A experiência do Museu das Águas da Amazônia como espaço de sensibilização e difusão da educação ambiental no ensino de geografia

Autores

  • Carlos Alexandre Leão Bordalo Universidade Federal do Pará
  • Aline Lima Universidade Federal do Pará
  • Elizio Azevedo Universidade Federal do Pará
  • Thayssa Sousa Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2357

Palavras-chave:

Água. Hidrogeografia. Educação ambiental. Geografia. MAAM

Resumo

O Projeto “O Museu das Águas da Amazônia como Espaço de Sensibilização e difusão da Educação Ambiental Inclusiva sobre a Poluição e Proteção das águas” desenvolvido desde 2013, por alunos e professores da Faculdade de Geografia e Cartografia – FGC/UFPA, com recursos da Pró-Reitoria de Extensão – NAVEGA SABERES/UFPA, objetiva a criação de um espaço de sensibilização e difusão das ações de educação ambiental sobre a poluição e proteção das águas, contextualizando o debate das águas de forma a auxiliar os professores de geografia no ensino fundamental, médio e superior para maior entendimento, a partir da interdisciplinaridade que o assunto apresenta. O projeto pretende difundir nas escolas a educação ambiental a partir dos conhecimentos hidrogeográficos, hidropolíticos e hidrogeológicos, com informações e linguagem direta para a compreensão dos alunos e professores, buscando a sensibilização e ampliação de conhecimento sobre o tema.

Biografia do Autor

Carlos Alexandre Leão Bordalo, Universidade Federal do Pará

Universidade Federal do Pará.

Aline Lima, Universidade Federal do Pará

Universidade Federal do Pará.

Elizio Azevedo, Universidade Federal do Pará

Universidade Federal do Pará.

Thayssa Sousa, Universidade Federal do Pará

Universidade Federal do Pará.

Referências

BORDALO, C. PINHEIRO, A. LEBRE, A. AZEVEDO, E. SOUSA, T. O Museu das Águas da Amazônia como espaço de sensibilização e difusão da Educação Ambiental inclusiva sobre a poluição e proteção das águas na UFPA. In: BORDALO, C. SILVA, C. SILVA, E. Planejamento, conflitos e desenvolvimento sustentável em bacias hidrográficas: experiências e ações. GAPTA/UFPA. Belém, 2016. pp 469-481.

BORDALO, C. A “crise” mundial da água vista numa perspectiva da Geografia Política. Revista GEOUSP Espaço e Tempo. Nº 31, Edição especial, pp 66 – 78. São Paulo, 2012.

BORDALO, C. SILVA, F. SANTOS, V. Os Desafios da Gestão das Águas nas Metrópoles da Amazônia: Uma análise do modelo de gestão pública do sistema de abastecimento de água na Região Metropolitana de Belém - PA. Revista GEONORTE. Edição Especial, Vol3, Nº 4, pp 1181 – 1193. Manaus, 2012.

BRASIL. Lei Federal No 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm

FREITAS, N. T. A.; MARIN, F. A. D. G. Educação Ambiental e Água: Concepções e práticas educativas em escolas municipais. São Paulo: Nuances, 2015.

MACHADO, P; TORRES, F. Introdução à Hidrogeografia. São Paulo: Textos básicos de geografia, 2012.

REBOUÇAS, A; BRAGA, B; TUNDISI, J. Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 3. ed. São Paulo: Escrituras, 2006.

REIGOTA, M. O que é Educação Ambiental. 2ª ed. Revista e ampliada. Coleção Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, 2009.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física: Currículo, Formação e Práticas de Ensino