Prática de ensino desenvolvida na disciplina de geomorfologia com uso do Google Earth enquanto recurso didático

Autores

  • Lísia Moreira Cruz Universidade Federal de Uberlândia
  • Anna Carolina Barcelos Universidade Federal de Uberlândia
  • Silvio Carlos Rodrigues Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2001

Palavras-chave:

Ensino de Geomorfologia. Ferramenta didática. Google Earth

Resumo

O ensino de Geomorfologia por meio do emprego de diferentes linguagens, especialmente as ligadas às tecnologias, é uma estratégia que possibilita o enriquecimento das aulas. Nesse contexto, o objetivo do presente trabalho é abordar uso do Google Earth enquanto recurso didático, na disciplina de Geomorfologia, por meio de aplicação de atividade com o tema: Índice de Hack para identificação de setores anômalos e rupturas do relevo, junto aos alunos do curso de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia. Verficou-se que esta prática constituiu uma interessante possibilidade uma vez que, o uso do Google Earth enquanto recurso didático se mostrou eficiente diante do objetivo proposto.

Biografia do Autor

Lísia Moreira Cruz, Universidade Federal de Uberlândia

Instituto de Geografia/Universidade Federal de Uberlândia.

Anna Carolina Barcelos, Universidade Federal de Uberlândia

Instituto de Geografia/Universidade Federal de Uberlândia.

Silvio Carlos Rodrigues, Universidade Federal de Uberlândia

Instituto de Geografia/Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

AFONSO, A. E. Perspectivas e possibilidades do ensino e da aprendizagem em Geografia Física na formação de professores. Rio de Janeiro. Tese de Doutorado (Geografia) – PPGG – UFRJ. 2015. 237p.

BERTOLINI, W. Z. O ensino do Relevo: Noções e propostas para uma didática da Geomorfologia. 2010. 124 f. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. 2ª Ed. São Paulo: Blucher, 1980.

DUNAGAN, S. Integrating Google Earth with geomorphology lab activities and student presentations. 2007 GSA Denver Annual Meeting (28–31 October 2007) Paper No. 56-2, 2007.

HACK, J. T. Stream-profile analysis and stream-gradient index. Journal of Research of the United States Geological Survey, v. 1, n. 4, p. 421-429, 1973.

HANSON, L.S. Google Earth and Free Image Processing Software into Geomorphology Labs: Geological Society of America Abstracts with Programs, Vol. 41, No. 3, p. 13, 2009.

FLOREZANO, T.G. Introdução à Geomorfologia. In: Geomorfologia – Conceitos e Tecnologias Atuais. Oficina de Textos, São Paulo, 318p. 2008. P.11-30

LIMA, R.de S. Google Earth aplicado a pesquisa e ensino da Geomorfologia. In: Revista de Ensino de Geografia, Uberlândia, v. 3, n. 5, p. 17-30, jul./dez. 2012.

MORAN, José Manuel et al. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 14. ed. Campinas, SP: Papirus, 2000.

OKADA, A. L. Mapas Conceituais em projetos e atividades pedagógicas. In: MORAES, U. C. Tecnologia educacional e aprendizagem: o uso dos recursos digitais. São Paulo: Livro Pronto, 2007. p. 115 – 127.

OLIVEIRA, A. S. Contribuição Teórico-Metodológica para o Ensino de Geomorfologia. 2010. 306 f. Tese de Doutorado. Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia. Presidente Prudente. 2010.

RODRIGUES et. al. (2016). Tutorial Análise de Canal Fluvial: índice de Hack. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/314857152_Tutorial_Analise_de_Canal_Fluvial_-_Indice_de_Hack>. Acesso em: 13 de Março. 2017.

SOUZA, C. J. de O. Geomorfologia no ensino superior: difícil, mas interessante! Por quê? Uma discussão a partir dos conhecimentos e das dificuldades entre graduandos de geografia – IGC/UFMG. 2009. 264 f. Tese de Doutorado. Departamento de Geografia da UFMG, Belo Horizonte, 2009.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física: Currículo, Formação e Práticas de Ensino