Bacia hidrográfica do Rio Natuba – PE: uma análise através de parâmetros morfométricos

Autores

  • Cristiane Barbosa Da Silva Universidade Federal de Pernambuco
  • Maria Do Socorro Bezerra De Araújo Universidade Federal de Pernambuco
  • José Coelho De Araújo Filho Universidade Estadual de Pernambuco
  • Sheila Maria Bretas Bittar Universidade Federal Rural de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1819

Palavras-chave:

Diagnóstico de enchentes. Hierarquia fluvial. Declividade. Análise de formas

Resumo

A partir do conhecimento morfométrico de uma bacia pode-se planejar melhor os diferentes usos das terras. O objetivo do presente trabalho é a caracterização morfométrica da bacia hidrográfica do rio Natuba - PE, visando identificar atributos auxiliares para a tomada de decisão no manejo da referida bacia. Foram analisados os parâmetros morfométricos de padrão e forma de bacia hidrográfica. Os resultados apresentam os canais classificados até a quarta ordem. As densidades de drenagem e hidrográfica evidenciam a influência do forte controle estrutural e do relevo movimento. A bacia apresente histórico de cheias no período chuvoso. Porém, os dados de coeficiente de compacidade e índice de circularidade não corroboraram os dados históricos de cheias. Esta contradição pode estar associada à combinação da forma alongada da bacia e por está inserida numa zona de cisalhamento. Os parâmetros morfométricos apontam para o controle geológico - estrutural em que a bacia está inserida. 

Biografia do Autor

Cristiane Barbosa Da Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Departamento de Ciências Geográficas/ Universidade Federal de Pernambuco

Maria Do Socorro Bezerra De Araújo, Universidade Federal de Pernambuco

Departamento de Ciências Geográficas/ Universidade Federal de Pernambuco

José Coelho De Araújo Filho, Universidade Estadual de Pernambuco

Embrapa Solos/ UEP

Sheila Maria Bretas Bittar, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Departamento de Agronomia/Universidade Federal Rural de Pernambuco

Referências

ARAÚJO FILHO, J. C.; BARBOSA NETO, M. V.; SILVA, C. B.; ARAÚJO, M. S. B.; MENEZES, J. B. Levantamento Semidetalhado dos Solos da Bacia Hidrográfica do Rio Natuba, Pernambuco. In: Revista Brasileira de Geografia Física, Recife, v. 6, n. 3, p.384-397, 2013.

BARBOSA NETO, M. V. Zoneamento da aptidão agrícola e uso dos solos da área do médio curso do rio Natuba – PE. 2011. 135 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

CASTRO, S. B.; CARVALHO, T. M. Análise morfométrica e geomorfologia da bacia hidrográfica do rio Turvo - GO, através de técnicas de Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento. In.: Revista Scientia Plena, Aracaju, v. 5, n. 2, p. 1- 7, fev.2009.

CHRISTOFOLETTI, A. Análise morfométrica das bacias hidrográficas. Notícia Geomorfológica, Campinas, v. 9, n. 18, p. 36-64, 1969.

_________________. Geomorfologia. 2ª ed. São Paulo: Edgar Blücher, 1980, 188p.

FREITAS, R. O. Textura de drenagem e sua aplicação geomorfológica. Boletim Paulista de Geografia. São Paulo, n. 11, p. 53-57, 1952.

HORTON, R. E. Erosional development of streams and their drainage basins: Hidrophysical approach to quantitative morphology. Geological Society of America Bulletin, Colorado v. 56, n3, p275-370, mar. 1945.

LAMEPE - Laboratório de Meteorologia de Pernambuco. Dados de Precipitação dos municípios de Pombos e Vitória de Santo Antão: Série histórica. Disponível em: http: www.itep.br/LAMEPE.asp Acessado em 20 jan./2011.

LATRUBESSE, E. M.; STEVAUX, J. C.; SINHA, R. Tropical Rivers. In.: Geomorphology. Amsterdam, v. 70, n. 3-4, p. p.187 – 206, 2005.

LIMA, W. P. Princípios de hidrologia florestal para o manejo de bacias hidrográficas. 2ª ed. Piracicaba: ESALQ, 2008, 253p.

MIRANDA, E. C. SUSTENTABILIDADE DE ÁREAS COM HORTICULTURA NO SISTEMA ORGÂNICO E NO CONVENCIONAL E SEU IMPACTO NAS CONDIÇÕES SOCIO – ECONÔMICAS DA COMUNIDADE DE ASSENTADOS NA BACIA DO RIO NATUBA – PE. 2011. 98 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

MILLER, V. C. A Quantitative Geomorphic Study of Drainage basin characteristic in the Clinch Mountain Area. Virginia and Tennessee. Dept. of Geology Columbia University, New York, n.3, p. 389 – 402, set. 1953.

MORISAWA, M. E. Quantitative geomorphology of some watersheds in the Appalachian Plateau. Geological Society of America Bulletin. Colorado, v. 73, n. 9 p. 1025-1046, set.1962.

QUEIROZ, P. B.; SALES, M.C.L. Caracterização Geoambiental e Morfométrica de um trecho do médio curso da bacia hidrográfica do rio Pacoti. In.: XIII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada, 2009, Viçosa. Anais do XIII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2009.

SCHUMM, S. A. Evolution of drainage systems and slopes in badlands of Perth Amboy. Geological Society of America Bulletin. Colorado, v. 67, n.5, p. 597-646, mai. 1956.

SILVA, C. E. M. USO E OCUPAÇÃO DO SOLO EM ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTES DA BACIA HIDROGRÁFICA DO NATUBA, AFLUENTE DO TAPACURÁ – PE. 2006. 65 f. Monografia (Graduação em Ciências Biológicas) – Centro de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

SILVA, C. B. Delimitação das Unidades Geoambientais da Bacia do rio Natuba e estimativa de estoque de carbon no Médio Natuba, Zona da Mata Centro/PE. 2011. 181 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

SILVA, C. B.; ARAÚJO, M. S. B.; ARAÚJO FILHO, J. C.; SCHULZE, S. M. B. B. Delimitação de Geoamabientes numa Bacia Hidrográfica na Zona da Mata de Pernambuco. In: Revista Brasileira de Geografia Física, Recife, v. 5, n. 5, p. 1259-1274, 2012.

SOUZA, S. F. AVALIAÇÃO DA SUSCEPTIBILIDADE À EROSÃO DOS SOLOS DA SUB-BACIA DO ALTO NATUBA – PE: AGREGAÇÃO E COBERTURA VEGETAL. 2009. 85 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

SNADDON, C. D.; WISHART, M. J.; DAVIES, B. R. Some implications of inter-basin water transfer for river ecosystem functioning and water resources management in Southern Africa. In.: Aquatic Ecosystem Health and Management, Philadelphia, v. 1. N. 2, p. 159-182, nov.1998.

STRAHLER, A.N. Hypsometric (area-altitude) analysis and erosional topography. Geological Society of America Bulletin, Colorado, v. 63, n.11, p. 1117-1142, nov.1952.

_______________. Quantitative slope analysis. Geological Society of America Bulletin, Colorado, v. 67, n.5, p. 571-596, mai. 1956.

_______________. Quantitative Analysis of Watershed Geomorphology. In.: Transactions, American Geophysical Union, Washington, v. 38 n. 6, p.913-920, dez.1957.

_______________ . Dimensional analysis applied to fluvial eroded landforms. Geological Society of America Bulletin, Colorado, v. 69, n.3, p.279-300, mar. 1958.

SUDENE – Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste: Biblioteca Celso Furtado, cartas topográficas – folhas Pacas SC.25-V-A-II-1SE e Vitória de Santo Antão SC.25-V-A-II-1-NE 1:25.000, Recife: SUDENE, 1972.

TEODORO, V. L. I.; TEIXEIRA, D.; COSTA, D. J. L.; FULLER, B. B. O conceito de bacia hidrográfica e a importância da caracterização morfométrica para o entendimento da dinâmica ambiental local. In.: Revista UNIARA, Araraquara, v.11, n. 1, p135-157, jan./jun.2007.

TONELLO, K. C.; DIAS, H. C. T.; SOUZA, A. L. RIBEIRO, C. A. A. S.; LEITE, F. P. Morfometria da bacia hidrográfica da Cachoeira das Pombas, Guanhães – MG. In.: Revista Árvore, Viçosa, v. 30, n.5, p.849 – 857, set./out. 2006.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão