Bacia do rio Piauí-SE: cartografia das unidades de modelado de relevo com auxílio de geoprocessamento

Autores

  • Lucas Marcone dos Santos Universidade Federal de Sergipe
  • Alexandre Herculano de Souza Lima Universidade Federal de Sergipe
  • Luan Lacerda Ramos Universidade Federal de Sergipe
  • Ronaldo Missura Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2222

Palavras-chave:

Mapa geomofologico. Geotocnologia. Bacia hidrográfica

Resumo

O mapa geomorfológico nos ajuda a compreender as relações espaciais de interesse do geógrafo como vulnerabilidade e a potencialidade dos recursos do relevo (Tricart, 1965). Com uso de geotecnologia o mapeamento geomorfológico da bacia do Rio Piauí, foi executado na escala de 1:100.000. Aplicando a classificação taxonômica de Ross (1992, 1996), o mapeamento foi construído nas grandeza do 3º e 4º táxon que corresponde às unidades morfológicas ou aos padrões de formas semelhantes contidos nas unidades morfoesculturais e os tipos de formas de relevo. A metodologia aplicada aos modelados de acordo com o tipo de relevo se baseou no Manual Técnico de Geomorfogia do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A metodologia aplicada do IBGE delimita os modelados de acordo com a seguinte classificação de compartimentos de relevo: Plaino Aluvial e Terraços/Planicies; Maciços Residuais; Pedimentos; Patamares; Cimeiras e Pediplanos intermontanos.

Biografia do Autor

Lucas Marcone dos Santos, Universidade Federal de Sergipe

Aluno do Departamento de Geografia/Universidade Federal de Sergipe - Campus São Cristóvão.

Alexandre Herculano de Souza Lima, Universidade Federal de Sergipe

Aluno do Departamento de Geografia/Universidade Federal de Sergipe - Campus São Cristóvão.

Luan Lacerda Ramos, Universidade Federal de Sergipe

Aluno do Departamento de Geografia/Universidade Federal de Sergipe - Campus São Cristóvão.

Ronaldo Missura, Universidade Federal de Sergipe

Professor do Depto de Geografia da Universidade Federal de Sergipe - Campus São Cristóvão.

Referências

CHRISTOFOLETTI, A. Análise de Sistemas em Geografia. São Paulo: Hucitec-Edusp, 1979.

Ciências da Terra. n.13. São Paulo, 1971.

IBGE, Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual Técnico de Geomorfologia. Coord. Bernardo de Almeida Nunes et al). Série Manuais Técnicos em Geociências. Número 5, R. de Janeiro, 2009.

ROSS, J. Geomorfologia ambiente e planejamento. S. Paulo:Contexto, 1990.

ROSS, J. S.Registro cartográfico dos fatos geomorfológicos e a questão da taxonomia do relevo. Rev. geografia. São Paulo, IG-USP, 1992

ROSS, Jurandyr Luciano Sanches. “Análise e Síntese na Abordagem Geográfica da Pesquisa para o Planejamento Ambiental”. In: Revista do Departamento de Geografia n°9, FFLCH-USP, São Paulo, 1995.

SOTCHAVA, V. B. Por uma teoria de classificação dos geossistemas de vida terrestre. Biogeografia. São Paulo: IGEO/USP 1978.

TRICART, J. Principes et méthodes de l geomorphologie. Paris:Masson Ed., 1965.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física