Aspectos teóricos-metodológicos sobre o uso do conceito de sistemas em climatologia

Autores

  • Lucas Moreira Sales de Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2397

Palavras-chave:

Sistemas. Climatologia geográfica. Aquecimento global

Resumo

A utilização da modelagem de sistemas em climatologia elevou consideravelmente a compreensão que temos sobre os diversos climas da Terra e como eles se interagem e evoluem no tempo. Existe, contudo, uma preocupação de caráter teórico em caracterizar o clima propriamente como um sistema, sem diminuir oconteúdo que este conceito deve carregar. Este trabalho tem como objetivo levantar reflexões sobre este aspecto da climatologia geográfica, trazendo o arcabouço teórico sobre os sistemas de Ervin Laszlo (1996) e assumindo o discurso do aquecimento global como exemplo prático na discussão. Os resultados apontam, de forma preliminar, para uma utilização automatizada do conceito de sistemas no âmbito do discurso que será analisado. 

Biografia do Autor

Lucas Moreira Sales de Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais

Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

CARACRISTI, I. A. Natureza complexa as poiésis climática: contribuições teóricas ao estudo geográfico do clima. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

CHRISTOFOLETTI, A. Análise de sistemas em geografia. São Paulo: Hucitec: Editora da Universidade de São Paulo, 1979.

GLEICK, J. Caos: a criação de uma nova ciência. Trad. Waltensir Dutra. 4ª Ed. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

JARDIM, C. H. Proposta de síntese climática a partir do comportamento térmico e higrométrico do ar em áreas urbanas. Tese (Doutorado em Geografia) – Departamento de Geografia – Instituto de Geociências – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

LASZLO, E. The systems view of the world: a holistic vision for our time. New Jersey: Hampton Press Inc., 1996. 103 p.

LYNAS, M. Seis graus: o aquecimento global e o que você pode fazer para evitar uma catástrofe. Rio de Janeiro: Editara Zahar, 2009.

MONTEIRO, C. A. F. Teoria e Clima Urbano. Tese (Livre Docência) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1975.

MONTEIRO, C. A. F. Derivações antropogênicas dos geossistemas terrestres no Brasil e alterações climáticas: perspectivas urbanas e agrárias ao problema da elaboração de modelos de avaliação. In: I SIMPÓSIO A COMUNIDADE VEGETAL COMO UNIDADE BIOLÓGICA, TURÍSTICA E ECONÔMICA, 1978, São Paulo. Anais... São Paulo: Academia de Ciências do Estado de São Paulo, 1978.

MONTEIRO, C. A. F. Clima e excepcionalismo: conjecturas sobre o desempenho da atmosfera como fenômeno geográfico. Florianópolis: Editora da Universidade Federal de Santa Catarina, 1991.

MONTEIRO, C. A. F. Geossistemas: a história de uma procura. São Paulo: Contexto, 2000.

MORIN, E. O método 1: a natureza da natureza. Trad. Ilana Heineberg. Porto Alegre: Editora Sulina, 2002.

SOTCHAVA, V. B. O estudo de geossitemas. São Paulo: Instituto de Geografia USP (Métodos em Questão, 16), 1977.

VICENTE, L. E; PEREZ FILHO, A. Abordagem sistêmica em geografia. Geografia, Rio Claro, v. 28, p. 323-344, set./dez. 2003.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Climatologia em diferentes níveis escalares: mudanças e variabilidades