Biogeografia de espécies vegetais da Caatinga em uma área vulnerável à desertificação (Caicó – RN)

Autores

  • Paulo Jerônimo Lucena Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Carlos Roberto Silva Filho Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Ana Clara Damasceno Souza de Medeiros Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Diógenes Félix da Silva Costa Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2151

Palavras-chave:

Desertificação. Seridó (RN). Fitossociologia. Geoecologia

Resumo

O bioma Caatinga ocupa todo o Nordeste brasileiro, uma área de 734.478 km², possui um patrimônio biológico bastante diversificado, sendo este o único bioma exclusivamente brasileiro. A vegetação da Caatinga sofre constantes alterações antrópicas principalmente pelo desmatamento desenfreado, acarretando áreas propicias à desertificação. Para a identificação das espécies vegetais, seguiram-se as chaves de identificação do modelo descrito por Cronquist (1988). As informações geradas na interpretação das imagens foram conferidas por meio de levantamentos de campo, a partir do georreferenciamento da área em estudo, utilizando um aparelho GPS de navegação GARMIN Etrex Legend, com precisão de 7 a 10 metros. Considerando-se o tipo de hábito, foram identificadas 01 trepadeira, 01 herbácea, 10 árvores e 11 arbustos, totalizando 23 espécies. A medição de parâmetros estruturais da vegetação de caatinga se mostrou uma ferramenta necessária para se entender o atual estágio de desenvolvimento dessa vegetação em uma determinada área.

Biografia do Autor

Paulo Jerônimo Lucena Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Carlos Roberto Silva Filho, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Ana Clara Damasceno Souza de Medeiros, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Diógenes Félix da Silva Costa, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Referências

AB’SABER, A. N. Os domínios de natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. 3. ed. São Paulo: Ateliê Editorial. 2003.SÃO PAULO (Estado).

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Biodiversidade da caatinga: áreas e açõesprioritárias para a conservação. Brasília: Ministério do Meio Ambiente e Universidade Federal de Pernambuco. 2004, 36p.

CRONQUIST, A. An integrated system of classification of flowering plants. NewYork: Columbia Universty Press, 1981, 1262 p.

GARIGLIO, M. A. Manejo florestal da Caatinga: oportunidade para o atendimento de demanda de energéticos florestais no Nordeste. In: 59º Congresso Nacional de Botânica, anais, Natal/RN, 2007. 4.

GOMES, J. J.; TOLEDO FILHO, R. D.; NASCIMENTO, J. W. B.; SILVA, V. R.; NÓBREGA, M. V. Características tecnológicas da Prosopis juliflora (Sw.) DC. e alternativas para o uso racional, Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.11, n.5, p. 537–542, 2007.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual Técnico da Vegetação Brasileira. 2 ed. Manuais Técnicos de Geociências, n. 1, Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

MITCHELL, K. Quantitative analysis by the Point-Centered Quarter Method. Department of Mathematics and Computer Science, Hobart and William Smith Colleges Geneva, NY, june, 2007, 34 p.

RODAL, M.J.N; ARAÚJO, E.L.; SAMPAIO, E.V.S.B. Composição florística e fitossociologia de três áreas de caatinga de Pernambuco, Revista Brasileira de Biologia, v.55, n.4, 1995, p. 595-607.DICIONÁRIO Prático Ilustrado. Direção de Jaime de Séguier. Edição atualizada e aumentada por José Lello e Edgar Lello. Porto: Lello, 1957.

SANTANA, M. O. (org.) Atlas de áreas susceptíveis à desertificação no Brasil. Brasília/DF: Ministério do Meio Ambiente, 2007.

SBB – Sociedade Brasileira de Botânica. Manual sobre métodos de estudos florístico e fitossiciológico: ecossistema caatinga/Maria Jesus Nogueira Rodal, Everardo V. de Sá Barreto Sampaio, Maria Angélica Figueiredo (organizadores). Brasília. 2013.

VARELA-FREIRE, A.A. A caatinga hiperxerófila Seridó, a sua caracterização e estratégias para a sua conservação. São Paulo: Editora ACIESP, 2002. 39p.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Biogeografia, Manejo de Áreas Naturais e Protegidas: Conservação da Biodiversidade