e o federalismo: possibilidades de construção da subsidiariedade na gestão das águas no Brasil? Revista de Administração Pública vol.40 n.6 Rio de Janeiro Nov./Dec. 2006, p.1-27.

GUERRA, A.J.T. A questão ambiental: diferentes abordagens. 2ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005, p.43-80.

HAESBAERT, Rogério. Concepções de territórios para entender a desterritorialização. In: SANTOS, Milton et. al. Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. 3.ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.p.43-71LEAL, Antonio Cezar. Gestão das Águas no Pontal do Paranapanema/SP. Instituto de Geociências. Campinas: Universidade Estadual de Campinas. Tese de Doutorado. 2000

IANNI, Octavio. Estado e Planejamento econômico no Brasil. 5ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

LEAL, Antonio Cezar. Meio ambiente e urbanização na microbacia do Areia Branca – Campinas/SP. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista. Dissertação de Mestrado, 1995.

LEFF, Enrique. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Tradução: Lúcia M.E. Orth. 7.ed. Petrópolis: Vozes. Rio de Janeiro, 2009.

LISBOA, Josefa Bispo de. A trajetória do discurso do desenvolvimento para o Nordeste: políticas públicas na (dis)simulação da esperança. Aracaju: NPGEO/UFS, 2007. Tese de Doutorado.

MACHADO, Mônica Sampaio. Geografia e Epistemologia: um passeio pelos conceitos de espaço, território e territorialidade. Revista GEO UERJ. Rio de Janeiro: UERJ, n.1, 1997, p. 17-32.

MANTOVANELI JÚNIOR, Oklinger. Políticas Públicas no século XI: a perspectiva da gestão multicêntrica. Blumenau: EDIFURB, 2006.

MASCARENHAS, Ana C. M. Conflito e Gestão de águas: o caso da bacia hidrográfica do rio São Francisco. Dissertação de Mestrado. Brasília: UNB, 2008.

MENDONÇA, Francisco; SANTOS, Leonardo J.C. Gestão da água e dos recursos hídricos no Brasil: avanços e desafios a partir das bacias hidrográficas. Geografia. Rio Claro: AGETEO, v.31, n.1, p. 103-118, jan/abr, 2006.

OECD. Governança dos Recursos Hídricos no Brasil, OECD Publishing, Paris. 2015.

OLIVEIRA, Marize L.V.M. Águas do Ceará: política pública de territorialidades conflituosas. Tese de doutorado. Núcleo de Pós-graduação em Geografia. São Cristóvão: UFS/NPGEO, 2010.

OLIVEIRA, Carlos Hermínio de A. Bacia hidrográfica e os territórios de gestão das águas – Estudo de caso: a sub-bacia hidrográfica do riacho Jacaré do Baixo São Francisco. Tese de doutorado. Núcleo de Pós-graduação em Geografia. São Cristóvão: UFS/NPGEO, 2007.

ORLANDO, P. H. K. A produção do espaço e gestão hídrica na bacia do rio Paraibuna (MG-RJ). Tese de Doutorado. Programa de pós-graduação em Geografia. Presidente Prudente: UNESP, 2006.

RIBEIRO, Wagner Costa. Geografia Política da Água. São Paulo: Annablume, 2008.

SANTOS, M.; SILVEIRA, M. L. O Brasil: território e sociedade no inicio do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2005.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996a.

SILVA, Demetrius David da.; PRUSKI, Fernando Falco. Gestão de Recursos Hídricos: aspectos legais, econômicos, administrativos e sociais. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2005.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão