Análise multitemporal da ocupação irregular das margens do Rio 40 Horas no município de Ananindeua-PA

Autores

  • Yuri Alefh Saraiva Dias Universidade Federal do Pará
  • Gierre Martins de Sousa Júnior Universidade Federal do Pará
  • Ney Leonardo Silva Soares Universidade Federal do Pará
  • Gabriel Santos Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1893

Palavras-chave:

Ocupação do solo. Assoreamento. Poluição. Microbacia hidrográfica do Ariri

Resumo

O Rio 40 horas situa-se no subsistema hidrográfico do Ariri, na região metropolitana de Belém, no município de Ananindeua no estado do Pará, abrangendo três bairros: Cidade Nova, 40 horas e Icuí-Guajará. O Objetivo do trabalho é fazer uma análise multitemporal da área de estudo, apresentando o levantamento de impactos produzidos na drenagem decorrentes das ocupações e uso do solo que são constatadas na paisagem do município, como a retirada da vegetação, além da ocupação nas margens do rio por condomínios habitacionais, comércios e casas, que contribuem para a degradação do ambiente, ocasionando então o assoreamento e poluição do rio. Foram utilizados softwares, e imagens do Google Earth para analisar o ambiente a fim de mostrar o uso das terras, fazendo uma análise temporal de 20 anos, para a obtenção dos resultados. Concluindo, notamos que os usos das ferramentas digitais de processamento GIS são de extrema importância para a gestão e ordenamento territorial.

Biografia do Autor

Yuri Alefh Saraiva Dias, Universidade Federal do Pará

Faculdade de Tecnologia em Geoprocessamento, Universidade Federal do Pará.

Gierre Martins de Sousa Júnior, Universidade Federal do Pará

Faculdade de Tecnologia em Geoprocessamento, Universidade Federal do Pará.

Ney Leonardo Silva Soares, Universidade Federal do Pará

Faculdade de Tecnologia em Geoprocessamento, Universidade Federal do Pará.

Gabriel Santos, Universidade Federal do Pará

Faculdade de Tecnologia em Geoprocessamento, Universidade Federal do Pará.

Referências

COELHO, André Luiz Nascentes. Geomorfologia fluvial de rios impactados por barragens-Fluvial Geomorphology Of Rivers Impacted From Dams. Caminhos de Geografia, v. 9, n. 26, 2008.

CONAMA, Resolução. 357, de 17 de março de 2005. Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, v. 357, 2005.

COSTANTINI, Maria Letizia et al. NDVI spatial pattern and the potential fragility of mixed forested areas in volcanic lake watersheds. Forest Ecology and Management, v. 285, p. 133-141, 2012.

DE OLIVEIRA, Josafá Ribeiro et al. Potencialidades De Águas Subterrâneas No Município De Ananindeua. Águas Subterrâneas, 2001.

DEMOGRÁFICO, IBGE Censo. Disponível em:< http://www. ibge. gov. br>. Acesso em 10 de outubro de 2016, v. 1, 2005.

ESRI. Environmental Systems Research Institute. ArcGIS 10.1. Disponível em: <http://www.esri.com/news/arcnews/spring12articles/introducing-arcgis-101.html>. Acesso em: 10 de outubro de 2016.

GOOGLE EARTH. Earth Pro Store. Disponível em: . Acesso em 08 de outubro de 2016.

INPE. Instituto Nacional De Pesquisas Espaciais. Disponível em: <http://www.dgi.inpe.br/siteDgi/portugues/index. php>. Acesso em: 10 de outubro de 2016.

PADILHA, Damáris Gonçalves. Geoprocessamento aplicado na caracterização da fragilidade ambiental da bacia hidrográfica do Arroio Grande, RS. 2008. Tese de Doutorado. Dissertação de Mestrado, Departamento de Matemática, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

PIMENTEL, M. A. da S. et al. Análise Preliminar De Impacto Ambiental Nas Nascentes Do Rio Maguariaçu – Ananindeua – Pa. 2006

QUARESMA, J. B. Diagnóstico dos Resíduos Sólidos da Cidade de Monte Alegre – Belém: CPRM/Primaz, 1998. 40. Il.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Uso e ocupação das terras e legislação ambiental