Compartimentação geomorfometrica da bacia do Rio Neveri, Venezuela

Autores

  • María José Entrena Pineda Universidade Federal de Santa Maria
  • Luis Eduardo de Souza Robaina Universidade Federal de Santa Maria
  • Romario Trentin Universidade Federal de Santa Maria
  • Rhael David Lara Partida Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2185

Palavras-chave:

Bacia hidrográfica. Geomorfometria. Atributos topográficos. Unidades geomorfometricas

Resumo

O avanço das geotecnologias e informática aplicadas no campo da geomorfologia é crescente, o uso de técnicas de inferência espacial para identificação de distintas unidades do relevo, apoia a análise digital do relevo. Nesse sentido, o presente trabalho apresenta o experimento que identificou quinze unidades geomorfométricas, apoiando-se em atributos topográficos derivados do MDE da bacia hidrografica do rio Neveri, Venezuela. Os atributos topográficos empregados foram: altitude, declividade, forma da vertente (plano e perfil de curvatura). Baseia-se na proposta de mapeamento automatizado, que consiste no cruzamento dos atributos topograficos utilizando uma árvore de decisões com base nos valores menor e maior que média da altitude, declividades menor que 5%, 5-15% e maior que15%, planos convergentes e divergentes e perfis côncavo e convexo . A area de estudo é composta de relevos abruptos nas partes altas e medio curso da bacia e planas no curso baixo do rio.

Biografia do Autor

María José Entrena Pineda, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Geociências/ Universidade Federal de Santa Maria.

Luis Eduardo de Souza Robaina, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Geociências/ Universidade Federal de Santa Maria.

Romario Trentin, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Geociências/ Universidade Federal de Santa Maria.

Rhael David Lara Partida, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Geociências/Universidade Federal de Santa Maria.

Referências

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. 2. ed. São Paulo: Edgard Blucher, 1980.188p

ESRI. ArcGis, Spatial Analyst, 3D Analyst. versão 10.1 Environmental Systems Research Institute, 2013

MATTOS, S. H. V. L. DE; FILHO, A. P. Complexidade e estabilidade em sistemas geomorfológicos: uma introdução ao tema. Revista Brasileira de Geomorfologia, p. 11–18, 2004.

GUADAGNIN,P.M; TRENTIN,R.. Compartimentação geomorfométrica da bacia hidrográfica do arroio Caverá - RS Geomorphometric compartmentation of hydrographic basin of the arroio cavera – RS / BRASIL. p. 183–199, 2014.

HENGL, T. Pedometric mapping: bridging the gaps between conventional and pedometric approaches. Wageningen University, Enschede, 2003. 233p. PhD thesis - Wageningen University.Disponível em:

http://spatial-analyst.net/wiki/ index.php?title=Pedometric_mapping:_PhD_thesis Acceso em: 20 jan. 2017.

HORN, B. K. P. Hill shading and the reflectance map. Proceedings of the IEEE, n. 69, v. 01, p. 14-47, 1981

IWAHASHI, J.; PIKE, R. J. Automated classifications of topography from DEMs by an unsupervised nested-means algorithm and a three-part geometric signature.Geomorphology 86(3-4): 409-440, 2007.

PENTEADO, M. M. Fundamentos de Geomorfologia. 3 ed. Rio de Janeiro: Fundação IBGE, 1985. 186p

ROSS, J. L. S. O registro cartográfico dos fato geomórficos e a questão da taxonomia do relevo. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, v. 6, p. 17-29, 1992. Disponible em: <http://www.revistas.usp.br/rdg/article/view/47108/50829>. Acceso en: 12 sept. 2016.

TRENTIN, R.; ROBAINA, L. E. S. As Unidades de Relevo como Base para a Compartimentação Geomorfológica da Bacia Hidrográfica do Rio Itu – Oeste do Rio Grande do Sul. In: 9º SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOMORFOLOGIA, 2012, Rio de Janeiro/RJ. Anais... Rio de Janeiro/RJ: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012.

TRENTIN, R.; ROBAINA, L. E. DE S.; SILVEIRA, C. T. DA. Compartimentação geomorfométrica da bacia hidrográfica do rio itú/rs geomorphometric compartmentation of river basin Itu/RS Revista Brasileira de Geomorfologia. v. 16, n. 2, p. 219-237,2015.

VELOSO, A. A importância do estudo das vertentes. Geographia, v. 4, n. 8, p 1-5, 2002

WOOD, J. The geomorphological characterisation of digital elevation models. Leicester, UK, 1996. 185p. PhD Thesis - University of Leicester.Disponível em: http://www.soi.city.ac.uk/~jwo/phd.

ZEVENBERGEN, L.W.; THORNE, C.R. Quantitative Analysis of Land Surface Topography.Earth Surface Processes and Landforms, v.12, p.47-56, 1987

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física