Parque Nacional de Ilha Grande: caracterização da dinâmica de queimadas entre 1985 e 2016 com base em imagens LANDSAT

Autores

  • Everton Hafemann Fragal Universidade Estadual de Maringá
  • Nelson Vicente Lovatto Gasparetto Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2016

Palavras-chave:

Ilha Grande. Dinâmica de queimadas. LANDSAT

Resumo

A dinâmica de queimadas do Parque Nacional de Ilha Grande (PNIG) revela como foram desenvolvidas as atividades de queima da vegetação por causas antrópicas ou naturais. O objetivo desse trabalho foi caracterizar as dinâmicas de queimadas dos períodos anterior (1985 à 1997) e posterior (1998 à 2016) a criação do PNIG, a partir do uso de série temporal de imagens Landsat. Para tal, foram mapeadas as cicatrizes de queimadas e gerados dados estatísticos, que foram enfatizadas as áreas de ocorrências, número de polígonos e frequência de queimadas. Como resultado, foram evidenciadas mudanças nas dinâmicas de queimadas nos períodos anterior e posterior a criação do parque. No período anterior a criação do parque o número de polígonos de áreas queimadas (média de 88) foi maior do que no período posterior (média de 7). Além disso, no geral a frequência de queimada no período anterior foi menor do que no período posterior a criação do parque.

Biografia do Autor

Everton Hafemann Fragal, Universidade Estadual de Maringá

Programa de Pós-graduação em Geografia (PGE) e Grupo de Estudos Multidisciplinares do Ambiente (GEMA)

Nelson Vicente Lovatto Gasparetto, Universidade Estadual de Maringá

Programa de Pós-graduação em Geografia (PGE) e Grupo de Estudos Multidisciplinares do Ambiente (GEMA)

Referências

ANDERSON, L. O.; SANTOS, L. B. L.; RUDORFF, C.; SILVA JUNIOR, C. H. L. Integração de dados de chuva, queimadas e modelo digital de terreno para caracterização de áreas complexas com fins de monitoramento operacional. XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR), 18., 2015, João Pessoa. Anais... São José dos Campos: INPE, 2015. p. 4466-4473.

AXIMOFF, I.; RODRIGES, R. C. Histórico dos incêndios florestais no Parque Nacional do Itatiaia. Ciência Florestal - Santa Maria, v.21, n.1, p. 83-92, 2011.

BRASIL. Constituição (1998). Lei N0 9.985, de 18 de julho de 2000. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9985.htm>. Acesso em 22 de dez. 2016.

FORNAZARI, T.; SILVA, T. S. F.; ALVARADO, S. T.; MORELLATO, L. P. C. Variáveis limitantes sobre a detecção de queimadas em imagens Landsat no Parque Nacional da Serra do Cipó (MG). In: XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR), 18., 2015, João Pessoa. Anais... São José dos Campos: INPE, 2015. p. 4131-4138.

FRAGAL, E. H.; GASPARETTO, N. V. L. Detecção de queimadas com dado MOD09 e produtos Fire_cci e MCD45 no Parque Nacional de Ilha Grande (PR-MS, Brasil). Boletim Goiano de Geografia, submetido para publicação em dezembro de 2016.

FRAGAL, E. H.; GASPARETTO, N. V. L. Mapeamento de queimadas da cobertura vegetal do Parque nacional de Ilha Grande com uso de dado MOD09 e produto CCI. In: XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 18., 2017, Santos. Aceito para publicação.

GONÇALVES, C. N.; MESQUITA, F. W.; LIMA, N. R.; COSLOPE, L. A.; LINTOMEN, B. S. Recorrência dos incêndios e fitossociologia da vegetação em áreas com diferentes regimes de queima no Parque Nacional da Chapada Diamantina. Biodiversidade Brasileira, v.1, n.2, p.161-179, 2011.

INSTITUTO AGRONÔMICO DO PARANÂ (IAPAR). Cartas Climáticas do estado do Paraná. 2000. Disponível em: <http://www.pr.gov.br/iapar/sma/Cartas_Climáticas/Cartas_Climáticas.htm>. Acesso em: 5 de jan. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Manual Técnico da Vegetação Brasileira. 2012. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv63011.pdf >. Acesso em 30 de out. 2016.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS RENOVÁVEIS (IBAMA). Relatório de Ocorrência de Incêndios Florestais. Documento Técnico, 2002. Disponível em: <http://www.ibama.gov.br/>. Acesso em: 20 de dez. 2016.

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (ICMBio). Plano operativo de prevenção e combate aos incêndios florestais do Parque Nacional de Ilha Grande - PR/MS. 2015. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/>. Acesso em: 20 out. 2016.

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (ICMBio). Plano de Manejo: Parque Nacional de Ilha Grande. 2008. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/docs-planos-de-manejo/parna_ilha_grande_pm.pdf>. Acesso em: 05 de jul. 2016.

JOLY, C. A.; METZGER, J. P.; TABARELLI, M. Experiences from the Brazilian Atlantic Forest: the ecological finding and conservation initiatives. New Phytologist, v. 204, p. 459-473, 2014.

KOPROSKI, L. P.; MANGINI, P. R.; PACHALY, J. R.; BATISTA, A. C.; SOARES, R. V. Impactos do fogo sobre serpentes (Squamata) no Parque Nacional de Ilha Grande (PR/MS), Brasil. Arquivos de Ciências Veterinárias e Zoologia da UNIPAR, v. 9, p. 129-133, 2006.

LIMA, A. et al. Land use and land cover changes determine the spatial relationship between fire and deforestation in the Brazilian Amazon. Applied Geography, v. 34, p. 239-246, 2012.

MESQUITA, F. W.; GOMES LIMA, N. R.; GONÇALVES, C. N.; BERLINCK, C. N.; LINTOMEN, B. S. Histórico dos incêndios na vegetação do Parque Nacional da Chapada Diamantina, entre 1973 e abril de 2010, com base em Imagens Landsat. Biodiversidade Brasileira, v.1, n.2, p.218-246, 2011.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). O fogo no Parque Nacional das Emas. Org. FRANÇA, H.; RAMOS NETO, M. B.; SETZER, A., 2007, 140 p.

MONTANHER, O. C.; FRAGAL, E. H. Aplicação de dados radiométricos TM5 na análise da vegetação após incêndio em área alagável e relação com a geomorfologia. Revista Brasileira de Cartografia, v. 1, n. 65, p. 111–122, 2013.

PONZONI, F. J.; SHIMABUKURO, Y. E. Sensoriamento Remoto no Estudo da Vegetação. São José dos Campos: Parêntese, 2007. 144p.

RIBEIRO, M. C.; FIGUEIRA, J. E. C. Uma abordagem histórica do fogo no Parque Nacional da Serra do Cipó, Minas Gerais - Brasil. Biodiversidade Brasileira, v.1, n.2, p.212-227, 2011.

RIBEIRO, M. C.; METZGER, J. P.; MARTENSEN, A. C. The Brazilian Atlantic Forest: How much is left, and how is the remaining forest distributed? Implications for conservation, Biological Conservation, v. 142, p. 1141-1153. 2009.

ROSA, T. M.; ALCÂNTARA, E. Detecção de áreas queimadas e severidade a partir do índice espectral ΔNBR. In: XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR), 18., 2015, João Pessoa. Anais... São José dos Campos: INPE, 2015. p. 526-533.

SILVA, G. B. S.; FORMAGGIO, A. R.; SHIMABUKURO, Y. E. Áreas alteradas em função de atividades antrópicas no bioma Cerrado localizado no Estado do Mato Grosso (MT), até o ano de 2001: uma abordagem espaço-temporal. Revista Brasileira de Cartografia, edição especial 2, n.62, p.363-371, 2010.

TIEPOLO, L. M.; TOMAS, W. M.; LIMA-BORGES, P. A. Levantamento populacional do cervo-do-pantanal Bastocerus dichotomus (Mammalia, Cervidae) no Parque Nacional de Ilha Grande e entorno: implicações para a conservação. Iheringa, Sér. Zool, v.100, p. 111-115, 2010.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Biogeografia, Manejo de Áreas Naturais e Protegidas: Conservação da Biodiversidade