Mapeamento por meio de geoprocessamento da vulnerabilidade físico ambiental ao deslizamento de terras na região metropolitana de Maceió

Autores

  • Melchior Carlos do Nascimento Universidade Federal de Alagoas
  • Sinval Austran Mendes Guimarães Júnior Universidade Federal de Alagoas
  • Esdras de Lima Andrade Universidade Federal de Alagoas
  • Lionaldo dos Santos Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2200

Palavras-chave:

Geoprocessamento. Deslizamento de terra. Vulnerabilidade físico-ambiental

Resumo

O presente estudo teve como finalidade principal avaliar a vulnerabilidade físico-ambiental aos deslizamentos de terra decorrentes das chuvas intensas na RMM. A partir das análises, foi observado que as ocorrências dos tipos de eventos ou desastres na RMM dependem da interveniência das chuvas e da conjugação de fatores naturais e antropogênicos. Por sua vez, a combinação entre os fatores fisiográficos permitiu identificar que em torno de 44,12% da área de estudo possuem entre média, alta e muito alta vulnerabilidade físico-ambiental ao deslizamento de terra. 

Biografia do Autor

Melchior Carlos do Nascimento, Universidade Federal de Alagoas

Professor Adjunto do Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema), Curso de Geografia Bacharelado, Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Sinval Austran Mendes Guimarães Júnior, Universidade Federal de Alagoas

Professor Assistente do Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema), Curso de Geografia Bacharelado, Universidade Federal de Alagoas (Ufal). 

Esdras de Lima Andrade, Universidade Federal de Alagoas

Geógrafo do Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema), Curso de Geografia Bacharelado, Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Lionaldo dos Santos, Universidade Federal de Alagoas

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Geografia, Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema), Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Referências

ALAGOAS, Governo do Estado de Alagoas, IMA, Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas. Cobertura vegetal do estado de Alagoas & mangues de Alagoas. (Coord. Afrânio Farias de Menezes). Maceió: Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas; Petrobrás, 2010, 202p.

ANDRADE, M. C. Usinas e Destilarias em Alagoas. Maceió: EDUFAL, 2. ed., v. 1, 140 p. 2010.

ASSIS, J. S. Biogeografia e conservação da biodiversidade – projeções para Alagoas. Maceió: Catavento, 2000. 200p.

ASSIS, J. S.; ALVES, A. L.; NASCIMENTO, M. C. Atlas Escolar de Alagoas – Estudo Geo-Histórico e Cultural. João Pessoa: Grafset, 210 p. 2007.

ASSIS, J.S. Um projeto de Unidades de Conservação para o Estado de Alagoas. Rio Claro: IGCE/UNESP, 1998. Tese (Doutorado em Geografia - Organização do Espaço). IGCE/UNESP, 1998. 241p.

BRASIL, Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento/Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa; ALAGOAS, Secretaria de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Agrário – SEAGRI-AL. Levantamento de Reconhecimento de Baixa e Média Intensidade dos Solos do Estado de Alagoas. Recife: Embrapa Solos, 2012, 238p. 1 DVD-ROM (Relatório Técnico).

BRASIL. Ministério da Saúde. Mudanças climáticas e ambientais e seus efeitos na saúde: cenários e incertezas para o Brasil. In: BRASIL. Ministério da Saúde; Organização Pan-Americana da Saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 40p. 2008.

CAMPBELL-LENDRUM, D.; CORVALAN, C. Climate Change and Developing-Country Cities: Implications for Environmental Health and Equity. Journal of Urban Health, v. 84, n. 1, p. 109- 117, 2007.

COITÉ, M. E SANTOS, S. T. Integração das Mudanças Climáticas nos Processos de Desenvolvimento Nacional e na Programação Nacional das Nações Unidas: Guia para Apoiar as Equipas da ONU nos Países na Integração dos Riscos e Oportunidades Climáticas, 2012.

COSTA, C. Maceió. Maceió: Catavento, 2001, 180 p.

CREPANI, E.; MEDEIROS, J. S.; HERNANDEZ FILHO, P.; FLORENZANO, T. G.; DUARTE, V.; BARBOSA, C. C. F. Sensoriamento remoto e geoprocessamento aplicados ao zoneamento ecológico-econômico e ao ordenamento territorial. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, Santa Maria-RS, 103 p. 2001.

DANTAS, José Robinson Alcoforado; CALHEIROS, Mário Eugênio de Vasconcelos. Estratigrafia e geotectônica. In: BRASIL – DNPM. Mapa geológico do Estado de Alagoas: texto explicativo. Recife: DNPM, 1986. p.7-50.

JACOMINE, P. K. T. et al. Levantamento exploratório-reconhecimento de solos do Estado de Alagoas. Recife: EMBRAPA/SUDENE, 1975. 532 p. (Boletim Técnico, 35).

NOU, E.A.V.; BEZERRA, L.M.M.; DANTAS, M. Geomorfologia. In: Brasil, Ministério das Minas e Energia, Secretaria Geral, Projeto Radambrasil. Folhas SC. 24/25 Aracaju/Recife. Rio de Janeiro: DIPUB/RADAMBRASIL, 1983. p. 347-443 (Série: LRN. V. 30).

WAKE. M.; VIANA, C.D.B.; SOUZA, C.G. Pedologia: levantamento exploratório de solos. In: BRASIL, MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA, SECRETARIA GERAL, Projeto Radambrasil. Folhas SC. 24/25 Aracaju. Rio de Janeiro: DIPUB/RADAMBRASIL, 1983. p. 445-572 (Série: LRN. V. 30).

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física