Gestão costeira para a conservação dos recursos naturais do municipio de Cedral, estado do Maranhão, Brasil

Autores

  • Filipe Salomão de Sousa Ferreira Universidade Federal do Maranhão
  • Larissa Marques Rodrigues Universidade Federal do Maranhão
  • Marco Aurélio Neri Torres Universidade Federal do Maranhão
  • Antonio Cordeiro Feitosa Universidade Federal do Maranhão

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2284

Palavras-chave:

Gerenciamento costeiro. Reentrâncias maranhenses. Município de Cedral – MA

Resumo

As zonas costeiras são espaços preferenciais para as atividades humanas em face de suas potencialiddes como provedoras de recursos e o Município de Cedral, situado na extremidade ocidental do Golfâo Maranhense, possui uma zona costeira de extrema importância para a conservação da biodiversidade do Estado. O estudo analiza os instrumentos da gestão costeira de Cedral, inserida na APA das Reentrâncias Maranhenses, a pesquisa foi desenvolvida com base no método: dedutivo e indutivo, com os procedimentos metodológicos: levantamento e análise da bibliografia, entrevista com gestores, atividades de campo e registro fotográfico. Constata-se a reduzida intervenção de atores ambientais e de políticas públicas visando o fortalecimento da Gestão Costeira, fato que justifica a emergência de ações efetivas, pois atualmente só ocorrem ações isoladas e esporádicas que inviabilizam o cumprimento da legislação ambiental.

Biografia do Autor

Filipe Salomão de Sousa Ferreira, Universidade Federal do Maranhão

Universidade Federal do Maranhão

Larissa Marques Rodrigues, Universidade Federal do Maranhão

Universidade Federal do Maranhão

Marco Aurélio Neri Torres, Universidade Federal do Maranhão

Universidade Federal do Maranhão

Antonio Cordeiro Feitosa, Universidade Federal do Maranhão

Universidade Federal do Maranhão

Referências

BRASIL, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Bases de Informações do Censo Demográfico 2010: Rio de Janeiro: IBGE, 2011.

BRASIL, Lei nº 7.661, de 16 de maio de 1988, institui o Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro e dá outras providências. Brasília, 16 de maio de 1988.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro. Brasília: MMA, 2014.

CARVALHO, I. de S. A Bacia de São Luís. In: BRITO, I. M. Geologia histórica. Uberlândia: EDUFU, 2001.

GUERRA, A. J.; GUERRA, A. J. T. Novo dicionário geológico-geomorfológico. 9ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

KAPLAN, Abraham. A Conduta na pesquisa: metodologia para as ciências do comportamento. São Paulo: EPU, Ed. da Universidade de São Paulo, 1975.

MARANHÃO. Decreto Estadual nº. 11.901. Cria, no Estado do Maranhão, a Área de Proteção Ambiental das Reentrâncias Maranhenses, com limites que especifica e dá outras providências. São Luís, 11 de junho de 1991.

Ministério do Meio Ambiente. Plano de Manejo. Disponível em:<http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/unidades-de-conservacao/plano-de-manejo>. Acesso em 12 de abril de 2017.

MUEHE, D. Geomorfologia Costeira. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. da. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. – 11ª ed. – Rio de Janeiro: Betrand Brasil, 2012.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Dinâmica e Gestão de Zonas Costeiras