Uso da terra e as implicações ambientais no município de Amélia Rodrigues-BA

Autores

  • Caio Vinicius da Silva Carvalho Bacelar Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Israel Oliveira Junior Universidade Federal da Bahia
  • Kezia Andrade dos Santos Universidade Estadual de Feira de Santana

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1881

Palavras-chave:

Paisagem. Indicador ambiental. Geotecnologias. Estado ambiental

Resumo

Por meio deste trabalho, objetivou analisar o uso e cobertura da terra no município de Amélia Rodrigues-BA, para identificar as implicações ambientais. Para a realização do mapeamento de uso e cobertura da terra foram aplicadas as geotecnologias, associados aos levantamentos de dados em campo e referências bibliográficas específicas. A interpretação visual das imagens do sensor Pleiades 1A, possibilitou vetorizar os principais usos da terra e feições originárias, para a construção do mapa na escala de 1/10000. Identificou-se que 12 classes  caracterizam a cobertura da terra municipal, com ampla espacialização das agricultura mecanizada, lavoura e pastagem alternadas e pastagem. As atividades agropecuárias são fatores importantes que dão feições à paisagem municipal e implicam, fortemente, em estados de deterioração ambiental. As práticas mais comuns são as de queimadas e de desmatamento, que expõem os solos as intempéries, causam erosão, a distribuição de pequenas manchas de feições vegetais do bioma mata atlântica, resultante das implicações da relação sociedade- natureza, que ampliam a vulnerabilidade ambiental. 

Biografia do Autor

Caio Vinicius da Silva Carvalho Bacelar, Universidade Estadual de Feira de Santana

Departamento de Ciências Humanas e Filosofia

Israel Oliveira Junior, Universidade Federal da Bahia

Instituto de Geociências

Kezia Andrade dos Santos, Universidade Estadual de Feira de Santana

Departamento de Ciências Humanas e Filosofia

Referências

BRASIL, Ministério das Minas e Energia. Projeto RADAMBRASIL: Folha SD.24 Brasília; geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso potencial da terra. Rio de Janeiro: Ministério das Minas e Energia, 1982.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Controle dos Processos Erosivos Lineares (ravinas e voçorocas) em Áreas de Solos Arenosos. Jaguariúna: EMBRAPA, 2011.

GOMES, M. L.; MARCELINO, M. M.; ESPADA, M. G. Proposta para um sistema de indicadores de desenvolvimento sustentável. Lisboa: Graf & Lito, 2000.

HAMMES, V. S. Erosão: Um indicador de impacto ambiental. Jaguariúna: EMBRAPA, 2002.

IBGE. Pesquisa Pecuária Municipal, 2016. Disponível em < http://www.ibge.gov.br >. Acesso em: 20 fev. 2016.

KRAEMER, M. E. P. Indicadores Ambientais como Sistema de Informação. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 24. (ENEGEP), 2004, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ABEPRO, 2004. Disponível em < http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2004_Enegep1002_0087.pdfpdf >. Acesso em: 1 mar. 2014.

LEFF, H. Ecologia, capital e cultura: a territorialização da racionalidade ambiental. Petrópolis: Vozes, 2009.

MAGALHÃES, R. A. Erosão: definições, tipos e formas de controle. In: Simpósio Nacional de Controle de Erosão, 7. 2001, Goiânia. Anais... Goiânia, SNCE, 2001. Disponível em < http://www.labogef.iesa.ufg.br/links/simposio_erosao/articles/T084.pdf >. Acesso em: 1 mar. 2014.

MILHOMEM, P. S.; MAMAN, E. J.; OLIVEIRA; F. M. Bacias sedimentares brasileiras: bacia do Recôncavo. Aracaju: Phoenix, 2003.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Indicadores Ambientais, 2007. Disponível em: <http://www.mma.gov.br> Acesso em 18 abr. 2016.

SÁNCHEZ, Luis Enrique. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de Textos, 2006.

SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL. Ação emergencial para delimitação de áreas em alto e muito alto risco a enchentes, inundações e movimentos de massa: Amélia Rodrigues. Distrito Federal, DF: CPRM, 2015.

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOREFERENCIADAS- SIG-BAHIA. Sistema de Informações sobre Recursos Hídricos- SIRH. Superintendência de Recursos Hídricos. Salvador, 2003.

TOMASONI, M. A. Análise das transformações socioambientais com base em indicadores para recursos hídricos no cerrado baiano: o caso da bacia hidrográfica do Rio de Ondas / BA. Tese (Doutorado em Geografia) – Programa de Pós-graduação em Geografia, Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, 2008

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Uso e ocupação das terras e legislação ambiental