A introdução da Tilápia do Nilo no município de Macapá-AP e suas implicações para os ecossistemas regionais

Autores

  • Francisco Jardel Lima Moyses Universidade Federal do Amapá
  • Caio Cesar Pantoja Brito Universidade Federal do Amapá
  • Renata Santos Universidade Federal do Amapá

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2157

Palavras-chave:

Áreas de ressaca. Espécie invasora. Biodiversidade

Resumo

O trabalho versa analisar a ocorrência da tilápia do Nilo nas áreas de ressaca da cidade de Macapá e as implicações deste animal exótico sobre as espécies nativas no meio em questão. A presença desta espécie nos ecossistemas (ressaca) proporciona perigo a fauna local, sendo um agente hospedeiro de parasitas e competem por alimento e território, apresenta rápida procriação e rusticidade na adaptação a novos ambientes. Assim a presença da tilápia nas áreas de ressacas representa uma grande ameaça para a biodiversidade nativa regional já que a sua presença nas ressacas pode estar ligada a diminuição de peixes nativos. Dados indicam a presença dessa espécie em várias áreas de ressaca do município, associada a soltura indevida e/ou fuga de piscicultura localizam as margens de igarapés.

Biografia do Autor

Francisco Jardel Lima Moyses, Universidade Federal do Amapá

Universidade Federal do Amapá

Caio Cesar Pantoja Brito, Universidade Federal do Amapá

Universidade Federal do Amapá

Renata Santos, Universidade Federal do Amapá

Universidade Federal do Amapá

Referências

GAMA, C. S. A criação de tilápia no estado do Amapá como fonte de risco ambiental. Acta Amazônico, vol. 38(3), 525 – 530, 2008.

KUBITZA, F.Tilápia:tecnologia e planejamento na produção comercial. Jundiaí: 2000.

NERI, S. H. A. 2004. A utilização das ferramentas de geoprocessamento para identificação de comunidades expostas a hepatite A nas áreas de ressacas 15 municípios de Macapá e Santana/AP. 2004. 173f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil/Recursos Hídricos) – Coordenação dos Programas de PósGraduação em Engenharia, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

RASGUIDO, J. E. A. & LOPES, J. D. S. “criação de peixes”, Viçosa-MG, CPT, 2004.

TAKIYAMA L.R., Silva A.Q., Costa W.J.P. & Nascimento H.S. (2004). Qualidade das Águas das ressacas das bacias do Igarapé da Fortaleza e do Rio Curiaú. In: Takiyama L.R. & Silva A.Q. da (orgs.). Diagnóstico das ressacas do Estado do Amapá: Bacias do Igarapé da Fortaleza e Rio Curiaú, Macapá-AP. Macapá: CPAQ/IEPA e DGEO/SEMA.

TAVARES-DIAS M. Piscicultura continental no estado do Amapá: diagnóstico e perspectivas. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento. Macapá, Brasil: Embrapa Amapá. 2011.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Biogeografia, Manejo de Áreas Naturais e Protegidas: Conservação da Biodiversidade