Análise de riscos e/ou acidentes na área urbana de Ilhéus-Bahia

Autores

  • Patrícia Ferreira Silva Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Ednice de Oliveira Fontes Baitz Universidade Estadual de Santa Cruz

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1879

Palavras-chave:

Áreas de risco. Riscos naturais. Riscos tecnológicos. Risco social. Urbanização

Resumo

Com o crescimento das cidades na última metade do século passado, as cidades sofrem com problemas de infraestrutura advindos da falta de organização urbana. A intensificação da urbanização na modernidade gerou inúmeros problemas relacionados à qualidade e condições de vida humana nas cidades. No contexto da urbanização brasileira, nota-se que os espaços foram ocupados de modo a refletir as desigualdades sociais presentes na estrutura da nossa sociedade, este padrão de ocupação dos espaços continua nos dias atuais. Desta forma, este artigo objetiva analisar as condições de risco nas localidades Avenida Princesa Isabel e bairro Tapera da cidade de Ilhéus, identificando as principais causas de riscos naturais, tecnológicos e/ou sociais, através de levantamentos e análises documentais e bibliográficas; Pesquisa de campo para reconhecimento; Identificação das áreas de risco com base em mapeamento já realizado por Franco (2008), e sistematização dos dados da Coordenação Municipal de Defesa Civil da Prefeitura de Ilhéus.

Biografia do Autor

Patrícia Ferreira Silva, Universidade Estadual de Santa Cruz

Discente do curso de licenciatura em Geografia DCAA/UESC, Bolsista PROIC/CNPQ.

Ednice de Oliveira Fontes Baitz, Universidade Estadual de Santa Cruz

Docente do curso de Geografia DCAA/UESC e orientador.

Referências

AB`SÁBER, A.N. Um Conceito de Geomorfologia a Serviço das Pesquisas sobre o Quaternário. São Paulo, Geomorfologia, n. 18, p.1-23, 1969. ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO DO BRASIL. Ilhéus, BA. Disponível em: <http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/ilheus_ba>. Acesso em: 08 fev. 2017.

BRASIL. Lei Lehmann: Lei 6.766, em 19 de dezembro de 1979. Disponível em: <http://www.senado.gov.br/sf/legislacao/>. Acesso em: 17 de fev. 2017.

CARLOS, Ana Fani Alessandri. O Espaço Urbano: Novos Escritos sobre a Cidade. São Paulo: FFLCH, 2007, 123p. Inclui bibliografia. 1. Espaço 2. Cidade 3.

CERRI, L. E. S.; NOGUEIRA, F. R. Mapeamento e gestão de riscos de escorregamentos em áreas de assentamentos precários. In: GUIMARÃES, S. T. L.; JÚNIOR, S. C.; GOGOY, M. B. R. B.; TAVARES, A. C. (Orgs.). Gestão de Áreas de Riscos e Desastres Ambientais. 1º edição. Rio Claro: IGCE/UNESP/RIO CLARO, 2012, p. 406.

COORDENAÇÃO MUNICIPAL DE DEFESA CIVIL. PREFEITURA DE ILHÉUS- COMDEC. Registro de ocorrências de movimentos de massa sucedidos na área urbana de Ilhéus-BA nos períodos de janeiro de 2002 a julho de 2014.

DAGNINO, R. S.; JÚNIOR, S. C. Risco Ambiental: conceitos e aplicações. Climatologia e estudos da Paisagem, Vol. 2 – n.2 – julho/dezembro/2007, p. 50.

DAVIS, M, 1946. Planeta Favela. São Paulo: Boitempo, 2006. p. 272

FRANCO, G. B. Risco a escorregamento de encostas do sítio urbano de Ilhéus (BA) como contribuição ao planejamento urbano. 159 f. Dissertação (Mestrado Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA-IBGE. Sinopse por setores. Disponível em: <http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopseporsetores/?nivel=st>. Acesso em 06 de fev. 2017.

Manual técnico de geomorfologia / IBGE, Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Ambientais. – 2. ed. - Rio de Janeiro: IBGE, 2009.182 p.

NUNES, C. M. et al. O cadastro das áreas de risco e a carta geotécnica a serviço de um trabalho interdisciplinar. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 38, 1994, Balneário de Camboriú. Anais... Balneário de Camboriú: CBG, 1994. p. 492-494.

OLIVEIRA, E. L. A. Áreas de risco geomorfológico na bacia hidrográfica do Arroio Cadena, Santa Maria/RS: Zoneamento e Hierarquização. Dissertação (Mestrado) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, julho de 2004. P. 147.

QUEIRÓZ, M.; VAZ, T.; PALMA, P. Uma reflexão a propósito do risco. Centro de Estudos Geográfico: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 2006, p. 23.

ROSS, J. L. S. Geomorfologia: ambiente e planejamento. 3. ed. São Paulo: Contexto, 1996.

SOARES, P. R. Cidades Médias e aglomerações urbanas: A nova organização do espaço regional no sul do Brasil. In: SPOSITO, E. S.; SPOSITO, M. E. B.; SOBARZO, O. (Orgs.). Cidades Médias: produção do espaço urbano e regional. 1º edição. São Paulo: Editora Expressão Popular, 2006. 376 p.

VIEILLARD-BARON, H. Os riscos sociais. In: VEYRET, Y. (Org.) Os Riscos: o homem como agressor e vítima do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2007. p. 275-316.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física e Desastres Naturais