Compartimentação geoambiental do Planalto da Ibiapaba: subsídios ao manejo dos recursos naturais nos municípios de Tianguá e Ubajara – Ceará

Autores

  • Francisco Leandro de Almeida Santos Universidade Estadual do Ceará
  • Flávio Rodrigues do Nascimento Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2238

Palavras-chave:

Sistemas ambientais. Tipologias de uso e ocupação. Ordenamento territorial

Resumo

Os municípios de Tianguá e Ubajara estão localizados no setor setentrional do Planalto da Ibiapaba, noroeste do Ceará, se destacando como objeto empírico da pesquisa pela diversificação das tipologias de uso e ocupação da terra que justificam a instalação de problemas ambientais sobre o meio físico-biótico. Assim, a discussão se pauta nos preceitos da análise integrada da paisagem como base de método para uma proposta de ordenamento territorial ao desenvolvimento das atividades produtivas em compatibilidade com a capacidade de suporte dos sistemas ambientais. Os procedimentos operacionais foram divididos em quatro etapas: 1) Revisão da literatura; 2) Interpretação de imagens orbitais; 3) Elaboração do mapeamento temático; 4) Trabalho de campo. Após as discussões, os resultados expõem a sinopse da compartimentação geoambiental definindo estratégias de manejo adequado dos recursos naturais com intervenções que visam à sustentabilidade ecológica e econômica.

Biografia do Autor

Francisco Leandro de Almeida Santos, Universidade Estadual do Ceará

Universidade Estadual do Ceará.

Flávio Rodrigues do Nascimento, Universidade Federal do Ceará

Universidade Federal do Ceará. 

Referências

BRASIL. Novo Código Florestal Brasileiro. Lei Nº 12727/12, Brasília, DF.

AB’ SABER, Aziz Nacib. Um conceito de Geomorfologia a serviço das pesquisas sobre o Quaternário. In: Geomorfologia, 18, São Paulo, IGEOG-USP, 1969, p. 1-23.

BERTRAND, G. Paisagem e Geografia Física Global: esboço metodológico. São Paulo: Instituto de Geografia da USP, 1972. (Caderno de Ciências da Terra, 13).

BRASIL. Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC). Lei nº 9.985 de 18 de julho de 2000.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Brasil em Relevo: Monitoramento por Satélite. Download da SRTM. Brasília: EMBRAPA, 2014. Disponível em: (http://www.relevobr.cnpm.embrapa.br/). Acesso em 22 de Março de 2014.

IPECE. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Estado do Ceará. Ceará em Mapas: Informações Georrefenciadas e Espacializadas do Estado do Ceará (Meio Ambiente). Fortaleza, 2013. Disponível em http://www.ipece.ce.gov.br. Acesso em 25 de abril de 2013.

NASCIMENTO, F. R. Degradação Ambiental e Desertificação no Nordeste Brasileiro: o contexto da bacia hidrográfica do rio Acaraú – Ceará. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2006. 325 p.

SOUZA, M. J. N. Bases naturais e esboço de zoneamento geoambiental do estado do Ceará. In: LIMA, L. C., SOUZA, M. J. N., MORAES, J. O. (orgs.). Compartimentação territorial e gestão regional do estado do Ceará. Fortaleza: Editora FUNECE, 2000.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física