Geotecnologias aplicadas ao mapeamento da vulnerabilidade ambiental: estudo de caso do município de Rio Acima/MG

Autores

  • Fernanda Mara Coelho Pizani Universidade Federal de Minas Gerais
  • Ursula Ruchkys de Azevedo Universidade Federal de Minas Gerais
  • Fabiano Érico Vieira de Souza Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2081

Palavras-chave:

Geoprocessamento. Vulnerabilidade ambiental. Análise multicritério

Resumo

Os mapeamentos de vulnerabilidade vêm sendo desenvolvidos por meio de análise ambiental utilizando técnicas de geoprocessamento que permitem espacializar riscos auxiliando no planejamento urbano e na proposição de medidas preventivas. O presente trabalho faz um diagnóstico das áreas ambientalmente vulneráveis no município de Rio Acima utilizando geotecnologias. O método aplicado foi análise multicritério envolvendo os temas geologia, solo, uso e cobertura da terra, declividade e altimetria; cada classe de variável nos diferentes temas tiveram atribuídas notas em função da representatividade na questão da vulnerabilidade ambiental. Foi aplicada uma equação considerando a ponderação do resultado dos mapas temáticos resultando no mapa de vulnerabilidade ambiental do município de Rio Acima - MG. Os resultados indicam vastas áreas vulneráveis no município, associadas principalmente à presença de rochas suscetíveis ao deslizamento e grandes declividades. O resultado obtido pode auxiliar órgãos públicos e privados na elaboração de medidas de prevenção e no planejamento urbano. 

Biografia do Autor

Fernanda Mara Coelho Pizani, Universidade Federal de Minas Gerais

Departamento de Cartografia/Instituto de Geociências

Ursula Ruchkys de Azevedo, Universidade Federal de Minas Gerais

Departamento de Cartografia/Instituto de Geociências

Fabiano Érico Vieira de Souza, Universidade Federal de Minas Gerais

Departamento de Cartografia/Instituto de Geociências

Referências

CAMPOS, L. C. Proposta de reanálise do risco geológico-geotécnico de escorregamentos em Belo Horizonte - Minas Gerais. Dissertação de mestrado, Escola de Engenharia, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2011.

CARRIJO, M. G. G. Análise da vulnerabilidade ambiental: o caso do Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari-MG. Dissertação de mestrado, Centro de Ciências Exatas e Tecnologia, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. Campo Grande, 2005.

CREPANI, E.; Medeiros, J. S. de; Azevedo, L. G. DE.; Hernandez Filho, P.; Florenzano, T. G.; Duarte, V. Curso de sensoriamento remoto aplicado ao zoneamento ecológico-econômico. São José dos Campos: INPE, 2001. 25p.

FIGUEIRÊDO, et al. Análise da vulnerabilidade ambiental. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical, 2010. 47p. ISSN 1677-1915, 127.

HOGAN, D. J. Mobilidade populacional, sustentabilidade ambiental e vulnerabilidade social. Rev. Bras. estud. popul., Dez 2005, vol.22, n.2, p.323-338. ISSN 0102-3098.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades@: Minas Gerais. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/link.php?uf=mg>. Acesso em 09 nov. 2013.

LOBÃO, et al. Mapeamento das unidades ecodinâmicas: subsídio ao estudo da vulnerabilidade ambiental no polo de Irecê-BA. Revista Geonorte, Edição Especial, v.2, n.4, p. 1560-1573.

PARIZZI, M. G. et al. Processos de movimentos de massa em Belo Horizonte, MG. Geografias Online (UFMG), v. 12, p. 58-87, 2011.

RODRIGUES, F. S.; PEREIRA, J. G. Uso da geotecnologia na avaliação ambiental na zona de amortecimento do Parque Nacional da Serra da Bodoquena. Anais

XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Foz do Iguaçu, Brasil, 13-18 abril 2013, INPE, p. 4338-4345.

ROSÁRIO, G. O. Análise espacial aplicada à determinação do risco de erosão do solo na porção Noroeste do município de Itabirito. Monografia, Especialização em Geoprocessamento, Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2010.

SAITO, S. M. Desastres naturais e geotecnologias: vulnerabilidade. São José dos Campos: INPE, 2011. 35p.

SANTOS, C. A.; SOBREIRA, F. G. Análise da fragilidade e vulnerabilidade natural dos terrenos aos processos erosivos como base para o ordenamento territorial: o caso das bacias do Córrego Carioca, Córrego do Bação e Ribeirão Carioca na região do Alto Rio das Velhas-MG. Revista de Geomorfologia, v.9, n.1, p. 65-73, 2008.

SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE (SEPLAN). Vulnerabilidade de Paisagens à Perda de Solos da Folha SB.23-V-C. Diretoria de Zoneamento Ecológico-Econômico (DZE). Projeto de Gestão Ambiental Integrada da Região do Bico do Papagaio. Zoneamento Ecológico-Econômico. Imperatriz. Org. por Edson Crepani e Ricardo Ribeiro Dias. Palmas, Seplan/DZE, 2006. 48p.

SOUTO, M. V. S.; AMARO, V. E. Aplicação das técnicas de geoprocessamento para o mapeamento da vulnerabilidade natural para a região da Ponta do Tubarão, litoral setentrional do Estado do Rio Grande do Norte, município de Macau. XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Goiânia, Brasil, 16-21 abril 2005, INPE, p. 2773-2778.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física