Cartografia digital e geomorfologia urbana apontamentos para o ensino de geografia

Autores

  • Abraão Levi Santos Mascarenhas Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará
  • Maria Rita Vida Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2007

Palavras-chave:

Geomorfologia. Representação. Ensino

Resumo

O ensino de geografia vêm passando por transformações significativas no que concerne o desenvolvimento das ferramentas computacionais, alguns conteúdos no ensino de geografia vêm sendo legado a segundo plano, a saber o ensino do relevo, este é retrato como tema de geomorfologia e/ou topografia se convertendo, muito das vezes, como confusão teórica e metodológica. O principal objetivo dessa secção é reafirmar que a construção e o uso da maquete se mostra como um instrumento didático no ensino básico, pois envolve a representação espacial de temas da cartografia e topográfia, permitindo, ainda, desenvolver os temas de geomorfologia urbana. O uso dos temas geomorfologia urbana, representação espacial e cartografia digital geomorfológica é a principal questão metodológica que balisa a presente discussão. Conclui-se que a maquete é um instrumento didático para a formação dos conceitos de relevo no ensino básico.   

Biografia do Autor

Abraão Levi Santos Mascarenhas, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Faculdade de Geografia

Maria Rita Vida, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Faculdade de Geografia

Referências

BAILLY. Antoine Sylvain. Paysages et représentations. In: Mappemonde, 1990, no. 3, p. 10-13

______. RAFFESTIN, Claude, REYMOND, Henri. Les concepts du paysage: problématique et représentations. Espace géographique, 1980, vol. 9, no. 4, p. 277-286.

CASSETI, Valter. Geomorfologia. [S.l.]: [2005]. Disponível em: <http://www.funape.org.br/geomorfologia/>.

CHEVALLARD, Yves. Latranspositiondidactique: dusavoirsavantausavoirenseigné. Grenoble: Ed. La PenséeSauvage, 1991.

FLORENZANO. Teresa G. (Org.) Geomorfologia: conceito e tecnologia atuais, São Paulo, Oficina de Texto, 2008.

MASCARENHAS, A. L. S.; VIDAL, M. R. Declividade e Hipsometria do perímetro urbano da cidade de Marabá-PA: aportes conceituais de geomorfologia urbana. In: Anais...VII Congresso Brasileiro de Geógrafos, 2014, Vitória-ES. AGB-Nacional, 2014. v. 1.

PAULET J.-P., 2002. Les représentations mentales en géographie, Paris, Anthropos, coll. Géographie.

PARTOUNE. Christine. La dynamique du concept de paysage. In: Revue Éducation Formation - n° 275, septembre 2004.

ROSS. JurandyrLuciano Sanches. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais e antropizados. In: revista do departamento de geografia, USP, São Paulo,v. 8, 1994.

SANTOS, Milton. A natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção, 4. ed. 2. Reimpr, São Paulo: Editora

da Universidade de São Paulo, 2006.

______. Metamorfoses do espaço habitado: fundamentos Teórico e metodológico da Geografia. Hucitec, São Paulo 1988.

VIDAL, M. R., MASCARENHAS, A. L. S. Da abstração ao concreto: representação espacial no ensino de cartografia In: Ensino de Geografia e representação do espaço geográfico.1 ed.Belém-PA : GAPTA-UFPA, 2013, v.1, p. 291-306.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física: Currículo, Formação e Práticas de Ensino