Utilização de liquens como bioindicadores da qualidade do ar em Itabaiana-SE

Autores

  • Erica Monteiro dos Santos Universidade Federal de Sergipe
  • Ricláudio Silva Santos Universidade Federal de Sergipe
  • Cristiano Aprígio Santos Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2146

Palavras-chave:

Bioindicadores. Qualidade do ar. Itabaiana-SE

Resumo

Os centros urbanos, hoje são áreas mais ocupadas e a poluição atmosférica passou a ser uma das maiores preocupações, a qualidade do ar vai interferir diretamente na qualidade de vida da população, frequentemente os efeitos da qualidade do ar não são tão visíveis, então para o diagnóstico podemos utilizar bioindicadores, esses podem dar visibilidade à pureza atmosférica. Para analisar a qualidade do ar do núcleo urbano de Itabaiana-SE, foram utilizados liquens como bioindicadores, pois os mesmos são sensíveis a alguns gases poluentes. Foram identificadas áreas em condições precárias o que reforça o estado de poluição, a principal área com índices satisfatórios fica no entorno da área mais arborizada, onde a biodiversidade tem maior expressão espacial, essa ocorrência demonstra a importante relação entre a manutenção da cobertura vegetal e suas associações ecológicas com o nível da qualidade do ar de um determinado local.

Biografia do Autor

Erica Monteiro dos Santos, Universidade Federal de Sergipe

Geomorfologia do Quartenário e Modelagem Ambiental- QUACOMA, Departamento de Geografia, Universidade Federal de Sergipe, graduanda. 

Ricláudio Silva Santos, Universidade Federal de Sergipe

Programa de Pós-Graduação em Geografia- PPGEO, Universidade Federal de Sergipe,mestrando.

Cristiano Aprígio Santos, Universidade Federal de Sergipe

Geomorfologia do Quartenário e Modelagem Ambiental- QUACOA, Universidade Federal de Sergipe, Profº, Doutor, locado do Deaprtameento de Geografia de Itabaiana (DGEI).

Referências

GONÇALVES, V. F.; BRUNO, C. G. C.; SOUZA, C. R.; FAÇANHA, P. E. W.; ALVES, M. C.; BORGES, M. P.; MELO, C. Utilização de líquens como bioindicadores da qualidade do ar atmosférico da cidade de Uberlândia, MG. 2007, Caxambu-MG

IBGE, Cidades/municípios. Disponível em: Arquivo capturado em 19 de dezembro de 2017.

MEDEIROS, A. M. L, Mapa de Kernel – Conceito e Aplicações - Julho 2015. Disponível em: http://pt.slideshare.net/AndersonMedeiros/mapas-de-kernel-conceitos-e-aplicaes. Arquivo capturado em 19 de dezembro de 2017.

MOTA-FILHO, F. O.; PEREIRA, E. C.; SILVA, R. A.; XAVIER-FILHO, L. Líquens: Bioindicadores ou biomonitoradores. Portal Biomonitor, out. 2005. Disponível em: http://1 9 3. 1 3 6. 1 4 0. 5 2 / b i o m o n i t o r /index.php?option=com_content&task=view&id=9&Itemid=2. Arquivo capturado em 04 novembros 2016.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Biogeografia, Manejo de Áreas Naturais e Protegidas: Conservação da Biodiversidade