Caracterização de variáveis fisiográficas da bacia hidrográfica do Rio Paraíba – PB: subsídios para a identificação das unidades ambientais naturais

Autores

  • Brener Felipe Melo Lima Gomes Universidade Federal da Paraíba
  • Shara Sonally Oliveira de Sousa Universidade Federal da Paraíba
  • Camila Cunico Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2111

Palavras-chave:

Relevo. Geologia. Pedologia. Geoprocessamento. Sistema ambiental

Resumo

O recorte geográfico de estudo é a bacia hidrográfica do rio Paraíba – PB. Além de sofrer consequências da pior crise hídrica da história do nordeste, a qual perdura desde 2012, a bacia possui incontáveis focos de poluição. As UANs serão identificadas tendo como base, principalmente, as informações temáticas provenientes da geologia, geomorfologia e pedologia. O referencial metodológico adotado segue a concepção sistêmica. Neste trabalho foi constatado que a bacia é constituída por luvissolos e neossolos, geologicamente formada por rochas proterozóicas sendo complementada por bacias sedimentares, coberturas plataformais paleógenas/neógenas e formações superficiais quartenárias. O relevo predominante são planaltos, enquanto que a região litorânea, na foz do rio, é caracterizada por planícies costeiras e fluviais. As altitudes variam de 0 m a 750 m, a declividade média no alto e médio curso do rio, e maior área da bacia, varia entre 3 a 8%, todavia, outras regiões alcançam declividades de até 50%.

Biografia do Autor

Brener Felipe Melo Lima Gomes, Universidade Federal da Paraíba

Graduação em Engenharia Ambiental; Universidade Federal da Paraíba

Shara Sonally Oliveira de Sousa, Universidade Federal da Paraíba

Graduação em Engenharia Ambiental; Universidade Federal da Paraíba

Camila Cunico, Universidade Federal da Paraíba

Professora dos cursos de Geografia e Engenharia Ambiental; Universidade Federal da Paraíba

Referências

CPRM – Serviço Geológico do Brasil. Programa levantamentos geológicos básicos do Brasil. Geologia e recursos naturais do estado da Paraíba. Recife, 2002.

CUNICO, C.; LOHMANN, M.; LESSA, G.; ROSS, J. L. S. Delimitação e Caracterização das Unidades Ambientais Naturais (UANs) do Estado do Paraná. In: Anais do XI Simpósio Brasileiro de Geomorfologia, 2016. Disponível em: http://www.sinageo.org.br/2016/trabalhos/8/8-27-1526.html.

INPE. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. TOPODATA – Banco de Dados Geomorfométricos. São Jose dos Campos, 2011. Disponível em: <http://www.dsr.inpe.br/topodata>. Acesso em 20 nov. 2016.

LACERDA, A. V. de. A semi-aridez e a gestão em bacias hidrográficas: visões e trilhas de um divisor de ideias. João Pessoa: Autor Associado/UFPB, 2003, 164p.

ROSS, J. L. S. Geografia e as transformações da natureza: relação sociedade-natureza. In: LEMOS, A. I. G.; GALVANI, E. (Org.). Geografia, tradições e perspectivas: interdisciplinaridade, meio ambiente e representações. São Paulo: Clacso/Editora Expressão Popular, 2009.

LEPSCH, I. 19 lições de Pedologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2011.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão