Interferências e influências antrópicas na bacia do Ribeirão Jacuba, a partir do processo de urbanização do município de Hortolândia-SP

Autores

  • Alexandre Lippaus Rocha Universidade Estadual de Campinas
  • Archimedes Perez Filho Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2285

Palavras-chave:

Geomorfologia antropogênica. Ribeirão Jacuba. Uso e ocupação das terras

Resumo

Modificações nas morfologias de rede de drenagem da bacia do ribeirão Jacuba, são reflexos dos agentes modeladores de relevo, bem como, da interação entre as atividades antrópicas e os fatores físicos da paisagem, atuando no decorrer do processo de urbanização do município de Hortolândia/SP. Realizou-se levantamento das características do uso e ocupação das terras de períodos entre 1962 e 2010, visando entender dinâmicas de atividades antrópicas sobre tal território, correlacionando-as com alterações da atual rede drenagem. Foram utilizadas cartas topográficas, imagens orbitais e imagens aéreas da região em diversos períodos, assim como, documentos cedidos pela prefeitura de Hortolândia, nos quais representaram o crescimento urbano do município, no qual se insere a bacia hidrográfica o rio Jacuba. Verificou-se desaparecimento de rios de primeira ordem, diminuição da área da planície de inundação e retificação do Ribeirão Jacuba. Simultaneamente, houve avanço do processo de urbanização, pressionando suas margens.

Biografia do Autor

Alexandre Lippaus Rocha, Universidade Estadual de Campinas

Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas

Archimedes Perez Filho, Universidade Estadual de Campinas

Departamento de Geografia, Universidade Estadual de Campinas

Referências

BRIGUENTI, E.C. O Uso de Geoindicadores na Avaliação da Qualidade Ambiental da Bacia do Ribeirão Anhumas, Campinas/SP. Janeiro de 2005. Pp.140. Dissertação de Mestrado. Instituto de Geociências - Universidade Estadual de Campinas. 2005.

CHRISTOFOLETTI, A. Modelagem de Sistemas Ambientais. São Paulo: Edgard Blücher, 1999.

IAC. Fotografias Aéreas. 1962. Escala aproximada: 1:25.000.IBGE. Manual Técnico de Uso da Terra. Diretoria de Geociências. Rio de Janeiro, 2013. Pp.171.

IBGE. Manual Técnico de Uso da Terra. Diretoria de Geociências. Rio de Janeiro, 2013. Pp.171.

IGC. Cartas Topográficas 95/74; 95/75; 95/76; 96/74; 96/75; 96/76; 97/74; 97/75; 97/76. 1979; 2002/2003. Escala: 1:10.000. 2002.

LUZ, R.A. Mudanças geomorfológicas na planície fluvial do Rio Pinheiros, São Paulo (SP), ao longo do processo de urbanização. 2014. Pp. 245. Tese (Doutorado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo. 2014.

MARCHETTI, D.A.B. Princípios de Fotogrametria e Fotointepretação. Nobel. São Paulo. 1988. pp. 257.POLIDORO, M. Desafios técnicos e institucionais na aplicação de instrumentos inovadores de planejamento e gestão urbanos: o caso de Hortolândia - São Paulo. Revista Terr@Plural, Ponta Grossa, v.7, n.1, p.92-108, jan/jun 2013. Disponível em: < http://www.revistas2.uepg.br/index.php/tp/article/viewFile/3526/3415 >

POLIDORO, M. Desafios técnicos e institucionais na aplicação de instrumentos inovadores de planejamento e gestão urbanos: o caso de Hortolândia - São Paulo. Revista Terr@Plural, Ponta Grossa, v.7, n.1, p.92-108, jan/jun 2013. Disponível em: < http://www.revistas2.uepg.br/index.php/tp/article/viewFile/3526/3415 >

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Uso e ocupação das terras e legislação ambiental