Geografia física e geodiversidade: análise da produção científica brasileira entre os anos de 2007 e 2016

Autores

  • Mauricio Mendes Von Ahn Universidade Federal de Pelotas
  • Adriano Luís Heck Simon Universidade Federal de Pelotas.

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1957

Palavras-chave:

Geopatrimônio. Geoconservação. Pesquisa Científica

Resumo

O estudo tem como objetivo analisar a produção geográfica brasileira voltada à temática da geodiversidade, com base nos trabalhos publicados em dois eventos tradicionais da geografia física brasileira: o Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada e o Simpósio Nacional de Geomorfologia, a fim de compreender quais abordagens sobre geodiversidade têm sido realizadas por parte dos geógrafos físicos e especialistas em geomorfologia. Foi realizado um levantamento e análise dos artigos publicados nestes dois eventos, abrangendo a temática da geodiversidade, considerando o recorte temporal entre os anos de 2007 e 2016. Foi verificada uma significativa evolução nos estudos sobre geodiversidade durante o recorte espacial analisado, sendo que os geossítios e geoparques reconhecidos já vêm despertando ações por parte das pesquisas atreladas à geografia física e geomorfologia. Este fato evidencia que os geógrafos físicos têm preocupação com os aspectos de reconhecimento, planejamento e gestão da geodiversidade enquanto abordagem integradora da geografia física aplicada.

Biografia do Autor

Mauricio Mendes Von Ahn, Universidade Federal de Pelotas

Programa de Pós-Graduação em Geografia/Universidade Federal de Pelotas.

Adriano Luís Heck Simon, Universidade Federal de Pelotas.

Departamento de Geografia e Programa de Pós-graduação em Geografia/Universidade Federal de Pelotas,

Referências

BORBA, A. W. Geodiversidade e geopatrimônio como bases para estratégias de geoconservação: conceitos, abordagens, métodos de avaliação e aplicabilidade no contexto do Estado do Rio Grande do Sul. Pesquisa em Geociências, v.38, p.3-14, 2011.

BRILHA, J. Patrimônio Geológico e Geoconservação: a conservação da natureza em sua vertente Geológica. Braga: Palimage, 2005.

CARCAVILLA, L.; DURÁN, J. J.; LÓPEZ-MARTINEZ, J. Geodiversity: concept and relation to geological heritage. Geo-Temas, 10. In: VII Geological Congress of Spain. Las Palmas de Gran Canaria, 2008.p 1299–1303.

GRAY, M. Geodiversity: valuing and conserving abiotic nature. Wiley: Chichester, 2004.

GRAY, M. Geodiversity: a new paradigm for valuing and conserving geoheritage. Series Geocience Canada, v.35, n.2, p.51-59, 2008.

LIMA, F. Proposta Metodológica para a Inventariação do Património Geológico Brasileiro. 2008. 94 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade do Minho, Braga.

LOPES, L. S. O.; ARAÚJO, J. L. L. Princípios e estratégias de geoconservação. Revista Eletrônica de Geografia, v. 3, n.7, p.66-78, 2011.

JOHANSSON, C.E.; ANDERSEN, S.M. Geodiversity in the nordic countries. ProGeo News, v.1, p.1-3, 1999.

KOZLOWSKI, S. Geodiversity: the concept and scope of geodiversity. Przegląd Geologiczny, v.52, n.8, p.833-837, 2004.

MANOSSO, F. C. Potencialidades da paisagem na Região da Serra do Cadeado-PR: abordagem metodológica das relações entre a estrutura geoecológica, a geodiversidade e o geoturismo. 2012. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade Estadual de Maringá, Paraná.

NASCIMENTO, M.; MANSUR, K. L.; MOREIRA, J. C. Bases conceituais para entender a Geodiversidade, Patrimônio Geológico, Geoconservação e Geoturismo. Revista Ecuador, v. 4, n.3, ´p.48-68, 2015.

NIETO, L. M. Geodiversidad: propuesta de una definición integradora. Boletín Geológico y Minero, v. 112, p.3-11, 2001.

PEREIRA, A. R. Património geomorfológico no litoral sudoeste de Portugal. Finisterra, XXX, 59-60, Lisboa, pp. 7-25, 1995.

PEREIRA, R.G.F.A. Geoconservação e Desenvolvimento Sustentável na Chapada Diamantina (Bahia – Brasil). 2010. Tese (Doutorado em Geociências), Universidade do Minho, Portugal.

PROSSER, C. Terms of endeament. Earth Heritage Gwynedd, v. 17, p.12 – 13, 2002.

REYNARD, E. La géomorphologie et la création des paysages. Actes Du séminaire de trosièmecycle de géographie, Paysages géomorphologiques, Instituts de Géographie des Universités de Lausanne et Fribourg, p. 9-20, 2003.

SHARPLES, C. Concepts and principles of geoconservation.PDF document, Tasmanian Parks and Wildlife Service, 2002.Website: www.parks.tas.gov.ua/tpws.html.

SCHOBBENHAUS, C. et al.(Org.). Sítios geológicos e paleontológicos do Brasil. Brasília: DNPM, CPRM, SIGEP, 2002. 540 p.

SCHOBBENHAUS, C.; SILVA, C. R. (Org.). Geoparques do Brasil-Propostas. Serviço Geológico do Brasil-CPRM, 2012, v. 1, 745 p.

WINGE, M. et al. (Org.). Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Brasília: CPRM, 2009. v. 2, 515p.

WINGE, M. et al. (Org.) Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Brasília: CPRM, 2013. v. 3, 336p.

ZOUROS, N. Assessment, protection and promotion of the geomorphological and geological sites in the Aegean area, Greece. In: Revue du Groupe Français de Géomorphologie, n. 3, p. 227-234, 2005.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geodiversidade, Geoarqueologia e Patrimônio Natural