Transporte de sedimentos a jusante da UHE - COLÍDER, no corredor fluvial do rio Teles Pires, Nova Canaã do Norte - Mato Grosso

Autores

  • Andressa Damas Machado Universidade do Estado do Mato Grosso
  • Bruna da Cruz Andrade Universidade do Estado do Mato Grosso
  • Gustavo Roberto dos Santos Leandro Universidade do Estado do Mato Grosso
  • Leila Nalis Paiva da Silva Andrade Universidade do Estado do Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2134

Palavras-chave:

Rio Teles Pires. Transporte de Sedimentos. Carga de Fundo

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo quantificar os sedimentos de fundo a jusante da Usina Hidrelétrica de Colider (UHE)-  Mato Grosso. Realizou-se trabalho de gabinete com pesquisas em livros, teses, dissertações, bem como em artigos científicos. O trabalho de campo ocorreu no mês de novembro de 2015 com a quantificação das variáveis hidrodinâmicas (profundidade,  velocidade  largura com a determinação da seção e vazão). No local foram feitas observações e coleta dos sedimentos para análise. As amostras foram análisadas no Laboratório  de Pesquisa e Ensino em Geomorfologia Fluvial “Antonio Christofoletti” no Campus de Colider – UNEMAT. O local foi desmatado para construção da UHE. A área registra erosão marginal por basculamento. Apresentou maior percentagem de materiais de fundo sendo transportados, confirmando que o rio Teles Pires tem competência para o transporte desses sedimentos com maior ocorrência de Areia Fina. A área atualmente não possui mais acesso por ser considerada área de risco.

Biografia do Autor

Andressa Damas Machado, Universidade do Estado do Mato Grosso

Acadêmica do Curso de Licenciatura em Geografia/ Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Bolsista de Iniciação Científica/FAPEMAT. 

Bruna da Cruz Andrade, Universidade do Estado do Mato Grosso

Acadêmica do Curso de Licenciatura em Geografia/ Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Bolsista de Iniciação Científica/FAPEMAT.

Gustavo Roberto dos Santos Leandro, Universidade do Estado do Mato Grosso

Doutoramento pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Campus de Presidente Prudente da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP.

Leila Nalis Paiva da Silva Andrade, Universidade do Estado do Mato Grosso

Professsora Assistente da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT, Doutoranda em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos- UFSCar.

Referências

BÜHLER, B. F.; SOUZA, C. A. Aspectos sedimentares do rio Paraguai no perímetro urbano de Cáceres - MT. Geociências. v. 31, n. 3, p. 339-349. 2012.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. São Paulo: Edgard Blücher, 1980.

COELHO, A. L. N. Geomorfologia fluvial de rios impactados por barragens. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 09, n. 26, p. 16-32, 2008.

CUNHA, S. B. Geomorfologia Fluvial. In: Cunha S. B. e Guerra. A. J. T. (orgs.). Geomorfologia: exercícios, técnicas e aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil: 1996

EMBRAPA. Manual de Métodos de Análises de Solo. 2. ed. Rio de Janeiro: Embrapa Solo. 1997. 212 p.

GRIZIO, E. V.; SOUZA FILHO, E. E. As modificações do regime de descarga do rio Paraguai Superior. Revista Brasileira de Geomorfologia. v. 11, n. 2, p. 25-33. 2010.

GUERRA, A. T; GUERRA, A. J. T. Novo Dicionário Geológico – Geomorfológico. 11º ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2015.

LEANDRO, G. R. S.; SOUZA, C. A.; NASCIMENTO, F. R. Sedimentos de fundo e em suspensão no corredor fluvial do rio Paraguai, Pantanal Norte mato-grossense, Brasil. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 34, n. 2, p. 195-214, 2014.

PIRES, J. S. R; SANTOS J. E. dos; DEL PRETTE, M. E. A utilização do conceito de bacia hidrográfica para a conservação dos recursos naturais. In: SCHIAVETTI, A.; CAMARGO, A. F. M. Conceitos de bacias hidrográficas: teorias e aplicações. Ilhéus, Ba: Editus, 2002, p. 17-35.

POPP, J. H. Rios: processos fluviais e aluviais. In: _____ Geologia Geral. Rio de Janeiro: 6 ed. LTC, 2016.

RITELA, A. Empreendimentos para a produção de energia: efeitos geomorfológicos e hidrossedimentológicos no Alto Jauru - MT. 2014. 203 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal Fluminense - UFF, Niterói, 2014.

SOUZA, C. A. Dinâmica do corredor fluvial do rio Paraguai entre a cidade de Cáceres e a Estação Ecológica da ilha de Taiamã-MT. 2004. 173 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Rio de Janeiro, 2004.

SUGUIO, K.. Geologia Sedimentar Aplicada. In ___ Geologia Sedimentar. São Paulo: Edgard Blücher, 2003.p.346-347.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão