Importância dos aspectos socioambientais para o planejamento ambiental na/da bacia do Córrego Olhos D’Água, Uberlândia-MG

Autores

  • Fernanda Oliveira Borges Universidade Federal de Uberlândia
  • Carlos Roberto Bernardes de Souza Júnior Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1793

Palavras-chave:

Bacias Hidrográficas. Fatores Ambientais. Agentes Sociais. Ambiente

Resumo

Usar a delimitação de bacias hidrográficas como unidade de planejamento ambiental possui uma série de benefícios metodológicos, já que esta delimitação facilita a análise de diversos fatores ambientais que implicam em uma elaboração mais próxima das características reais do ambiente e na melhoria/resolução dos problemas ambientais. Entretanto, o planejamento ambiental não deve focar-se somente nos atributos do meio físico, devendo abranger também, com igual importância, os aspectos socioambientais. A ocupação das terras pelo homem se dá a partir de um curso hídrico, em função da disponibilidade de recursos para subsistência, bem como para transporte, assim, vale destacar a importância de um recorte hidrográfico como unidade de análise dos agentes sociais e suas relações com o meio. A partir disso, alcança-se os objetivos deste trabalho ao avaliar os aspectos socioambientais da bacia do córrego Olhos D’Água, entendendo sua importância, uma vez que os agentes sociais usufruem e se interagem com o ambiente.

Biografia do Autor

Fernanda Oliveira Borges, Universidade Federal de Uberlândia

Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia

Carlos Roberto Bernardes de Souza Júnior, Universidade Federal de Goiás

Instituto de Estudos Socio-Ambientais, Universidade Federal de Goiás,

Referências

SANTOS, R. F. dos. Área, escala e tempo: paradigmas do planejamento. In: _____. Planejamento Ambiental: teoria e prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2004, p. 39-70.

SCANNEL, L.; GIFFORD, R. Comparing the theories of interpersonal and place attachment. In: MANZO, L. C. (Org.); DEVINE-WRIGHT, P. (Org.) Place Attachment: advances in theory, methods and applications. Abingdon: Routledge, 2014, pp. 23-36.

BRANDÃO C. R. O desencanto do outro: Mistério, Magia e Religião nos estudos do mundo rural no Brasil. Anuário Antropológico, UNB: Brasília, p.9-30, v.91, n.1, 1993.

OLIVEIRA, H. L. de P. R. Análise da influência dos fatores naturais e antrópicos na disponibilidade hídrica no alto curso do córrego Três Marcos: Subsídios para a gestão integrada das águas superficiais e subterrâneas. 2012. 174 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.

QUINTAS, J. S. A educação no processo de gestão ambiental. In: _____. Ministério da Educação, Salto para o futuro: Educação Ambiental no Brasil. Rio de Janeiro: Tv Escola, 2008. p. 30-38.

SANTOS, R. J.; KINN, M. G. Festas: Tradições reinventadas nos espaços rurais dos cerrados de Minas Gerais. Espaço e Cultura. UERJ: Rio de Janeiro, p. 58-71. n. 26, jul./dez. 2009.

TUAN, Y. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. Londrina: EdUel, 2013.

BOURDIN, A. A questão local. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

TUAN, Y. Paisagens do medo. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

KARJALAINEN, P. T. Place in Urwind: A humanist geography view. Geograficidade. v. 2, n. 2, Inverno 2012. p.4-22.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

SEAMON, D. Place attachment and phenomenology: The synergistic dynamism of place. In: MANZO, L. C. (Org.); DEVINE-WRIGHT, P. (Org.) Place Attachment: advances in theory, methods and applications. Abingdon: Routledge, 2014, pp. 11-22.

TUAN, Y. Escapism. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 1998.

WOORTMANN, K. “Com Parente não se neguceia”: Campesinato como ordem moral. Anuário Antropológico, UNB: Brasília, p.11-73, v. 87, n. 1, 1990.

SIMMEL, G. On individuality and social forms. Chicago: The University of Chicago Press, 1971.

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: contraponto, 1997.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão