Impactos das obras costeiras na morfologia da linha de costa: o caso do Porto do Açu, São João da Barra, RJ

Autores

  • Luca Lämmle Universidade Federal Fluminense
  • Eduardo Manuel Rosa Bulhoes Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1986

Palavras-chave:

Porto do Açu. Obras Portuárias. Linha de Costa. Progradação. Retrogradação

Resumo

Com construção iniciada em outubro de 2007 e área total de 90 km², o Porto do Açu é um complexo portuário privativo de uso misto e se trata de um projeto inovador da empresa Prumo – logística global, com dois terminais, um offshore (costa afora) e outro onshore (costa adentro), em construção no município de São João da Barra, localizado no litoral Norte Fluminense, próximo à Bacia de Campos, área responsável por 85% da produção de petróleo e gás do Brasil. O objetivo deste trabalho é identificar as alterações ocorridas na morfologia da linha de costa do litoral, que abrange a área de influência direta do Porto do Açu a partir da construção das obras costeiras relacionadas ao porto e pretende demonstrar a dinâmica da linha de costa antes e após a instalação das obras portuárias. As crescentes intervenções que vem sendo feitas na área de estudo é a principal justificativa para a realização deste estudo. Os resultados mostraram que houve uma progradação na linha de costa de 7,792 hectares e retrogradação de 1,325 hectares. Tais resultados estão baseados na posição da linha de costa em seis diferentes anos, partindo do que está disponível no Google Earth Pro e posteriormente a utilização de softwares de geoprocessamento para obter estes números.

Biografia do Autor

Luca Lämmle, Universidade Federal Fluminense

Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal Fluminense.

Eduardo Manuel Rosa Bulhoes, Universidade Federal Fluminense

Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal Fluminense

Referências

ALFREDINI, Paolo; ARASAKI, Emilia. Obras e gestão de portos e costas: a técnica aliada ao enfoque logístico e ambiental. 2 ed. São Paulo: Blucher, 2009. 776 p.

ANDERS, F. J., and BYRNES, M.R., 1991. Accuray of Shoreline Change Rates as Determined From Maps and Aerial Photographs. Shore and Beach, 59(1): 17-26.

BASTOS, A. C. 1997. Análise Morfodinâmica e Caracterização de Processos Erosivos ao Longo do Litoral Norte Fluminense, Entre Atafona e Cabiúnas, RJ, Brasil. Dissertação de mestrado. Universidade Federal Fluminense, Departamento de Geologia. 135p.

BASTOS, A. C; SILVA, C.G. Caracterização Morfodinâmica do Litoral Norte Fluminense, Revista Brasileira de Oceanografia. Niterói, 48(1): 41-60, 2000.

BERNARDES, L. M. C. Planície litorânea e zona canavieira do Estado do Rio de Janeiro. Conselho Nacional de Geografia, Rio de Janeiro. 1957.

CAL, Consultoria Ambiental Ltda. Porto do Açu – RJ: RIMA - Relatório de Impacto ao Meio Ambiente. Volume Único. Agosto/2006.

CANCIAN, T. B. Evolução Recente e Predição da Linha de Costa da Praia de Camburi, Vitória-E.S. Vitória, 2009.

CASSAR, C. M.; NEVES, C. F. 1993. Aplicação das Rosas de Transporte Litorâneo à Costa Norte Fluminense. RBE, 11:81-103.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. 2 ed. São Paulo: Edgar Blücher, 1979.

DIAS, G.T.M. 1981. O Complexo Deltáico do Rio Paraíba do Sul. In: Simpósio do Quaternário no Brasil. Publicação Especial. No.2 p.58-88.

DIAS, G.T.M., GORINI, M.A.A. 1980. Baixada Campista: Estudo Morfológico dos Ambientes Litorâneos. Anais do XXXI Congresso Brasileiro de Geologia. Camboriú. Vol. 1: 588-602.

DOLAN R.; HAYDEN, B.; HEYWOOD, J. 1978. A New Photogrammetric Method for Determining Shoreline Erosion Coastal Engineering, 2: 21-39. Elsevier Scientific Publishing Company, Holanda.

DOMINGUEZ, J.M.L.. BITTENCOURT, A.C.S.P. e MARTIN, L. - 1981 - Esquema evolutivo da sedimentação quaternária nas feições deltaicas dos rios São Francisco (SE AL), Jequitinhonha (BA), Doce (ES) e Paraíba do Sul (RJ). Rev. Bras. Ceoc. 11(4):227-23.

KRAUS, N. C; J.D. ROSATI. Interpretation of shoreline – Position Data For Coastal Engineering Analysis. Coastal Engineering Technical Note, CETN II-39, U.S. Army, Engineer Research and Development Centre, Vicksburg, M.S. 1997.

MAGINE, Christiano. A Influência Da Estrutura Portuária Na Dinâmica Costeira na Vila do Pecém, Ceará, Brasil. Revista de Geologia, Vol. 24, nº 2, 136 - 149, 2011

MARQUEZ, Andre L. Estudo de agitação, correntes induzidas por ondas e balanço sedimentar da região do porto do tubarão e praia de Camburi, Vitória / ES. USP, instituto oceanográfico. São Paulo, 2009.

MARTIN, L.; SUGUIO, K.; DOMINGUEZ, J.; FLEXOR, J.M.; AZEVEDO, A. 1984. Evolução da Planície Costeira do Rio Paraíba do Sul (RJ) Durante o Quaternário: Influência das Flutuações do Nível do Mar. Anais do XXXIII Congresso Brasileiro de Geologia. Rio de Janeiro.

MUEHE, D. Geomorfologia Costeira. In: GUERRA, A.J.T. & CUNHA, S.B. (eds), Geomorfologia: Uma atualização de bases e conceitos. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1994.

MUEHE, D. O Litoral Brasileiro e sua Compartimentação. In: CUNHA, S. B. e GUERRA, A. J. T.(org). Geomorfologia do Brasil. Bertrand Brasil: Rio de Janeiro, 1998.

MUEHE, D.; CORRÊA, C.H.T. (1989) - The Coastline Between Rio de Janeiro and Cabo Frio. In: Claudio Neves (ed.), Coastlines of Brazil, pp.110-123, American Society of Civil Engineers (ASCE), New York, NY, U.S.A. ISBN: 978-0872627079.

NORDSTROM, Karl F. Recuperação de praias e dunas. São Paulo: Oficina de textos, 2010. 263 p.

PETROBRAS. Bacia de campos. Disponível em: <http://www.petrobras.com.br/pt/nossasatividades/principais-operacoes/bacias/bacia-de-campos.htm>. Acesso em: 05 nov. 2014.

RANGEL, H.D.; MARTINS, F.A.L.; ESTEVES, F.R. & FEIJÓ, F.J. – 1994. Bacia de Campos. In: Boletim de Geociências da Petrobras nº1, vol.8. PETROBRAS. Rio de Janeiro, Brasil.

ROCHA, T. Morfodinâmica Costeira e Gestão de Orla Marítima em Costa Sob Influência Fluvial: Borda meridional do atual delta do Rio Paraíba do Sul (RJ). 2009. 141 f. Dissertação - Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2009.

SILVA, C. G. 1987. Estudo da Evolução Geológica e Geomorfológica da Região da Lagoa Feia, RJ. Dissertação de mestrado. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Geologia.116p.

SMITH, G. L., and ZARILLO, G. A., 1990. Calculating Long-term Shoreline Recession Rates Using Aerial Photograpgic and Beach Profiling Techniques. In: Journal of Coastal Research, v. 6, no. 1, p. 111-120.

SOUZA, M. H. S. 1988. Clima de ondas do norte do estado do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Engenharia Oceânica, Universidade Federal do Rio de Janeiro/ COPPE, 181p.

ZHANG, K.; HUANG, W.; DOUGLAS, B.C., and LEATHERMAN, S.P. Shoreline Position Variability and Long-term Trend Analysis. Shore and Beach, n.70, v.2, p.31–35, 2002.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Dinâmica e Gestão de Zonas Costeiras