A abordagem geossistêmica na compreensão da dinâmica ambiental na bacia hidrográfica do Rio Ipanema, região de Sorocaba-SP

Autores

  • Edson Prates de Souza Universidade Federal de São Carlos
  • Emerson Martins Arruda Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1820

Palavras-chave:

Análise Ambiental. Paisagem. Geossistema. Bacia Hidrográfica

Resumo

O trabalho buscou compreender a dinâmica ambiental da bacia hidrográfica do rio Ipanema a partir de uma abordagem geossistêmica. A área está localizada na região metropolitana de Sorocaba-SP. Metodologicamente foram elaborados documentos cartográficos como declividade, hipsométrico, morfoestrutural, uso e ocupação do solo, e de classificação das paisagens com a utilização de software de geoprocessamento e imagens de satélites. As informações obtidas foram integradas com as observações de campo. A pesquisa contribuiu na análise e integração dos elementos socioambientais da bacia, correlacionando os fatores litológicos, climáticos, pedológicos e vegetação, com as transformações  antrópicas processadas na paisatem, em seus diversos usos e impactos, reesttruturando assim as características do relevo e da paisagem. Foram constatadas as principais zonas de fornecimento, dispersão e zonas de acúmulo de materais, constituindo base para entender a dinâmica da paisagem local e propor a distribuição das formações naturais na bacia e suas características de apropriação e desequilibrios ambientiais.

Biografia do Autor

Edson Prates de Souza, Universidade Federal de São Carlos

Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade na Gestão Ambiental. Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Campus Sorocaba, São Paulo

Emerson Martins Arruda, Universidade Federal de São Carlos

Departamento de Geografia, Turismo, e Humanidades (DGTH). Universidade Federal de São Carlos

Referências

AB’ SABER, A. N. Os Domínios de Natureza do Brasil: Potencialidades Paisagísticas. Ateliê Editorial, São Paulo, 2ºed, 2003.

BERTRAND, Georges. Paisagem e geografia física global: esboço metodológico. Caderno de Ciências da Terra, n. 13, p. 1-27, 1971.

DE BIASI, M. Carta clinográfica: os métodos de representação e sua confecção. Revista do Departamento de Geografia São Paulo, São Paulo, n. 6, p. 45-60, 1992.

DIAS, R. L.; OLIVEIRA, R. C. Análise Das Paisagens do Litoral Sul do Estado de São Paulo. Soc. & Nat., Uberlândia, ano 24 n. 3, p. 505-518, 2012.

GAIOTTO, M. A. Aspectos Sócio-Ambientais dos Resíduos da Bacia do Rio Sorocaba-SP: Uma Contribuição ao Desenvolvimento Regional do Turismo Ecológico. Congresso brasileiro de ciência e tecnologia em resíduos e desenvolvimento sustentável costão do Santinho, Florianópolis/SC, 2004.

MAGALHÃES, G. B.; SILVA, E. V. da; ZANELLA, M. E. Análise Geossistêmica: Caminho para um Pensamento Holístico. Revista do departamento de Geografia da PUC/RJ, ano. 3, n. 5, 2010.

SILVA, E. V. da; RODRIGUEZ, J. M. M. Geoecologia da Paisagem: Zoneamento e Gestão Ambiental em Ambientes Úmidos e Subúmidos. Revista Geográfica de América Central, Número Especial EGAL, Costa Rica, 2011.

SOROCABA. Prefeitura Municipal. Secretaria do Meio Ambiente. Plano Municipal de conservação e recuperação da Mata Atlântica, 2014. Disponível em http://www.meioambientesorocaba.com.br/sema/UserFiles/file/Gest%C3%A3o%20Ambiental%202014/Plano%20Municipal%20de%20Mata%20Atl%C3%A2ntica_Rev14_Vidal Acesso em: 22 mai. 2016.

SOTCHAVA, V. B. Estudo de Geossistemas. Métodos em Questão nº 16. São Paulo: IG, USP, 1977.

RODRIGUEZ, J. M. M.; SILVA, E. D.; CAVALCANTI, A. P. B. Geoecologia da paisagem: uma visão geossistêmica da análise ambiental. Fortaleza: EDUFC, 2004.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão