A utilização bacia hidrográfica do Ribeirão Itapetinga, município de Atibaia – SP, como subsídio para o desenvolvimento de atividades de ensino e aprendizagem em geografia

Autores

  • Luis Gustavo Campos Souza Universidade Federal de São Carlos – UFSCar – campus Sorocaba
  • Emerson Martins Arruda Universidade Federal de São Carlos – UFSCar – campus Sorocaba

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2006

Palavras-chave:

Estudo do meio. Atividades de ensino. Bacia hidrográfica

Resumo

O desenvolvimento de atividades de ensino que busquem a construção de conhecimentos geográficos consistentes e associados à dimensão socioambiental, possui alto grau de relevância no contexto pedagógico e no da edificação da identidade cidadã. Desse modo, a presente pesquisa objetivou a elaboração e aplicação de atividades de ensino de geografia para discentes do 8° ano de uma escola estadual paulista, no contexto do método do Estudo do Meio, utilizando a bacia hidrográfica do Ribeirão Itapetinga, município de Atibaia-SP. As metodologias empregadas envolveram o uso de pesquisa bibliográfica, produtos cartográficos, fotografias panorâmicas, imagens de satélite, maquetes, filmes e trabalho de campo. Foi possível concluir que as atividades aplicadas facilitaram o processo de ensino-aprendizagem, tornando-o mais significativo e orientado para a cidadania. As sequências didáticas permitiram uma maior identificação com a realidade vivenciada pelos mesmos e possibilitaram a construção de um novo olhar em relação aos conteúdos geográficos presentes no currículo oficial.

Biografia do Autor

Luis Gustavo Campos Souza, Universidade Federal de São Carlos – UFSCar – campus Sorocaba

Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade, Universidade Federal de São Carlos – UFSCar – campus Sorocaba.

Emerson Martins Arruda, Universidade Federal de São Carlos – UFSCar – campus Sorocaba

Departamento de Geografia, Turismo e Humanidades, 

Universidade Federal de São Carlos – UFSCar – campus Sorocaba.

Referências

ALMEIDA, F.F.M. de. Fundamentos geológicos do relevo paulista. In: Instituto Geográfico e Geológico. Geologia do Estado de São Paulo. São Paulo: IGG, 1964, p. 167-263. (IGG. Boletim, 41).

BOTELHO, R.G.M., SILVA, A.S. Bacia Hidrográfica e Qualidade Ambiental. In: VITTE, A.C., GUERRA, A.J.T. Reflexões sobre a Geografia Física no Brasil. Ed. Bertrand Brasil, 2004. p.153-192.

CENTRO INTEGRADO DE INFORMAÇÕES AGROMETEOROLÓGICAS - CIIAGRO. Dados pluviométricos do município de Atibaia-SP. Disponível em: <http://www.ciiagro.sp.gov.br/ciiagroonline/Listagens/Resenha/LResenhaLocal.asp>. Acesso em 15 abr. 2016.

CPRM. SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL. Mapa Geológico do Estado de São Paulo. Ministério de Minas e Energia – Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral. Brasília, 2006. Escala 1: 750.000.

CHRISTOFOLETTI, A. A Teoria dos Sistemas. Boletim de Geografia Teorética. Rio Claro: Ageteo, n° 2, p.43-60, 1971.

DAEE. Departamento de Águas e Energia Elétrica. Índices Pluviométricos e Fluviométricos do município de Atibaia-SP. Disponível em: <http://www.daee.sp.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=72%3Ahidrometeorologia&catid=43%3Ahidrometeorologia&Itemid=30>. Acesso em: 08 nov. 2015.

IBGE. Caracterização geral do município de Atibaia. Disponível em: <http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=350410&search=sao-paulo|atibaia|infograficos:-informacoes-completas>. Acesso em 24 jun. 2014.

LOPES, C. S.; PONTUSCHKA, N. N. Estudo do Meio: Teoria e Prática. Revista Geografia (Londrina), v.18, n. 2, p. 173-191. 2009. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/geografia/article/view/2360/3383>. Acesso em: 01 jul. 2016.

MELO, I. B. de M. Proposição de uma cartografia escolar no ensino superior. Tese (Doutorado em Geografia). Rio Claro: [s.n.], 2007. 157 f.

MENDONÇA, F. A. Geografia e Meio Ambiente. 6 ed. São Paulo: Contexto, 2002.

MONTEIRO, C. A. de F. A Dinâmica Climática e as Chuvas no Estado de São Paulo – estudo geográfico sob forma de atlas. São Paulo: Universidade de São Paulo/ Instituto de Geografia, 1973. 129 p.

MOURA, M. A atividade de ensino como unidade formadora. Bolema, São Paulo, ano II, n.12, p. 29-43, 1996. Disponível em: <http://disciplinas.stoa.usp.br/pluginfile.php/86584/mod_resource/content/1/Texto%206%20-MOURA%2C%20Manoel%20Oriosvaldo.%20A%20atividade%20de%20ensino%20como%20unidade%20formadora%20.pdf>. Acesso em: 30 jun. 2016.

PONTUSCHKA, N. N., PAGANELLI, T. I., CACETE, N. H. Para ensinar e aprender Geografia. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

SILVA, W. S. Identificação de unidades ambientais no município de Atibaia – SP. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Departamento de Geografia, Universidade de São Paulo. São Paulo: 2001. 158f.

SIFESP. Sistema de Informações Florestais do Estado de São Paulo. Disponível em <http://www.iflorestal.sp.gov.br/sifesp/>. Acesso em: 01 fev. 2015.

VITTE, A. C.; COSTA, P. S. M. Neotectônica e anomalias de drenagem em bacias de drenagem no município de Atibaia, estado de São Paulo, Brasil. In: X Encontro de Geógrafos da América Latina. Anais... USP: 2005.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física: Currículo, Formação e Práticas de Ensino