Parques ambientais urbanos de Teresina, Piauí: ambiente, conservação e uso pela população local

Autores

  • Albert Isaac Gomes Viana Universidade Federal do Piauí
  • Iracilde Maria de Moura Fé Lima Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2021

Palavras-chave:

Parque Ambiental. Rio Poti. Conservação ambiental. Uso público. Qualidade de vida

Resumo

O presente trabalho buscou traçar um perfil de dois parques da cidade de Teresina-PI: o Parque da Cidade e o Parque Potycabana, abordando aspectos do ambiente, de sua conservação e uso pela população local. A escolha desses Parque deveu-se à sua localização nas margens do rio Poti, em bairros bem servidos de infraestrutura urbana e com facilidade de acesso. A metodologia adotada envolveu leitura e análise de referenciais teóricos e sobre as áreas estudadas, complementadas com observações em campo, utilizando instrumentos como GPS e câmera fotográfica. Para espacializar esses Parques, trabalhou-se os dados coletados utilizando-se os softwares ArcGis, QGis e o Google Earth. Os resultados permitiram identificar-se que, embora ambos estejam localizados nas margens do mesmo rio em locais de fácil acesso, esses Parques se apresentam com características bem distintas em relação ao ambiente natural, sua conservação e formas de uso pela população local.

Biografia do Autor

Albert Isaac Gomes Viana, Universidade Federal do Piauí

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Geografia/UFPI

Iracilde Maria de Moura Fé Lima, Universidade Federal do Piauí

Profª. Drª. do Programa de Pós-graduação em Geografia/UFPI

Referências

CÂMARA, G.; DAVIS, C. Geoprocessamento - Teoria e Aplicações. São José Dos Campos: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, 2001.

CONAMA. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 369, de 28 de março de 2006. Diário Oficial da União, Edição Número 61, de 29/03/2006. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=489>. Acesso em: 23 jun. 2016.

COSTA, A. A. Crescimento urbano e problemas socioespaciais: um estudo da periferia de Natal. Mercator - Revista de Geografia da UFC, ano 02, número 04, 2003.

EMBRAPA. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Mapa Exploratório-Reconhecimento de solos do Município de Teresina, PI. 1983. Disponível em: < http://www.uep.cnps.embrapa.br/solos/index.php?link=pi>. Acesso em: 10. nov. 2016.

INMET. INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA – INMET- Dados meteorológicos. Disponível em: <http://www.inmet.gov.br/> acesso dia 6 dez de 2016.

LIMA, I. M. M. F. O relevo de Teresina, PI: compartimentação e dinâmica atual. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM GEOGRAFIA, 9., Goiânia, 2011. Anais... Goiânia, 2011. Disponível em: <http://iracildefelima.webnode.com>. Acesso em: 10 nov. 2016.

______. Teresina - Agenda 21. Meio Ambiente (Coord.). In: Plano de Desenvolvimento Sustentável. Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Geral. Teresina: PMT, 2002.

_____. Revalorizando o verde em Teresina: o papel das unidades ambientais. In: Cadernos de Teresina. Teresina: Fundação Mons. Chaves. Ano X, n° 24, dez. 1996.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo demográfico 2010. Rio de Janeiro, 2010.

LOBODA, C. A.; ANGELIS, B. L. D. Áreas verdes públicas urbanas: conceitos, usos e funções. Ambiência, Guarapuava, v. 1, n. 1, jan./jun. 2005. p.p. 125 – 139. Disponível em: < http://revistas.unicentro.br/index.php/ambiencia/article/download/157/185>. Acesso em: 22 nov. 2016.

MORAES, B. C.; CARVALHO, R. C. P. S.; FEITOSA, M. S. S.; ARAÚJO, M. F. V.. O Método Expedito como Estratégia de Avaliação Qualitativa dos Níveis de Vulnerabilidade em Ambientes da Zona Urbana de Teresina, Piauí. Revista Equador, v. 05 nº 3, p. 500-517, 2016.

MOTA, S. Urbanização e meio ambiente. 3. ed. Rio de Janeiro: ABES, 2003. 352 p.

MUSSATO, O. B.; SILVA, G. F. N.; SCACABAROSSI, H. Expansão urbana desordenada como fator de comprometimento do meio ambiente na Amazônia Setentrional: um estudo de caso das condições socioambientais da área denominada bairro Senador Hélio Campos na cidade de Boa Vista-RR. In: ENCONTRO NACIONAL DOS GEÓGRAFOS, 16. Anais. ENCONTRO NACIONAL DOS GEÓGRAFOS, Porto Alegre, 2010.

OLIVEIRA, L. N.; FREITAS, J. S.; PINHO, S. P. Contribuição do parque floresta fóssil no meio urbano de Teresina (PI). Revista Equador, v. 3, p. 82-93, 2014.

PAVEZZI-NETTO, M.; SILVA, R. S. Método expedito para análise da qualidade ambiental em zonas ripárias urbanas. Paranoá (UnB), v. 4, p. 61-68, 2012. Disponível em: <http://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/viewFile/12314/8595>. Acesso em: 22 nov. 2016.

ROMANI, G. N. Análise florística, fitossociológica e qualitativa da arborização na Praça XV de Novembro em Ribeirão Preto, SP. 2011. 61 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2011. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/96887>. Acesso em: 08 nov. 2016.

SANCHOTENE, M. C.C. Conceitos e Composição do índice de áreas verdes. Boletim Informativo da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, n.1, p.4-9, 2004.

SARAIVA, S. V. Intervenções arquitetônicas contemporâneas em Teresina: Parque Potycabana. Estudo arquitetônico da obra e sua intervenção na cidade:1990-2010. 2011. Projeto de Iniciação Científica - Universidade Federal do Piauí, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. 2011. Disponível em: <http://leg.ufpi.br/20sic/Documentos/RESUMOS/Modalidade/Exatas/b710915795b9e9c02cf10d6d2bdb688c.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2016.

SILVA, V. M. A.; MEDEIROS, R. M; RIBEIRO, V. H. A. ; SANTOS, E. D. ; FARIAS, M. E. A. C. . Climatologia da precipitação no município de Teresina, PI, Brasil. In: CONGRESSO TÉCNICO CIENTÍFICO DE ENGENHARIA E DA AGRONOMIA, 72. Fortaleza, 2015. Anais.... Fortaleza, 2015. Disponível em: < http://www.confea.org.br/media/Agronomia_climatologia_da_precipitacao_no_municipio_de_teresina_pi_brasil.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2016.

SOBREIRA, M. G. A.; FORTES, A. C. C.; DANTAS, F. R.; SANTOS, L. A.; PEREIRA, T. J. S. M... Parque ambiental João Mendes Olímpio de Melo: estrutura, funcionamento e uso como instrumento de educação ambiental na cidade de Teresina, Piauí. 2015. Disponível em: < http://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2015/VI-039.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2016.

SOUSA, A. L.; MEDEIROS, J. S.; ALBUQUERQUE, D. S.; HIGUCHI, M. I. G. Parque Verde Urbano como Espaço de Desenvolvimento Psicossocial e Sensibilização Socioambiental. Psico (PUCRS. Online), v. 46, p. 301-310, 2015.

TERESINA. Prefeitura Municipal de Teresina/Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico e Turismo – SEMDEC. Plano de desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável (PDITS). Teresina: PMT, 2011.

______. Prefeitura Municipal de Teresina/ Secretário Municipal do Meio Ambiente, 1995. Regimento Interno. Teresina: SEMAM/PMT. 2013.

______. Prefeitura Municipal de Teresina/ Secretário Municipal de Planejamento e Coordenação – SEMPLAN. ÁREAS VERDES. Teresina: SEMPLAN/PMT.

______. Prefeitura Municipal de Teresina/ Secretário Municipal de Planejamento e Coordenação – SEMPLAN. Perfil dos Bairros. Teresina: SEMPLAN/PMT. 2015.

TUCCI, C. E. M.; COLLISCHONN, W. Drenagem urbana e controle de erosão. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE CONTROLE DA EROSÃO, 6, Presidente Prudente, 1998. Anais... Presidente Prudente, 1998.

VASCONCELOS, M. V. de; LIMA, I. M. M. F. Floresta fóssil do rio Poti em Teresina, Piauí: porque não preservar? In: Revista Equador. v. 5,n 3 . 2016. p. 239 - 259. Disponível em: <http://iracildefelima.webnode.com/sobre-teresina>. Acesso em: 10 dez 2016.

ZANIN, E. M Caracterização ambiental de um parque urbano – Parque Municipal Longines Malinowski, Erechim, RS. Edifapes, 2002. Disponível em < http://www.lapa.ufscar.br/livros/caracterizacao-ambiental-de-um-parque-urbano-parque-municipallongines-malinowski-erechim-rs>. Acesso em 21 jun. 2016.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Biogeografia, Manejo de Áreas Naturais e Protegidas: Conservação da Biodiversidade