Análise comparativa do albedo de superfície utilizando o algoritmo SEBAL para os sistemas sensores terra/MODIS e Landsat8/OLI no município de Jataí (GO)

Autores

  • Carlos Eduardo Damasceno Universidade Federal de Goiás/Regional Jataí
  • Alécio Perini Martins Universidade Federal de Goiás/Regional Jataí

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2202

Palavras-chave:

Albedo de superfície. Sensoriamento remoto. Algoritmo SEBAL

Resumo

O albedo de superfície é definido como a razão entre a radiação solar incidente e a radiação solar refletida. O modelo SEBAL é utilizado para calcular valores de evapotranspiração em superfície, sendo o cálculo do albedo a primeira etapa do modelo. A variação no albedo influencia diretamente nos padrões de evapotranspiração, atingindo o ciclo hidrológico e atuando na variação da precipitação local. O SEBAL foi aplicado para dois tipos de sistemas sensores (TERRA/MODIS e LANDSAT8/OLI) no intuito de fazer uma análise comparativa entre os resultados. Para aplicação do modelo, bem como para o processamento das imagens e geração dos mapas, foi utilizado o software ArcGis 10.1® licenciado para o Laboratório de Geoinformação da Universidade Federal de Goiás/Regional Jataí. Foram utilizadas imagens do dia 07 de outubro de 2016 para o sistema LANDSAT8/OLI e do período entre 07 e 14 de outubro de 2016 para o sistema TERRA/MODIS. 

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Damasceno, Universidade Federal de Goiás/Regional Jataí

Laboratório de Geoinformação, Universidade Federal de Goiás/Regional Jataí.

Alécio Perini Martins, Universidade Federal de Goiás/Regional Jataí

Laboratório de Geoinformação, Universidade Federal de Goiás/Regional Jataí.

Referências

ALLEN, R. G.; TASUMI, M.; TREZZA, R.; WATERS, R.; BASTIAANSSEN, W. G. M. Surface Energy Balance Algorithm for Land (SEBAL)-Advanced Trainig and User’s Manual, University of Idaho: Kimberly, EUA, p. 98, 2002.

ANDRADE, R. G. et al. Estimativa do albedo e do saldo de radiação à superfície utilizando imagem MODIS/AQUA na bacia do Rio Ji-Paraná/RO. Campinas, SP: Embrapa Monitoramento por Satélite, 2010. 24p.

JATAÍ. Prefeitura de Jataí-GO. Disponível em < http://www.jatai.go.gov.br>. Acesso em 09 de fev. 2017.

MARTINS, A. P. Uso de dados do sensor Modis/Aqua e do algoritmo Sebal para estimativa da evapotranspiração real na bacia do Rio Paranaíba / Alécio Perini Martins – 2015.

MARTINS, A. P.; IRACI, S.; SOUSA, M. S.; PEIXINHO, D. M. Uso da terra e cobertura vegetal de 1985 a 2015 no Sudoeste de Goiás e relações com o meio Físico. In: PEIXINHO, D. M. Reconfiguração do cerrado: uso, conflitos e impactos ambientais / Dimas Moraes Peixinho; Marluce Silva Sousa (Org.). – Goiânia: 268 p. : il.

MENDONÇA, J. C. et al. Análise do albedo à superfície a partir de produtos MODIS. In: CBMET, CONGRESSO BRASILEIRO DE METEOROLOGIA, 16, 2010, Belém/PA. Anais do XVI Congresso Brasileiro de Meteorologia. Belém, 2010. p.1-5.

MODIS. Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer. Disponível em <https://modis.gsfc.nasa.gov>. Acesso em 09 fev. 2017.

NICÁCIO, R. M. Evapotranspiração real e umidade do solo usando dados de sensores orbitais e a metodologia SEBAL na bacia do Rio São Francisco (Rio de Janeiro). 2008. 337f. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2008.

ROSA, R. Introdução ao sensoriamento remoto / Roberto Rosa. – 7. Ed. Uberlândia: EDUFU, 2009.

RUHOOF, A. L.; SILVA NOVO, B. B.; ROCHA, H. R. Determinação da irradiância solar no topo da atmosfera para cálculo do albedo e balanço de energia a partir de imagens LANDSAT 8 OLI. Anais. VVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto – SBSR, João Pessoa-PB, p. 4495-4502, 2015.

USGS. United States Geological Survey. Disponível em <https://earthexplorer.usgs.gov>. Acesso em 09 fev. 2017.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física