A técnica das pirâmides de vegetação aplicada a análise de unidades florestais de vegetação arbórea densa no Pantanal do Abobral

Autores

  • Mariane Zambone Sakuma Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
  • Mauro Henrique Soares Silva Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2150

Palavras-chave:

Pirâmide de Vegetação. Pantanal. Pantanal Sul-matogrossense. Paisagem. Pantanal do Abobral

Resumo

O trabalho se refere à paisagem do Pantanal do Abrobral, uma das sub-regiões do Pantal Sul-mato-grossense, dos quais possuem unidades florestais de vegetação densa denominada pela comunidade local de Cordilheiras ou Capões, sendo esses objetivos do presente estudo. Tais unidades de paisagem são, em geral, circundadas por planície cobertas por campo nativos do Cerrado. No entanto estas Cordilheiras e Capões do Pantanal são unidades cobertas por vegetação densa, possui uma leve elevação que permite que estas áreas não sofram com o alagamento ocorrido em determinado período todos os anos, sendo utilizada assim para abrigar a fauna do local. Estas unidades de vegetação esta passando por um processo de degradação devido a presença forte da pecuária e é atravéz de analises de especies encontradas que podemos definir o grau de degradação. Deste modo o estudo procura compreender a estrutura e dinâmica desses sistemas florais. O estudo foi realizado por meio de fichas biogeográficas em parcelas de 400m², cujos resultados foram expressos graficamente em Pirâmides de Vegetação.

Biografia do Autor

Mariane Zambone Sakuma, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Curso de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Mauro Henrique Soares Silva, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Curso de Geografia, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul.

Referências

PASSOS, M.M. Biogeografia e Paisagem. 2ª ed. Maringá – PR, 2003.

POTT, Arnildo Plantas do Pantanal. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, EMBRAPA, Brasília-DF, 1994.

SILVA, M.H.S. Pirâmides de vegetação como estratégia metodológica para análise biogeográfica. IN: DIAS, L.S, e GUIMARÃES, R. B. BIOGEOGRAFIA: Conceitos, metodologia e práticas. Editora ANAP, Tupã-SP, 2016.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Biogeografia, Manejo de Áreas Naturais e Protegidas: Conservação da Biodiversidade