Movimentos de massa e vulnerabilidade ambiental na estrada Abraão – Dois Rios, Ilha Grande (RJ)

Autores

  • Jonathan Araujo Barreto de Souza Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Tadeu Tostes de Souza Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Ana Beatris Costa Farias Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2329

Palavras-chave:

Unidades de conservação. Impactos ambientais. Ilha Grande

Resumo

A Ilha Grande é distrito de Angra dos Reis e localiza-se no litoral sul do estado do Rio de Janeiro. Diferentes Unidades de Conservação inserem-se nesse território insular que, nas últimas décadas, tem sido visitado por turistas. O recorte espacial abrange o percurso entre as enseadas de Abraão e Dois Rios, estrada com cerca de 12 km de extensão. De Estrada da Colônia, à época do Presídio, passou a ser chamada de Trilha T14, à época da criação de áreas protegidas, e poderá ser considerada como Estrada-Parque, de acordo com recente proposta do governo do Estado do Rio de Janeiro no momento atual em que o turismo é a atividade econômica que predomina em quase toda a ilha. O objetivo principal é o de realizar levantamento dos escorregamentos ao longo da estrada bem como o de cicatrizes para subsidiar o manejo e manter a paisagem em estado natural ou seminatural, dentro dos propósitos do Parque.

Biografia do Autor

Jonathan Araujo Barreto de Souza, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Núcleo de Ensino e Pesquisa em Planejamento Territorial, Instituto de Geografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Tadeu Tostes de Souza, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Núcleo de Ensino e Pesquisa em Planejamento Territorial, Instituto de Geografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Ana Beatris Costa Farias, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Núcleo de Ensino e Pesquisa em Planejamento Territorial, Instituto de Geografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

BIGARELLA, J. J. e SANTOS, G. F. dos. Estrutura e Origem das Paisagens Tropicais e Subtropicais. Florianópolis. Ed UFSC, 2003 v.3 p. 884 – 889.

FERNANDES et all, 2001 .as Encostas: Avaliação de Metodologias e Aplicação de Modelo de Previsão de Áreas Susceptíveis.

KALIKI, M. A. G. DA SILVA. Diagnostico da Estrada Abraão-Dois Rios na ilha grande (RJ) e a proposta de Estrada-Parque no âmbito do planejamento ambiental. Monografia, Instituto de Geografia, UERJ. 2014.

ROSA, MATEUS DA SILVA. Bacias Ambientais da Ilha Grande: adequação da escala de análise para o planejamento ambiental. Monografia, Instituto de Geografia, UERJ. 2010.

SANTOS, R.F. Planejamento ambiental: teoria e prática. Oficina de textos, 2004.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física e Desastres Naturais