Características do clima urbano em São Carlos/SP a partir de dados de temperatura e umidade relativa do ar e técnicas de sensoriamento (dos alvos)

Autores

  • Camila Riboli Rampazzo Universidade Estadual Paulista
  • João Lima Sant'Anna Neto Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2089

Palavras-chave:

Clima urbano. Produção do espaço urbano. Diferenças térmicas e higrométricas. Sensoriamento remoto. Características Geoambientais

Resumo

O processo de urbanização das cidades intensificou as condições de degradação do ambiente e, o clima urbano a partir das ilhas de calor é um dos principais produtos que afeta a qualidade de vida da população. Assim, o presente artigo objetivou a análise das características do clima urbano em São Carlos/SP a partir de dados de temperatura e umidade relativa do ar e técnicas de sensoriamento remoto. Para isso, realizaram-se análises das diferenças termohigrométricas em 8 pontos urbanos no período entre 28 de março a 01 de maio de 2014 às 18h (outono) e, verificação da temperatura de superfície dos alvos no dia 04 de abril de 2014. Neste mesmo dia às 18h foi realizado transecto móvel nos trajetos A-B e C-D. Foram identificadas diferenças térmicas de até 5,5°C e correlação entre as áreas de ocorrência de bolsões de ar e resposta térmica dos alvos em distintos padrões geoambientais.

Biografia do Autor

Camila Riboli Rampazzo, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Geografia/Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”,

João Lima Sant'Anna Neto, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Geografia/Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”,

Referências

AMORIM, M.C.C.T. O clima urbano de Presidente Prudente/SP. São Paulo, 2000. 378p. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas – USP.

AMORIM, M. C. C. T.; DUBREUIL, V.; QUENOL, H.; SANT'ANNA NETO, J. L. Características das ilhas de calor em cidades de porte médio: exemplos de Presidente Prudente (Brasil) e Rennes (França). Confins (Paris), v.7, p.1-16, 2009. Disponível em: <http://confins.revues.org/index6070.html>. Acesso em 14 de janeiro de 2014.

AMORIM, M. C. C. T. Os climas urbanos em cidades localizadas na raia divisória São Paulo - Paraná - Mato Grosso do Sul. In: A Raia Divisória São Paulo - Paraná - Mato Grosso do Sul (cenas e cenários). Ed.Outras Expressões, 1.ed. São Paulo, 2011. p.133-165.

BARBIRATO, G. M.; SOUZA, L. C. L. de.; TORRES, S. C. Clima e cidade: a abordagem climática como subsídio para estudos urbanos. Maceió: EDUFAL, 2007.164p.

DEÁK, Csaba; SCHIFFER, Sueli R. (Orgs). O processo de urbanização no Brasil. São Paulo: Editora Fupam/Edusp, 1999.

FIALHO, Edson S. Estudos climáticos em sítios urbanos e rurais. In: SILVA, C. A.; FIALHO, Edson. S. (org). Concepções e Ensaios da Climatologia Geográfica. E-book, 2012, p. 83-114.

LABAKI, Lucila C.; SANTOS, Rozely F. dos S.; BUENO-BARTHOLOMEI, Carolina L.; ABREU, Loyde V. de A. Vegetação e conforto térmico em espaços urbanos abertos. Fórum Patrimônio. Mudanças climáticas e o impacto das cidades. Belo Horizonte, v. 4, n. 1, p. 23-42, 2011.

LEÃO, M. S. Diagnóstico climático e estudos das variações termo-higrométricas do município de Sete Lagoas - MG. 150f.

Dissertação de mestrado. Instituto de Geociências. Universidade Federal de Minas Gerais, 2008.

LOMBARDO, M. A. Ilha de Calor nas Metrópoles: O Exemplo de São Paulo. São Paulo: Hucitec, 1985. 244p.

MASCARÓ, Lúcia; MASCARÓ. Juan J. Vegetação Urbana. Porto Alegre: Finep. 1ªed. 2002.

MASCARÓ, Lúcia.; MASCARÓ, Juan J. Ambiência Urbana - Urban environment. 3ªed. Porto Alegre: Masquatro Editora, Edição Bilíngue, 2009.

MONTEIRO. C. A. F.; MENDONÇA, F. (Org.). Clima Urbano. 1.ed., São Paulo: Contexto, 2009. 192p.

NUCCI, João Carlos. Qualidade Ambiental e Adensamento Urbano. Um estudo de Ecologia e Planejamento da Paisagem aplicado ao distrito de Santa Cecília (MSP). 2ª edição. Curitiba: O autor, 2008. 150p.

SANT’ANNA NETO, João Lima. O clima urbano como construção social: da vulnerabilidade polissêmica das cidades enfermas ao sofisma utópico das cidades saudáveis. Revista Brasileira de Climatologia. Ano 7 – Vol. 8 – JAN/JUN/2011.

SILVA, A. de B. Sistemas de Informações Geo-referenciadas: Conceitos e fundamentos. Campinas: Editora da Unicamp, 1999.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Climatologia em diferentes níveis escalares: mudanças e variabilidades