Suscetibilidade erosiva na bacia do Córrego Pedrinhas em Silvânia-GO

Autores

  • Larissa Gonçalves Arcanjo Santos Instituto de Estudos Sócio Ambientais, Universidade Federal de Goiás
  • Andrelisa Santos Jesus Instituto de Estudos Sócio Ambientais, Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2144

Palavras-chave:

Bacia Hidrográfica. Suscetibilidade. Erosão

Resumo

Este trabalho é resultaddo de uma pesquisa diagnóstica e prognóstica do meio físico da bacia do Córrego Pedrinhas em Silvânia-GO. A bacia estudada localiza-se na porção Central do município e possui uma área de 8,5 km². Essa área representa boa parte da área urbana além de conter pastagem e agricultura. No local existem muitos processos erosivos que estão se tornando um problema para a cidade, uma vez que os fatores que contribuem para esse cenário como desmatamento, urbanização e impermeabilização do solo podem influenciar a ocorrência desses processos. Diante disso, despertou-se o interesse em compreender a suscetibilidade erosiva da área por meio da análise do meio físico. A classe de suscetibilidade à erosão laminar que predomina na área é a classe pouco suscetível com 85,7% e os locais que correspondem a maior suscetibilidade à erosão linear são as áreas urbanas e pastagens.

Biografia do Autor

Larissa Gonçalves Arcanjo Santos, Instituto de Estudos Sócio Ambientais, Universidade Federal de Goiás

Instituto de Estudos Sócio Ambientais, Universidade Federal de Goiás

Andrelisa Santos Jesus, Instituto de Estudos Sócio Ambientais, Universidade Federal de Goiás

Instituto de Estudos Sócio Ambientais, Universidade Federal de Goiás

Referências

AFFONSO, Marcus V. T. Cadastro de erosões na área urbana do município de Silvânia – GO. Goiânia: UFG, 2014.

ARCAYA, Salomé G. C. Avaliação dos fatores condicionantes dos processos erosivos no Distrito Federal. Dissertação de Mestrado. Brasília: Universidade de Brasília, 2007.

CASTRO, Selma S. de; XAVIER, Luciano de S. Plano de controle da erosão linear da área de abrangência das nascentes dos rios Araguaia e Araguainha – GO e MT. Goiânia, 2004.

Instituto de Pesquisas Tecnológicas. Curso de Geologia Aplicada ao meio ambiente. São Paulo, 1995.

JESUS, Andrelisa S. Processos Erosivos em Silvânia – GO. Goiânia, 2014.

MOREIRA, Ceres V. R; PIRES NETO, A. G. Clima e Relevo. In: OLIVEIRA, A. M. dos S; BRITO, S. N. A. de. (Org.). Geologia de Engenharia. São Paulo: Associação Brasileira de Geologia de Engenharia, 1998. Cap. 5.

OLIVEIRA, Cipriano C. de. Programa Levantamentos Básicos do Brasil – Folha SE.22-X-B-V, Leopoldo de Bulhões: Brasília: DNPM, 1994.

ROSS, J. L. S. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais e antropizados. São Paulo, 1994.

SALOMÃO, Fernando X. T. Controle e prevenção dos processos erosivos. In: GUERRA, T.A.J.; SILVA, A.S. & BOTELHO, R.G. (Org.). Erosão e Conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999. Cap. 7.

SENA, Júlio N. O uso de sistema de informação geográfica na avaliação de diferentes alternativas de geração de cartas de suscetibilidade à erosão. Dissertação de Mestrado. Ilha Solteira: Universidade Estadual Paulista, 2008.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão