Produção do espaço urbano e a apropriação dos recursos hídricos em Palmas, TO

Autores

  • Clóvis Cruvinel da Silva Júnior Universidade Estadual de Campinas
  • Antonio Carlos Vitte Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1801

Palavras-chave:

Palmas. Recursos hídricos. Produção do Espaço. Gestão urbana

Resumo

O manejo dos recursos hídricos em aglomerações urbanas, depois da criação da Política Nacional de Recursos Hídricos e da promulgação do Estatuto da Cidade, que estabelece e direciona os planos diretores como principal instrumento de gestão das cidades, vem enfrentando entraves complexos, devido principalmente à ausência de ordenamentos territoriais relacionados diretamente com as políticas hídricas. Diante desses apontamentos, este artigo norteia-se a partir da problemática da produção do espaço e suas consequências para a gestão hídrica frente ao descompasso com as políticas urbanas em Palmas, TO.  Tem o objetivo de apontar, bem como o de refletir sobre a lógica produtiva do espaço urbano de Palmas, frente aos descompassos das políticas públicas, na apropriação e gestão dos recursos hídricos, evidenciando as implicações de uma lógica dicotômica e descompassada de gestão entre dois “alicerces” na discussão e elaboração do desenvolvimento urbano de qualquer cidade: a produção do espaço urbano e os recursos hídricos.

Biografia do Autor

Clóvis Cruvinel da Silva Júnior, Universidade Estadual de Campinas

Instituto de Geociencias UNICAMP/ Programa de Pós-Graduação em Geografia

Antonio Carlos Vitte, Universidade Estadual de Campinas

Instituto de Geociencias UNICAMP/ Programa de Pós-Graduação em Geografia

Referências

ALMEIDA, F. G.; PEREIRA, L. M. O papel da distribuição e da gestão dos recursos hídricos no ordenamento territorial brasileiro. In: Ordenamento Territorial. Coletânea de textos com diferentes abordagens no contexto brasileiro. Org. ALMEIDA. FLÁVIO G. PEREIRA. LUIZ F. MARTINS. Bertand Brasil. Rio de Janeiro. 2009. Peg. 85-113.

BEER, A. R. Environmental Planning for site development. E&FN Spon, London, 1990.

BOTTARI, T.S. Gestão Ambiental e Planejamento municipal: articulações e critérios necessários para a produção de cidades sustentáveis. Dissert. Mestrado na EESC USP, 2005.

BRUYNE, P.; HERMAN, J.; SCHOUTHEETE, M. Dinâmica da pesquisa em ciências sociais: os polos da prática metodológica. Rio de Janeiro: f. Alves, 1977, 252p.

CARNEIRO, P. R. F.; MIGUEZ, M. G. Controle de inundações em bacias hidrográficas metropolitanas. Annablume, São Paulo, 2011, 302 p.

CLARKE, R.; KING, J. O atlas da água. Tradução Anna Maria Quirino. Publifolha, São Paulo, 2005.

FINOTTI, R. A. et al. Monitoramento de recursos hídricos em áreas urbanas. Colaboradores Schneider, Vania Elisabete et al. Educs, Caxias do Sul, 2009. 272p.

FRAN, F.; FERREIRA, F. P. Estudos como a Qualidade de vida na cidade de Palmas, TO: uma análise através de indicadores habitacionais e urbanos. Ambiente e Sociedade. Ano IX, nº 2. JUL/DEZ, 2006.

GALINDO, E. F. Gestão das águas urbanas: construindo uma gestão territorial e ambiental integrada. IV Encontro Nacional da Anppas. Brasília, 2008.

GODIM F. J.; MEDEIROS, V. V. R. Gestão da água no meio urbano e controle de inundações. In: Simpósio Brasileiro de Desastres naturais, 1. 2004, Florianópolis. Anais. Florianópolis GEDN/UFSC, 2004, p. 443-453 (CD-ROM).

GOUVÊA, R. G. A questão metropolitana no Brasil. Editora FCV, Rio de Janeiro, 2005, 324p.

Hardt et al (2008). Urbanização em áreas de mananciais hídricos: estudo de caso em Piraquara, Paraná. Cad. Metrópole 19. pp. 221-243. 10 sem. 2008. Disponível em: < http://www.cadernosmetropole.net/download/cm_artigos/cm19_127.pdf>. Acesso em 20 jan. 2013.

JACOBI, P. Apresentação. In: RIBEIRO, Wagner Costa. Geografia Política da água. Annablume, São Paulo, 2008. 162p.

MAGLIO, I. C. O plano diretor e a sustentabilidade ambiental das cidades. Belém, 2007. Disponível em: http://www.belem.pa.gov.br/planodiretor/paginas/artigos.php. Acesso em: 03 de janeiro de 2013.

MARX, K. Para crítica da economia Política. In: Manuscritos econômicos e filosóficos. Coleção os Pensadores, v.7, 1974

RIBEIRO, W. C. Geografia política da água. Coleção Cidadania e Meio Ambiente. Annablume. São Paulo, 2008, 162p.

RODRIGUES, A.M. Produção e consumo do e no espaço – problemática urbana. Hucitec. São Paulo, 1998, p.239

SOUZA, M. P. Instrumentos de Gestão Ambiental: fundamentos e práticas. São Carlos. Riani Costa, 2000.

TEIXEIRA, L. F. C. A formação de Palmas – dossiê cidades planejadas na hinterlândia. Revista UFG. Ano XI, nº 6. Junho de 2009

TUCCI, C. E. M. Gerenciamento integrado das inundações urbanas no Brasil. Rega/Global Water Partneship South América. Vol.1, nº1 Santiago; GWP/South América, 2004.

______, C. E.M. Gestão de Águas Pluviais Urbanas. Ministério das Cidades – Global Water Partnership - Wolrd Bank – Unesco 2005. 192p.

TUNDISI, J. G.; TUNDISI, T. M. Recursos hídricos no século XXI. Oficina de Textos, São Paulo, 2011, 328p.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão