Dinâmica do uso da terra na área do Parque Nacional de Itabaiana antes e depois da criação da reserva

Autores

  • Iasmin Teles Carvalho Universidade Federal de Sergipe
  • Bartira Alves de Melo Universidade Federal de Sergipe
  • Daniel Rodrigues de Lira Universidade Federal de Sergipe
  • Cristiano Aprígio dos Santos Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2251

Palavras-chave:

SIG. Índice de vegetação. Ação antrópica

Resumo

O Uso da terra pode ser considerado a forma na qual o espaço está sendo ocupado o que ocasiona grandes impactos, geralmente onde não há planejamento adequado, ocorre degradação exacerbada da terra e de seus recursos naturais. A relação entre sociedade e natureza tem acarretado impactos ambientais, devido à necessidade de uma maior exploração dos recursos, é o caso do Parque Nacional da Serra de Itabaiana. Para melhor entender essa dinâmica utilizou-se imagens de satélite de antes e posterior a criação do parque sendo. A partir da elaboração dos índices e posterior fatiamento e classificação, a imagem correspondente apenas a área do Parque chegou-se ao seguinte resultado: Pastagem, Vegetação Esparsa, Vegetação Densa. Foi possível constatar que após a criação do parque as áreas de vegetação densa cresceram e as áreas de pastagem reduziram de tamanho.

Biografia do Autor

Iasmin Teles Carvalho, Universidade Federal de Sergipe

Departamento de Geografia Itabaiana - DGEI, Universidade Federal de Sergipe - UFS.

Bartira Alves de Melo, Universidade Federal de Sergipe

Departamento de Geografia Itabaiana - DGEI, Universidade Federal de Sergipe - UFS.

Daniel Rodrigues de Lira, Universidade Federal de Sergipe

Departamento de Geografia Itabaiana - DGEI, Universidade Federal de Sergipe - UFS.

Cristiano Aprígio dos Santos, Universidade Federal de Sergipe

Departamento de Geografia Itabaiana - DGEI, Universidade Federal de Sergipe - UFS.

Referências

BRAZ. A. M. Et al. ANÁLISE DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E SAVI E ÍNDICE DE ÁREA FOLEAR (IAF) PARA A COMPARAÇÃO DA COBERTURA VEGETAL NA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO RIBEIRÃOZINHO, MUNICÍPIO DE SELVÍRIA – MS. Revista Percurso - NEMO Maringá, v. 7, n. 2 , p. 05- 22, 2015.

LIRA. D. R. de. Et al. Mapeamento e Quantificação da Cobertura Vegetal do Agreste Central de Pernambuco Utilizando o NDVI. Revista Brasileira de Geografia Física 03 (2010) 157-16.

Plano de manejo Parque Nacional Serra de Itabaiana. Instituto Chico Mendes. Brasília, julho de 2016.

RAMOS. R. R. D. Et al. APLICAÇÃO DO ÍNDICE DA VEGETAÇÃO POR DIFERENÇA NORMALIZADA (NDVI) NA AVALIAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS E POTENCIAIS PARA UNIDADES DE CONSERVAÇÃO. III Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação, Recife - PE, 27-30 de julho de 2010 p. 001 – 006.

SANTOS. F. de A. dos. USO DE IMAGENS LANDSAT PARA AVALIAÇÃO DA COBERTURA VEGETAL DO PARQUE NACIONAL DE SETE CIDADES (PI), NORDESTE, BRASIL. Cadernos Cajuína, V. 1, N. 3, 2016, p.24 - 35.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física