Processo de uso e ocupação no estuário do rio Acaraú – Ceará e áreas adjacentes, uma análise multitemporal das formas de uso

Autores

  • Paulo Roberto Silva Pessoa Universidade Estadual do Ceará
  • Lidriana de Souza Pinheiro Universidade Estadual do Ceará
  • Jáder Onofre de Morais Universidade Estadual do Ceará
  • Aurilea Bessa Alves Secretaria de Educação Ceará

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1990

Palavras-chave:

Estuário do rio Acaraú. Mapas temáticos. Paisagem

Resumo

Os sucessivos ciclos econômicos que se desenvolveram no litoral cearense durante o século XX e nas primeiras décadas do século atual, baseiam-se na extração de sal marinho, na pesca artesanal e na cadeia econômica associada a pesca da lagosta. Recentemente tem se destacado outras atividades como a carcinicultura, o turismo, a expansão imobiliária nas áreas proximas a faixa praial e mesmo nos tabuleiros costeiros, além da implantação dos grandes parques de aerogeradores. Estas atividades no municipio de Acaraú – CE, só demostram a importância estratégica desse espaço. Por isso a importancia de conhecer a evolução espacial e temporal para availiar se estas atividades são ou serão, ambientalmente sustentáveis. O objetivo deste trabalho foi demonstrar a evolução deste ambiente e identificar as principais formas atuais de uso da terra a partir de mapas temáticos da área utilizando técnicas de geoprocessamento a partir de imagens orbitais dsponíveis dos anos 1985, 2001 e 2014. 

Biografia do Autor

Paulo Roberto Silva Pessoa, Universidade Estadual do Ceará

 Prof. Dr. Curso de Geografia da Universidade Estadual do Ceará – UECE/LGCO

Lidriana de Souza Pinheiro, Universidade Estadual do Ceará

Profa. Dra. Instituto de Ciências do Mar – Labomar da Universidade Estadual do Ceará.

Jáder Onofre de Morais, Universidade Estadual do Ceará

Prof. Dr. Curso de Geografia da Universidade Estadual do Ceará

Aurilea Bessa Alves, Secretaria de Educação Ceará

Profa. MSc. Rede Estadual de Ensino – SEDUC/CE

Referências

ALVES, A. B. Estuário do rio Acaraú: impactos ambientais e implicações na qualidade dos recursos hídricos. Fortaleza 2008. 116p. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Geografia) MAG-UECE.

ALVES, A. B. et al. Qualidade da Água do Estuário do Rio Acaraú e Suas Implicações Ambientais (Ceará-Brasil). V Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação, V Encontro de Iniciação Científica e Tecnológica. Fortaleza, CEFET- CE, 2005.

ARAÚJO, Maria Valdirene e Freire, George Satander Sá. Análise ambiental da área estuarina do Rio Acaraú – Ceará. Revista de Geologia, Vol. 20, nº 2, 205-218, 2007.

BERTRAND, G. Paisagem e Geografia Física Global – Esboço Metodológico. Caderno de Ciências da Terra nº. 13. IGEOG – USP. v. 3, p. 1-21. São Paulo, 1969.

CABRAL, et al. Os estuários do Nordeste do Brasil e o desenvolvimento sustentável: usos múltiplos e impactos. O estuário do rio Timbó como um estudo de caso. Tropical Oceanography , Recife, v.33, n. 2, p. 193 – 204. 2005.

CONAMA - Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução CONAMA 357/2005. "Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências.

DIAS, C.B. Dinâmica do sistema estuarino Timonha/Ubatuba e suas implicações ambientais, Ceará – Brasil. 2005. 145p. Dissertação (Mestrado. Ciências Marinhas tropicais) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2005.

DINIZ, S. F.; et al. Susceptibilidade erosiva do baixo curso do Rio Acaraú-CE. Geociências, v. 27, n. 03, p. 355-367, 2008.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISAS AGROPECUÁRIAS – EMBRAPA: Agroindústria Tropical. Contexto geoambiental das Bacias hidrográficas dos rios Acaraú, Curu e baixo Jaguaribe – estado do Ceará. Fortaleza. 52p. Documentos 101, 2005.

MIRANDA, L. B. de; CASTRO, B. M. de; KJERFVE, B. Princípios de oceanografia física de estuários. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2002.

MORAIS, J.O.; PINHEIRO, L. S. The effect of semi-aridity and damming on sedimentary dynamics in estuaries-Northeastern region of Brazil. Journal of Coastal Research, v. 64, p. 1540-1544, 2011.

NASCIMENTO, F. R. Degradação Ambiental e Desertificação no Nordeste Brasileiro: O contexto da Bacia do Rio Acaraú – Ceará. Tese de doutorado em Geografia. Universidade Federal Fluminense, 2006.

PESSOA, P. R. S. Analise Integrada da Evolução da Paisagem no Estuário do Rio Acaraú. 2015. Tese (Programa de Pós-Graduação em Geografia). Universidade Estadual do Ceará – UECE. Fortaleza-CE.

PINHEIRO, L. S. Riscos e gestão ambiental no estuário do rio Malcozinhado, Cascavel – CE. 2003. 165p. Tese (Doutorado em Oceanografia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.

PINHEIRO, L. S.; MORAIS, J.O. Interferências de barramentos no regime hidrológico do estuário do rio Catú-Ceará-Nordeste do Brasil. Sociedade & natureza (UFU. Online), v. 22, p. 237-250, 2010.

SANCHES, L. Avaliação de Impactos Ambientais: conceitos e métodos. Oficina de Textos. 2006. 495 p.

SOUZA, Marcos José Nogueira de. Contribuição ao Estudo das Unidades Morfo-estruturais do Estado do Ceará. Fortaleza: Revista de Geologia, v. 1, p. 73-91, jun. 1988.

SOUZA, Marcos José Nogueira. Diagnóstico Geoambiental da Bacia hidrográfica do rio Acaraú. Relatório Preliminar. Fortaleza: UECE/EMBRAPA/UFF/COGEHR. 2005. p 99.

SOUZA, M. J. N. Compartimentação Territorial e Gestão Regional do Ceará. Demócrito Rocha. Fortaleza, 2000.

SUCUPIRA, P. A. P. Indicadores de degradação ambiental dos recursos hídricos superficiais no médio e baixo vale do rio Acaraú – CE. 2006. 242 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2006.

TRICART, Jean. Ecodinâmica. Rio de janeiro, IBGE, Diretoria Técnica, SUPREN,1977. 95p.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Dinâmica e Gestão de Zonas Costeiras