Paisagem de exceção e os problemas ambientais da Serra de João do Vale

Autores

  • Francisco Hermínio Ramalho de Araújo Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Marco Túlio Mendonça Diniz Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1976

Palavras-chave:

Paisagem de exceção. Problemas ambientais. Serra de João do Vale

Resumo

O estudo da paisagem de forma integrativa ganhou perspectiva no Brasil com base na concepção geossistêmica de Bertrand (1971) e Sotchava (1977). O Brasil possui uma diversidade paisagística e no interior dos grandes domínios são encontradas paisagens diferenciadas representadas como enclaves ou paisagens de exceção. Tomando como referência os trabalhos de Ab’Saber (2003) o presente trabalho objetiva fazer uma análise integrada da paisagem e dos problemas ambientais da Serra de João do Vale sob a hipótese de ser esse ambiente uma serra úmida ou paisagens de exceção. Esse estudo requer o conhecimento da área como um todo, fazendo uma análise físico-ecológica do ambiente e buscando conhecer as potencialidades paisagísticas e os efeitos das ocupações.

Biografia do Autor

Francisco Hermínio Ramalho de Araújo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Secretária de Estado da Educação e da Cultura - SEEC, Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Marco Túlio Mendonça Diniz, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Departamento de Geografia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Referências

AB’SÁBER, A. N. Sertões e sertanejos: uma geografia humana sofrida. Dossiê Nordeste Seco, RevistaEstudosAvançados 13 (35). São Paulo, SP: USP, 1999, pp. 60-68.

____.Os Domínios de Natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo, SP: Ateliê Editorial,2003.

BERTALANFFY, L. V. Teoria Geral dos Sistemas. Petrópolis, Vozes, 1968.

BERTRAND, G. Paisagem e geografia global: esboço metodológico. Cadernos de Ciências da Terra, v. 13, p. 1-27. 1971

CAVALCANTE, A. Jardins Suspensos no Sertão. Scientific American Brasil, São Paulo, v. 32, p. 66-73, 2005.

CPRM - SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea. Recife: CPRM/PRODEEM, 2005.

DINIZ, M. T. M.; OLIVEIRA, G. P. Compartimentação e caracterização das unidades de paisagem do Seridó Potiguar. Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities research medium, Ituiutaba, v. 6, n. 1, p. 291-318, jan./jun. 2015.

FREIRE, L. M. Paisagensde exceção: problemas ambientais no Município de Mulungu, serra de Baturité. Dissertação (Mestrado em Geografia) – UEC, Fortaleza, 2007. 134p.

MAIA, R. P. Geomorfologia e Neotectônica no Vale do Apodi-Mossoró RN. 2012. 218 f. Tese (Doutorado em Geodinâmica e Geofísica) - Natal: UFRN/PPGG, 2012.

MAIA, R. P.; BEZERRA, F. H. R. Tópicos de Geomorfologia estrutural: Nordeste brasileiro. Fortaleza: edições UFC, 2014.

MAIA, R. P. et al. Geomorfologia do Rio Grande do Norte. In: ALBANO, Gleydson Pinheiro; FERREIRA, L. S.; ALVES, A. M. (Org.). Capítulos de Geografia do Rio Grande do Norte. 1. ed. Natal: Manimbu, 2013.

MEDEIROS, V. C. et al. Geologia. In: ____. PFALTZGRAFF, Pedro Augusto dos Santos; TORRES, Fernanda Soares de Miranda (org.). Geodiversidade do estado do Rio Grande do Norte. Recife: CPRM, 2010.

MENEZES, M. R. F. Estudos Sedimentológicos e o Contexto Estrutural da Formação Serra do Martins, nos Platôs de Portalegre, Martins e Santana/RN. Dissertação (Mestrado em Geografia) – UFRN, Natal, 1999.

RODRIGUES, C. A teoria geossistêmica e sua contribuição aos estudos geográficos e ambientais. São Paulo, Revista do Departamento de Geografia – USP, 14, 2001.

SANTOS, M. Paisagem e Espaço. Metamorfose do Espaço Habitado:Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Geografia. São Paulo: EDUSP, 2008.

SOTCHAVA, V. B. O estudo dos geossistemas. Métodos em questão.n. 16, IGEOG-USP, São Paulo, 1977. 51 p

SOUZA, M. J. N.; OLIVEIRA, V. P. V. Os enclaves úmidos e sub-úmidos do Semi-árido do Nordeste brasileiro. Mercator, v. 05, n. 09, p. 85-102. 2006.

SOUZA, M. L. Os conceitos fundamentais da pesquisa sócio-espacial. 2ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2015.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geodiversidade, Geoarqueologia e Patrimônio Natural