Técnicas de geoprocessamento para delimitação de sistemas físico-naturais e ações de planejamento: o caso do município de Ipu - CE

Autores

  • Ana Larissa Ribeiro de Freitas Universidade Federal do Ceará
  • Francisco Davy Braz Rabelo Universidade Federal do Ceará
  • Edson Vicente da Silva Universidade Federal do Ceará
  • Ernane Cortez Lima Universidade Estadual Vale do Acaraú

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2263

Palavras-chave:

Planejamento ambiental. Gestão ambiental. Geotecnologias

Resumo

O trabalho foi desenvolvido como forma de subsidiar ações de planejamento e gestão ambiental no município de Ipu-Ce, a partir de uma metodologia geoecológica fundamentada na análise integrada da relação natureza-sociedade a partir de uma caracterização socioeconômica e natural. Foram elaborados mapas através do uso de geotecnologias de informações geográficas, de forma a delimitar os sistemas físico-naturais, possibilitando a caracterização e discussão do mesmo. Percebe-se, em Rodriguez (1994), que os sistemas formadores da paisagem são complexos e exigem uma multiplicidade de classificações que podem, segundo o autor, enquadrar-se perfeitamente em três princípios básicos de análise: o genético, o estrutural sistêmico e o histórico, que se fundem numa classificação complexa. Conhecer esses sistemas físico-naturais e sua relação com a sociedade é importante para tomadas de decisões territoriais, pautadas na capacidade de suporte dos mesmos com relação à atividade antrópica.

Biografia do Autor

Ana Larissa Ribeiro de Freitas, Universidade Federal do Ceará

Departamento de Geografia, Universidade Federal do Ceará - UFC.

Francisco Davy Braz Rabelo, Universidade Federal do Ceará

Departamento de Geografia, Universidade Federal do Ceará - UFC.

Edson Vicente da Silva, Universidade Federal do Ceará

Departamento de Geografia, Universidade Federal do Ceará - UFC.

Ernane Cortez Lima, Universidade Estadual Vale do Acaraú

Departamento de Geografia, Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA.

Referências

BERTALANFFY, Ludwig von. Teoria Geral dos Sistemas: fundamentos, desenvolvimento e aplicação. Petrópolis-RJ: Vozes,. 1975.BERTRAND, Georges. Paisagem e Geografia Física Global - esboço metodológico. Caderno de Ciências da Terra. São Paulo, SP: Instituto de Geografia – USP, 1972.

BERTRAND, G.; BERTRAND, C. Uma Geografia transversal e de travessias: o meio ambiente através dos territórios e das temporalidades. Organizador Messias Modesto Passos. Maringá, PR: Ed. Massoni, 2007.

ICMBIO. Plano de Manejo: Encarte 4- Contexto Regional. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/parnaubajara/planos-de-manejo>. Acesso em: 10 mar. 2017.

LIMA, E. C.; SILVA, E. V. ESTUDOS GEOSSISTÊMICOS APLICADOS À BACIAS HIDROGRÁFICAS. Revista Equador, Piauí, v. 4, n. 4, p.3-20, dez/2015.

RODRIGUEZ J., SILVA E.V. A classificação das paisagens a partir de uma visão geossistêmica. Mercator, Revista do Depto. de Geografia-UFC. 1(1): 98-115, 2002.

RODRIGUEZ, J. M.; SILVA, E. V. DA; CAVALCANTI, A. P. B. Geoecologia das Paisagens: uma visão geossistêmica da análise ambiental. Fortaleza: Edições UFC, 2004.

SOTCHAVA, V. B. O estudo de geossistemas. São Paulo: Instituto de Geografia USP, 1977.

SOTCHAVA, V. B. Por uma teoria de classificação de geossistemas da vida terrestre. São Paulo: Instituto de Geografia USP, 1978.

SOUZA, M. J. N. Bases Naturais e Esboço do Zoneamento Geoambiental do Estado do Ceará. In: LIMA, L. C; SOUZA, M. J. N; MORAES, J. O. Compartimentação territorial e gestão regional do Ceará. Editora FUNECE: Fortaleza, 2000

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física