O ensino de geografia – construção de maquetes em sala de aula

Autores

  • Angeli Aline Behling Universidade Federal de Santa Maria
  • Angélica Cargnin de Souza Universidade Federal de Santa Maria
  • Rothieri Serres Luiz Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2003

Palavras-chave:

Alunos. Pesquisa. Maquete

Resumo

O trabalho foi desenvolvido com a ideia principal da responsabilidade, preocupação do cidadão com o ambiente, permitindo que os educandos aprendam em sala de aula sobre assuntos do seu cotidiano, problemas ambientais, na pespectiva de uma melhor concervação do local pra o global. O presente trabalho foi elaborado por etapas: pesquisas, leituras; relatórios e construção de maquetes. Foi aplicou em uma escola da rede privada de ensino no município de Santa Maria/RS, onde, na turma, formaram-se grupos e cada grupo ficou resonsável por um assunto sendo eles:Movimentos de Massa, Sulcos, Ravinas, Voçorocas, Inundações, Enchentes, Alagamentos, Assoriamento e Arrenizaçãoe Desertificação. O objeitivo central foi a aplicação prática com a construção de maquetes. Os alunos deveriam ainda identificar esses processos no espaço através de imagens, textos figuras e leituras e analisar o impacto que causam na sociedade e no ambiente, assim busca-se estimularar o interesse na educação ambiental por parte do educando. 

Biografia do Autor

Angeli Aline Behling, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Geociências/Faculdade de Geografia

Angélica Cargnin de Souza, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Geociências/Faculdade de Geografia

Rothieri Serres Luiz, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Geociências/Faculdade de Geografia

Referências

BIGARELLA, J. J. et al. Estrutura e Origem das paisagens Tropicais e Subtropicais. Florianópolis: UFSC, 2003.

BRANCO, S. M. Meio Ambiente em Debate. 31.ed. São Paulo, Editora Moderna, 2000.

CASTRO, A. L. C. Manual de Desastres: desastres naturais. Brasília: Ministério da Integração Nacional, 2003.

CASTROGIOVANNI, A. C. Ensino de geografia: práticas e textualizações no cotidiano. 11 ed. Porto Alegre: Mediação, 2014.

COIMBRA, P.; TIBÚRCIO, J. A. M. (Org). O espaço geográfico no linear do ano 2000. São Paulo: Harbra, 2000.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 53 ed. Rio de Jneiro: Paz e Terra, 2016.

INSTITUTO DE PESQUISA TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO S.A., São Paulo – SP, 2 ed., 1988. 125p.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Convenção das Nações Unidas de combate à desertificação e mitigação dos efeitos da seca. Disponível em: http://www.mma.gov.br/gestao-territorial/combate-a-desertificacao/convencao-da-onu?tmpl=component&print=1 Acesso em: 12 set 2016.

PENTEADO, M. Fundamentos de Geomorfologia. Rio de Janeiro: Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 1983.

SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO ESTADO DE SÃO PAULO. Manual de orientação para elaboração de estudos de impacto ambiental – EIA/Rima. São Paulo, 1992.

SUERTEGARAY, D. M. A. A trajetória da natureza: um estudo geomorfológico sobre os areais de quarai –RS. Tese de doutourado em Geografia Física; FFLCH. Universidade de São Paulo. São Paulo. 1987.

SUERTEGARAY, D. M. A. Sobre a gênese dos areais e o processo de arenização. Caesura, Canoas, n. 21, p. 89-92. jul/dez. 2002.

SUERTEGARAY, D.M. A.; GUASSELLI, L. A.; VERDUM, R. (Org.). Atlas da Arenização: Sudoeste do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Coordenação e Planejamento do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, 2001.

TOMINAGA, L. K. SANTORO, J.; AMARAL, R. do. Desastres naturais: conhecer para prevenir. São Paulo: Instituto Geológico, 2009. 50 p.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física: Currículo, Formação e Práticas de Ensino