Índices de Vegetação aplicados sobre os padrões de ocupação do Cerrado no município de Diamantino, Mato Grosso

Autores

  • Poliana Sales Gonçalves Curso Técnico em Administração do IFMT
  • Edcassio Avelino Instituto Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2209

Palavras-chave:

Cerrado. Sensoriamento remoto. NDVI. SAVI. EVI

Resumo

Nos últimos anos, consolidou-se a conversão de áreas do bioma Cerrado em terrenos voltados para o cultivo agrícola ligado à produção econômica. Este estudo tem o objetivo de aplicar os índices de vegetação (NDVI, SAVI E EVI) para identificar os padrões de ocupação do Cerrado, no contexto do município de Diamantino, estado de Mato Grosso. Esse estudo fundamentou-se nas concepções teóricas de Natureza (PORTO-GONÇALVES, 2006); Sensoriamento Remoto (NOVO, 2008); e Sensoriamento Remoto da Vegetação (PONZONI, 2012), buscando aplicar os índices de vegetação NDVI, SAVI e EVI sobre a imagem do satélite Landsat 8, sensor OLI, órbita 227, ponto 70, de 17/09/2016. Os resultados permitiram identificar na área de estudo áreas com: vegetação densa, vegetação moderada, vegetação rasteira e solo exposto. Ademais, os dados NDVI, SAVI e EVI proporcionaram a elaboração de documentos cartográficos que podem auxiliar na gestão territorial. 

Biografia do Autor

Poliana Sales Gonçalves, Curso Técnico em Administração do IFMT

Aluna do Curso Técnico em Administração do IFMT Campus A. Diamantino.

Edcassio Avelino, Instituto Federal da Bahia

Docente do IFMT Campus A. Diamantino/ IFBA Campus Eunápolis.

Referências

BRASIL. Ministério de Ciência e Tecnologia. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Monitoramento dos biomas brasileiro por satélite: monitoramento do Cerrado. São Paulo: Arcplan, 2011.

______. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Biodiversidade do Cerrado e Pantanal: áreas e ações prioritárias para a conservação. Brasília: MMA, 2007.

COUTINHO, L. M. O conceito de cerrado. Revista Brasileira de Botânica, v. 1, p. 17–23, 1978.

GOODLAND, R. J. A.; FERRI, M. G. Ecologia do Cerrado. [S.l.]: Edusp/Itatiaia, 1979.

IBGE. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

______. Produção Agrícola Municipal 2015. Rio de Janeiro: IBGE, 2015.

MACHADO, R. et al. Estimativas de perda da área do Cerrado brasileiro. http://www.ci.com (last accessed Janeiro 11, 2008): Conservation International, 2004.

NOVO, E. M. L. de Moraes. Sensoriamento Remoto: princípios e aplicações. 3ed. São Paulo: Blucher, 2008.

PONZONI, F. J.; Shimabukuro, Yosio Edemir. Sensoriamento Remoto no Estudo da Vegetação. São José dos Campos: Parêntese, 2012.

PORTO-GONÇALVES, C.V. Os (des) caminhos do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2006.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física