Uso do sensoriamento remoto e de veículos aéreos não tripulados no monitoramento do processo erosivo no litoral do extremo sul do Rio Grande do Sul, Brasil

Autores

  • Miguel da Guia Albuquerque Universidade Federal do Rio Grande
  • Deivid Leal Alves Departamento de Geoprocessamento, Instituto Federal do Rio Grande do Sul
  • Jean Marcel de Almeida Espinoza Departamento de Geoprocessamento, Instituto Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2260

Palavras-chave:

Sensores remotos. Geoprocessamento. Geotecnologias

Resumo

O presente estudo tem como objetivo caracterizar o processo erosivo ocorrido no litoral do extremo sul do Brasil, a partir de sensores remotos e uso de veículos aéreos não tripulados (drone). O estudo se concentrou nos efeitos da passagem do ciclone de 27 de outubro de 2016 na região da praia do Hermenegildo, buscando caracterizar o comportamento da linha de costa e as taxas de erosão antes e após a passagem do evento meteorológico. Um comparativo entre uma imagem de satélite obtida em julho de 2016 e um levantamento realizado com drone em novembro de 2016 mostrou que a linha de costa apresentou uma retração de 6,38 m/dia. O resultado destaca a importância das oscilações climáticas dominantes e faixas de tempestade na retração da linha de costa durante a passagem de eventos extremos, sendo esse tipo de estudo uma ferramenta básica de interesse geral da gestão costeira.

Biografia do Autor

Miguel da Guia Albuquerque, Universidade Federal do Rio Grande

Universidade Federal do Rio Grande

Deivid Leal Alves, Departamento de Geoprocessamento, Instituto Federal do Rio Grande do Sul

Departamento de Geoprocessamento, Instituto Federal do Rio Grande do Sul

Jean Marcel de Almeida Espinoza, Departamento de Geoprocessamento, Instituto Federal do Rio Grande do Sul

Departamento de Geoprocessamento, Instituto Federal do Rio Grande do Sul

Referências

ALBUQUERQUE, M.G.; LEAL ALVES, D.C.; MACHADO, A.; ESPINOZA, J.; CALLIARI, L.; GANDRA, T. – Gestão costeira e riscos associados a tempestades: um panorama dos impactos costeiros causados pelos eventos extremos no Rio Grande do Sul. In: DE PAULA, D; DIAS, J.A. (org.), Ressacas do Mar/ Tempestades e Gestão Costeira. Fortaleza: Editora Premius, 2015. pp. 415-444.

ALBUQUERQUE, M.G.; ESPINOZA, J.; TEIXEIRA, P.; DE OLIVEIRA, A.; CORREA, I.; CALLIARI, L. - Erosion or coastal variability: an evaluation of the DSAS and change polygon methods for the determination of erosive process on sandy beaches - Journal of Coastal Research, SI(65): 1710-1714, 2013.

ALBUQUERQUE, M. G. Análise espaço-temporal das causas da variabilidade da linha de costa e erosão na praia do Hermenegildo, RS. 2013. 127 f. Tese (Doutorado em Geociências) - Programa de Pós-Graduação em Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

ANFUSO, G.; BOWMAN, D.; DANESE, C.; PRANZINI, E. - Transect based analysis versus area based analysis to quantify shoreline displacement: spatial resolutions issues - Environmental Monitoring Assessment, 188: 568, 2016.

CALLIARI, L.J.; KLEIN, A.H.F.; BARROS, F.C.R. – Beach differentiation along the Rio Grande do Sul coastline (southern Brazil). Rev. Chil. Hist. Nat., 69: 485-493, 1996.

HAALA, N.; CRAMER, N.; ROTHERMEL, M. – Quality of 3D point clouds from highly overlapping UAV imagery. International Archives of the Photogrammetry, Remote Sensing and Spatial Information Science, 40(1W2): 183-188, 2013.

MACHADO, A.A.; CALLIARI, L.J.; MELO, E.; KLEIN, A.H.F. – Historical assessment of extreme coastal sea state conditions in southern Brazil and their relation to erosive episodes. Pan-American Journal of Aquatic Sciences, 5(2): 105-114, 2010.

SMITH, M.J. & CROMLEY, R.G. – Mensure historical coastal change using GIS and the change polygon approach. Transactions in GIS, 16(1): 3-15, 2012.

WRIGHT, L.D.; SHORT, A.D. – Morphodynamic variability of surf zones and beaches: a synthesis. Marine Geology, 56: 93-118, 1984.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Dinâmica e Gestão de Zonas Costeiras