Aplicação do índice de gradiente do canal na análise geomorfométrica da bacia do Rio Bonito (Petrópolis, RJ)

Autores

  • Daniele Pereira Pecorella Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Laura Delgado Mendes Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2347

Palavras-chave:

Geomorfometria. Índice de gradiente do canal. Perfil longitudinal. Morfotectônica

Resumo

O objetivo desse trabalho é apresentar os resultados da aplicação do índice de gradiente do canal (SL) na bacia do rio Bonito (Petrópolis-RJ) utilizando estudos prévios com abordagem morfotectônica. O índice de gradiente do canal permite a análise geomorfométrica dos perfis longitudinais dos rios e, por sua vez, possibilita identificar e quantificar anomalias associadas à controles litológicos e/ou estruturais e, especialmente, neotectônicos. Os dados de sete canais (rio principal e seis afluentes da margem direita) para o SL Total e doze pontos para o SL Trecho foram obtidos a partir de carta topográfica na escala de 1:10000, com auxílio de curvímetro, e calculados em planilha electrônica. Os índices SL mais elevados coincidem com as marcantes rupturas observadas nos perfis longitudinais dos canais que indicam o controle tectônico-estrutural na área, que se reflete na sua compartimentação morfotectônica, e em especial na configuração da rede de drenagem.

Biografia do Autor

Daniele Pereira Pecorella, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DGEO/Instituto Multidisciplinar, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Laura Delgado Mendes, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DGEO/Instituto Multidisciplinar, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Referências

ALMEIDA, J.C.H. Zonas de cizalhamento dúctil de alto grau do Médio Vale do Rio Paraíba do Sul. 2000. 201 f. Tese (Doutorado-Geologia), UNESP, Rio Claro.

ETCHEBEHERE, M. L.; SAAD, A.R.; FÚLFARO, V.J. PERINOTTO, J.A.J. Aplicação do índice “Relação DeclividadeExtensão – RDE” na Bacia do Rio do Peixe (SP) para detecção de deformações neotectônicas. Geologia USP Série Científica, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 43-56, 2004.

HACK, J.T. Stream profile analysis and stream gradient index. Journal Research US Geol. Survey, v.1, n.4, p.421-429, 1973.

HEILBRON, M.; VALERIANO, C.M.; TUPINAMBÁ, M. & ALMEIDA, J.C.H. An evolutionary tectonic model for the central Ribeira Belt: from Transamazonian collage to Gondwana amalgamation. In: Simpósio Nacional de Estudos Tectonicos, 7., 1999, Lençóis, Anais... SBG, 1999. p.58-61.

MENDES, L. D.; FERNANDES, N. F.; GONTIJO-PASCUTTI, A. H. F. Morfotectônica da bacia hidrográfica do rio Bonito, Petrópolis, RJ. Revista Brasileira de Geomorfologia, ano 8, n° 1, 2007.

SILVA, T.M. A estruturação geomorfológica do Planalto Atlântico no Estado do Rio de Janeiro. 2002. 264 f. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

THOMAS, D.S.G.; ALLISON, R.J. (Eds.) Landscape Sensitivity. Chichester: John Wiley and Sons, 1993. 347 p.

ZHANG, W.; HAYAKAWA, Y.S.; OGUCHI, T. DEM and GIS based morphometric and topographic-profile analyses of Danxia landforms. In: Geomorphometry, 2011. Disponível em <http://geomorphometry.org/Zhang2011> Acesso em 13 de fevereiro de 2017.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Sistemas Geomorfológicos: Estrutura, Dinâmicas e Processos