Expansão urbana como ameaça à geodiversidade: estudo de caso em Santos-SP

Autores

  • Débora Silva Queiroz Universidade de São Paulo
  • Maria da Glória Motta Garcia Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1958

Palavras-chave:

Geodiversidade. Geoconservação. Inventário. Santos

Resumo

A geodiversidade é composta pelos elementos abióticos e os processos que os originam e os modelam, possuindo valores que lhe são atribuídos de acordo com os elementos. A geodiversidade está sujeita a diversas ameaças, antrópicas ou processos naturais, necessitando de propostas de geoconservação para a proteção das características. Este artigo tem o objetivo de discutir a destruição de um potencial geossítio. Na etapa de inventário da geodiversidade de Santos (SP) foi identificado um afloramento que apresenta as evidências de movimentos tectônicos que moldaram o continente sulamericano, porém com a ampliação do Porto de Santos tal afloramento foi destruído e cedeu espaço a um pátio para contêineres e estruturas para atracar os navios. Assim, nota-se que a geodiversidade é passível de ameaças e carece de maior divulgação e pesquisas para que os locais relevantes sejam levados em consideração nos planos de gestão territorial.

Biografia do Autor

Débora Silva Queiroz, Universidade de São Paulo

Aluna de Pós-Graduação em Geociências. Instituto de Geociências / USP

Maria da Glória Motta Garcia, Universidade de São Paulo

Núcleo de Apoio à Pesquisa em Patrimônio Geológico e Geoturismo (GeoHereditas), Instituto de Geociências / Universidade de São Paulo

Referências

AFONSO, C. M. A paisagem da Baixada Santista: urbanização, transformação e conservação. São Paulo, EDUSP/FAPESP. 309 p. 2006.

BRILHA, J. B. R. Patrimônio Geológico e Geoconservação: a conservação da natureza na sua vertente geológica. Braga: Palimage Editora, 190 p. 2005.

_______________ Inventory and Quantitative Assessment of Geosites and Geodiversity Sites: a Review. Geoheritage, 8(2): 119-134. 2016.

GRAY, M. Geodiversity: Valuing and conserving abiotic nature. John Wiley e Sons Ltd., Chichester, England, p. 434. 2004.

_________ Geodiversity: Valuing and conserving abiotic nature, 2nd edition. Londres, John Wiley & Sons, 508 p. 2013.

HEILBRON, M., et al. Província Mantiqueira. In: MANTESSO-NETO et al. Geologia do continente Sul-americano: evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo. Ed. Deca. Pág. 203-236. 2004.

PORTO DE SANTOS. Resumo Histórico. Disponível em: < http://www.portodesantos.com.br/historia.php>. Acesso em: 02 fev. 2017.

MUCIVUNA et al. Aspectos geológicos, históricos e estado de conservação das fortificações da Baixada Santista, litoral paulista. In: Revista do Instituto Geológico, São Paulo, 37 (1), 29-48, 2016.

REVERTE, F. C.. Avaliação da Geodiversidade em São Sebastião - SP, como Patrimônio Geológico. 2014. Dissertação (Mestrado em Mineralogia Experimental e Aplicada) - Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

SHARPLES, C. Concept sand Principles of Geoconservation. Disponível em Tasmanian Parks e Wildlife. Service, Australia. 2002.

SILVA, C. R. Geodiversidade do Brasil: conhecer o passado para entender o presente e prever o futuro. Rio de Janeiro, CPRM. 2008.

SILVA et al. Projeto Santos - Iguape - Relatório final geologia. Brasília, Ministério das Minas e Energia, DNPM - CPRM, v. 1. 1977.

SUGUIO, K. e MARTIN, L. Formações quaternárias marinhas do litoral paulista e sul fluminense. Quaternary marine formations of the States of São Paulo and southern Rio de Janeiro. In: International Symposium on Coastal Evolution in the Quaternary, São Paulo. Special Publication, São Paulo. n 1, 55p. 1978.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geodiversidade, Geoarqueologia e Patrimônio Natural