Políticas públicas e gerenciamento dos recursos hídricos na cidade de Teresina/PI

Autores

  • Tiago Caminha de Lima Universidade Federal do Piauí
  • Albert Isaac Gomes Viana Universidade Federal do Piauí
  • Hikaro Kayo de Brito Nunes Universidade Federal do Piauí
  • Sara Raquel Cardoso Teixeira de Sousa Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1804

Palavras-chave:

Recursos hídricos. Políticas públicas. Teresina/PI

Resumo

Teresina possui localização privilegiada, com quantidade significativa de rios (Parnaíba e Poti), riachos e lagoas, apresentando-se vulneráveis frente ao processo de urbanização causando grandes riscos à qualidade dos recursos hídricos. Diante disso, este estudo objetiva identificar e analisar de que forma as políticas públicas (municipais) voltadas aos recursos hídricos foram desenvolvidas no ano de 2013 na cidade de Teresina/PI. Para alcançá-lo, os procedimentos metodológicos foram: levantamento e análise de materiais teóricos, bibliográficos e documentais (incluindo leis e decretos), pesquisa de campo e realização de entrevistas junto a gestores públicos municipais. Por meio das entrevistas notou-se a desarticulação das ações públicas nos referidos órgãos, mesmo estes possuindo as mesmas características e atribuições legais, diante disso, há a ausência ou diferenciação das políticas públicas nas quatro zonas administrativas da cidade, que, para alguns gestores, está associado a própria infraestrutura dos órgãos e a participação da sociedade nas discussões.

Biografia do Autor

Tiago Caminha de Lima, Universidade Federal do Piauí

Mestre do Programa de Pós-graduação em Geografia/UFPI

Albert Isaac Gomes Viana, Universidade Federal do Piauí

Mestrando pelo Programa de Pós-graduação em Geografia/UFPI. 

Hikaro Kayo de Brito Nunes, Universidade Federal do Piauí

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Geografia/UFPI

Sara Raquel Cardoso Teixeira de Sousa, Universidade Federal do Piauí

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Geografia/UFPI

Referências

BRASIL. Constituição Federativa do Brasil. Lei n° 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Política Nacional de Recursos Hídricos. Brasília: Governo Federal, 1997.

______. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Recursos Hídricos. Caderno da Região Hidrográfico do Parnaíba. Brasília: MMA, 2006.

FERRI, M. B. R.; LUCHI, R. M.; BELLON, S. H. A construção do modelo de capacitação do gestor público estratégico do Espírito Santo: um novo olhar para o desenvolvimento gerencial. In: CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA, 3., 2010, Brasília. Anais... Brasília, 2010.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2009.

VIEIRA, V. P. P. B. A Água e o Desenvolvimento Sustentável no Nordeste. Brasília: IPEA, 2000.

TERESINA. Prefeitura Municipal de Teresina. Lei Orgânica do Município. Texto atualizado até a Emenda 19/2011. Teresina: Câmara Municipal de Teresina, 2011. 138 p.

TUNDISI, J. G. Água no século XXI: enfrentando a escassez. São Paulo: RiMA, IIE, 2003.

PUTTI, F. F. et al. Políticas públicas dos recursos hídricos no desenvolvimento da agricultura irrigada. Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 9, n. 7, 2013.

TEIXEIRA, E. C. O papel das políticas públicas no desenvolvimento local e na transformação da realidade. AATR-BA, 2002.

TERESINA. Prefeitura Municipal de Teresina. Lei Orgânica do Município. ed. rev., ampl. e consol. - Teresina: Câmara Municipal de Teresina, 2011. 138 p. Texto atualizado até a Emenda 19/2011.

TUCCI, C. E. M. Águas urbanas. Estudos Avançados. v. 22, n.63, 2008.

PAGNOCCHESCHI, B.. A Política Nacional de Recursos Hídricos no cenário da integração das políticas públicas. In: MUÑOZ, H. R. (Org.). Interfaces da Gestão de Recursos Hídricos: Desafios da Lei de Águas de 1997. Brasília: Secretaria de Recursos Hídricos, 2000.

MEYER, M. M. Gestão ambiental no setor mineral: um estudo de caso. 2000. Dissertação (Mestrado em Engenharia da Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão